Home Glossário Náutico Náutico: Português - Inglês
Náutico: Português - Inglês Imprimir E-mail
Índice do Artigo
Náutico: Português - Inglês
A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
K
L
M
N
O
P
Q
R
S
T
U
V
W
X
Y
Z
Todas as páginas

Clique na letra desejada para a visualização do seu conteúdo abaixo do índice.

 


 

A

A : Bandeira ALFA. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Tenho um mergulhador na água. Mantenha-se afastado e navegue à baixa velocidade".

ALFA

A Barlavento - Windward: Ficar no lado onde sopra o vento. A abreviatura usual é BV.

A Bordo - Aboard : Situação de encontrar-se no interior de qualquer embarcação (ou aeronave; por extensão, aplica-se hoje a expressão para trens e ônibus).

A Favor da Maré - Downstream : Expressão que designa a direção da maré, ou significa deslocamento com a ajuda da maré.

A Pique - Vertically : Amarra na posição vertical a partir do escovém.

A Ré (AR) - Aft : Expressão usada para definir toda e qualquer coisa que se situe na região de popa da embarcação.

À Roça : Diz-se de uma âncora pronta para ser lançada rapidamente à água.

AA : Abreviatura de Always Afloat - Sempre Flutuando - Em alguns portos o navio encalha quando se aproxima do cais/berço ou quando atraca.

AAR : Abreviatura de Against All Risks - Contra Todos os Riscos (cláusula de seguro).

AB : Abreviatura de Able-Bodied Seaman - Marinheiro de Convés.

Aba - Flange : 1) Cada um dos dois lados de uma Cantoneira; 2) Lado menor dos demais Perfis. O mesmo que Flange.

Abacá : Designa uma fibra têxtil, flutuante e elástica, também chamada de cânhamo-de-manilha, utilizada na confecção de cordas para embarcações.

Abafa : Em marinharia, o termo é usado para dar voz de comando, significando que os marinheiros devem ferrar as velas.

Abafar : Desmanchar o 'bolso' da vela, que o vento provoca. O mesmo que arrochar o pano de encontro à verga, diminuindo, assim, a superfície mostrada ao vento.

Abafar o pano : O processo que consiste em enrolar o pano da vela, apertando-o contrário ao mastro, estais ou vergas, objetivando reduzir o 'bolso' feito na vela pelo vento.

Abalaustrado - Provided with Stanchions : Guarnecido de Balaustres.

Abalroada - Collision: O mesmo que abalroamento.

Abalroadela - Collision: O mesmo que abalroamento, quando as avarias são de pequena monta.

Abalroador : Diz-se de um navio que lança a balroa ao costado de outro, para atracar, ou fazer abordagem. Refere-se também ao navio que causa colisão com outro.

Abalroamento - Collision: Na terminologia marítima geral, significa qualquer choque entre duas embarcações. O assunto é tratado na segunda parte do Código Comercial Brasileiro (comércio marítimo), artigos 749 e seguintes. Em direito marítimo, porém, abalroação tem significado restrito, sendo definido como "choque entre dois navios ou embarcações que navegam ou estão em condições de navegar, dentro ou fora dos portos". Segundo J. Silva Costa, o abalroamento pode ser: culposo, quando existe desídia, negligência ou culpa do capitão ou da guarnição de um dos navios ou aeronaves, ou dos capitães ou comandantes e tripulantes de ambos os navios ou aeronaves; fortuito, quando ocorre em consequência de caso fortuito ou força maior; misto ou duvidoso, quando não se pode determinar a causa do choque ou apurar a quem cabe a culpa.

Abalroar - To Collide: Colidir uma embarcação, violentamente, com outra embarcação ou cais ou um obstáculo qualquer. Existem regulamentos estabelecendo a responsabilidade do proprietário de uma embarcação que abalroa outra. Diz-se da atracação com balroa que é uma espécie de gancho ligado a cabos, empregando-se vários deles para abordar uma embarcação. Diz-se ainda de um barco que aferra outro com balros para abordar.

Abandonado - Abandoned: Diz-se de uma embarcação sem guarnição, classe ou certificação e tratamento.

Abandonar o Navio - To Abandon the Ship: Deixar o navio da maneira mais segura possível.

Abastecer - To Supply: Prover a embarcação com gêneros alimentícios e/ou consumíveis e/ou combustíveis.

Abastecimento - Supply, Provision, Stock: Ação de abastecer uma embarcação.

Abastecimento de Munições - Ammunition Supply: Ação de abastecimento de uma embarcação com munições.

Abastecimento da Embarcação com Combustível - Ship Bunkering: Ação de abastecimento da embarcação com combustível e/ou combustíveis (mais de um tipo).

Abarbado com a terra : Diz-se do navio que tem a terra próxima por sotavento.

Abarrotado : Diz-se dum navio demasiadamente carregado, até as escotilhas.

Abater - To Drift: Ação de desviar, descair ou afastar o rumo do navio da rota que seguia, por efeito do vento ou da correnteza.

Abatido : Diz-se do navio que navega em alta velocidade.

Abatimento - Drift : Refere-se ao decaimento lateral do navio em relação ao rumo que segue, sob a ação do vento não inteiramente favorável, quando não sopra de popa.

Abaulamento - Camber, Round of Beam : Forma curva dos Vaus, que possibilita o escoamento das águas que caem no Convés para as Amuradas.

Abertona - Loging Knee : O mesmo que Curva de Abertona.

Abeto : Designação comum de várias espécies vegetais, inclusive um tipo de madeira muito usada na construção naval para mastros, vergas, remos e outras repartições de bordo.

ABI : Abreviatura de Automated Broker Interface (U.S. Customs) Interface por meio da qual os agentes de importação inserem dados eletronicamente.

Abicar : Ato ou efeito do navio encalhar ou tocar a praia com o bico de proa.

Abita - Riding Bitt, Mooring Bitt : Termo usado quase sempre no plural, que designa uma peça de madeira, em forma de cruz, debaixo do castelo de proa do navio, que serve para fixar a amarra da âncora. Coluna colocada verticalmente no Castelo e firmemente ligada a estrutura da embarcação.

Abitar a Amarra - To Bitt the Cable : Dar volta na amarra.

Abóboda : Diz-se do prolongamento da embarcação, a contar da coberta até a popa.

Aboçar : 1) Ato ou efeito de prender, ou segurar a boia, ou atá-la para, no caso de necessidade, poder lançá-la à água. 2) Marcar com a boia o local onde há perigo para a navegação, ou onde se encontra algum obstáculo.

Aboçar a Amarra - To Stop the Cable : Sustentar a amarra na posição por meios mecânicos.

Abordagem : 1) Ato ou efeito de colocar algo a bordo de um barco contíguo a de outro ou tocar com o bordo em outro. 2) Ato de abalroar um navio a fim de assaltá-lo, encostar ou aproximar.

Abotoar (com voltas falidas) - To Rack : Amarrar um objeto com voltas falidas.

Abotucadura : Ponto aonde venha se fixar um ovém ou brandal ao casco.

Abra : 1) Designa uma enseada com ancoradouro para embarcações. 2) O mesmo que baía, ancoradouro, angra.

Abrigo de Barcos : É uma cobertura feita em enseada, ou lago, para resguardar os barcos de passeio ou pesca.

Abrir Água : Diz-se quando mina água em quantidade, por rombo em abalroação, ou por desconjuntamento do casco de uma embarcação.

Abrir Velas : Exprime ação de navegar.

ABS : Abreviatura de American Bureau of Shipping. Sociedade Classificadora.

Acácia : Espécie de madeira pesada que suporta a ação da água marinha, empregada na fabricação de partes do casco e dos compartimentos.

Acertar o Compasso - Trim (to) : Expressão que significa colocar corretamente a carga na embarcação, visando a bem navegar, sem pender para um lado ou para o outro.

Achicar : 1) Ação de esgotar a água que invadiu um barco. 2) Retirar a água de uma embarcação com uma vasilha.

Acidente da Navegação : Expressão que designa naufrágio, água aberta, varação, incêndio, arribada, colisão, encalhe, abalroamento, explosão, avaria ou, ainda, danos nas embarcações. O assunto é tratado no direito marítimo.

ACK : Abreviatura de Acknowledge. Aceite.

Acomodações - Accommodation: Espaços habitáveis de uma embarcação.

Acostar : 1) Diz-se quando uma embarcação se aproxima de uma costa; navegar junto à costa. 2) Encostar o barco no cais ou em outra embarcação.

Acuteladas : Velas com muita barriga.

Ad Valorem : Expressão latina que significa 'segundo o valor'. Qualifica a cobrança do tributo que tem por base o valor da mercadoria; é uma tarifa percentual sobre o valor do produto. Distingue-se do imposto específico em que este é fixo, ainda que maior ou menor o custo da mercadoria.

Adelgaçamento - Tumble Home : Curvatura ou inclinação para dentro que tem o Costado do navio, acima do maior Vau.

Adernado : É quando o navio está inclinado (com banda).

Adernamento - Heel : O mesmo que Banda.

Adernar : Ato ou efeito de inclinar uma embarcação para um dos seus bordos, ficando um lado submerso.

Adriça : Cabo que é usado nos barcos com a função de içar velas, galhardetes ou vergas nos mastros.

Adormecer : Ação de alguém perder o equilíbrio sobre a embarcação.

Adornar : Diz-se da inclinação do navio a sotavento pela força do vento ou deslocação de peso.

Aduana : O mesmo que alfândega.

Aduaneiro : De, ou relativo à aduana ou alfândega. Diz-se do imposto devido pela importação de mercadorias. É o chamado imposto aduaneiro ou alfandegário.

Aduchar : Deixar um cabo bem arrumado.

Aerodinâmica : Parte da física que estuda o ar e outros gases em equilíbrio ou em movimento, quanto às suas propriedades e características e às forças que exercem sobre os corpos sólidos neles imersos. Um sólido possui forma aerodinâmica quando o ar oferece pouca resistência ao seu deslocamento. Assim é que o avanço de um barco a vela depende, essencialmente, de como ele aproveita o ar e a água em movimento, sendo que a utilização do vento depende da movimentação dada ao leme e da orientação das velas.

Aferrar : Ato ou efeito de ancorar. O mesmo que lançar ferro.

Afirmativa : É uma bandeira representada nos códigos marítimos de sinalização, significando afirmar algo.

Afocinhada : Embarcação mergulhada de proa, em virtude do balanço de popa e proa ou do excesso de carga avante.

Afretador - Charterer : Diz-se daquele que tem a posse de uma embarcação a frete, no sentido de aluguel, no todo ou em parte, com a finalidade de transportar mercadorias, pessoas ou coisas. Não se deve confundir com fretador, que é a pessoa que dá a embarcação a frete. Na maioria das vezes, o fretador é o próprio proprietário.

Agente de Navegação - Shipping Agent : Diz-se daquele que representa legalmente uma empresa de navegação e goza do privilégio para solicitar os vários serviços portuários dentro das diversas modalidades do sistema e de serviços de outra natureza, a saber: despachar, receber e entregar cargas aos seus proprietários ou consignatários, vender passagens, cobrar fretes e agilizar os procedimentos necessários para o afretamento.

Agentes do Serviço Geral : Diz-se daqueles profissionais que a bordo têm ocupações autónomas e podem exercer suas atividades tanto em terra como no navio, a exemplo do médico, comissário de bordo, empregados de cabine e de restaurante, arrumadeiras de quarto, chefe de copa, despenseiro etc.

Agitado : Termo usado para caracterizar condições próprias do mar, empregado pêlos boletins meteorológicos.

Água Aberta : É quando falta água doce em um navio, em alto-mar, fato que apresenta um forte motivo para a arribada forçada, objetivando abastecer a embarcação.

Aguada : Designa o abastecimento de água feito pelo navio, antes de iniciar a viagem ou no seu curso, quando a necessidade assim o exigir.

Águas Amassadas : São as águas que se apresentam turvas, barrentas, em virtude da proximidade do fundo do mar, que é revolvido pelo barco e nele poderá encalhar.

Águas Jurisdicionais Brasileiras (AJB) - Brazilian Jurisdictional Waters: 1. As águas marítimas abrangidas por uma faixa de doze milhas marítimas de largura, medidas a partir da linha de baixa-mar do litoral continental e insular brasileiro, tal como indicada nas cartas náuticas de grande escala, reconhecidas oficialmente no Brasil (Mar Territorial); 2. As águas marítimas abrangidas por uma faixa que se estende das doze às duzentas milhas marítimas, contadas a partir das linhas de base que servem para me-dir o Mar Territorial, que constituem a Zona Econômica Exclusiva (ZEE); 3. As águas sobrejacentes à Plataforma Continental quando esta ultrapassar os limites da Zona Econômica Exclusiva; e as águas interiores, compostas das hidrovias interiores, assim consideradas rios, lagos, canais, lagoas, baías, angras e áreas marítimas consideradas abrigadas.

Águas Interiores : Diz-se das águas existentes dentro do litoral do país, quer sejam marítimas, fluviais ou lacustres. Compreendem também as margens das ilhas situadas nos limites do marjurisdicional, isto é, a faixa marítima localizada entre a costa e duzentas milhas desta, segundo conceito adotado pelo Brasil e alguns países.

Águas Livres : São as que, por oposição de conceito, não são territoriais ou jurisdicionais, isto é, não são subordinadas ao domínio ou à jurisdição de qualquer nação, sendo, portanto, as águas do alto-mar ou pleno oceano, as quais a ninguém pertencem.

Águas Mortas : São as águas desprovidas de correnteza, nas marés de quarto de lua.

Águas Não Contíguas : Diz-se das águas nacionais ou territoriais, de limites pouco claros com as águas livres de alto-mar. Essas águas não se comparam com aquelas de outra nação ou território.

Águas Parelhas - Even Keel : O mesmo que Sem Compasso, Sem Trim e Sem Diferença.

Águas Vivas : São aquelas que apresentam forte correnteza na maré de enchente ou de vazante, ou seja, maré de lua nova ou cheia, em que as águas sobem ou baixam muito.

Aguçar : Ato ou efeito de vir com a proa do barco para a linha do vento.

Agüentar : Parar de puxar.

Agüentar sob Volta : Prender passando no cunho/cabeço mas, aguentando na mão.

Agulha Giroscópica - Gyro Compass : Indica o norte verdadeiro, situa-se em frente ao timão e pode ter repetidoras em outros pontos da embarcação.

Agulheiro - Flush Bunker Scuttle, Scuttle : Pequena escotilha, circular ou elíptica, destinada ao serviço de um paiol, praça de máquinas, etc.

AHTS - Anchor Handling, Towing and Supply : Embarcação de Manuseio de Âncoras, Reboque e Suprimento. Embarcação que pode medir entre 60 e 90 metros de comprimento e potência (HP) de 6.000 a 20.000 atua com rebocador, manuseio de âncoras e transportes de suprimentos (tubos, água doce, óleo, lama, salmoura, cimento, peças, etc.).

AIS : Abreviatura de Automatic Identification System - Sistema de Identificação Automática. Sistema capaz de transmitir e receber automaticamente mais de 2.000 relatórios por minuto, em taxas com freqüência de 2 segundos, contendo informações do navio tais como: posição, rumo, velocidade, calado, tipo de navio, tipo de carga, entre outras, por meio de rádio VHF em canais DSC (Digital Selective Calling) com o uso da tecnologia SOTDMA.

AIT : Abreviatura de Atestado de Inscrição Temporária. A Inscrição Temporária é um ato administrativo que visa o controle de embarcação estrangeira autorizada a operar em AJB. A Inscrição Temporária se formalizará por meio da emissão do Atestado de Inscrição Temporária (AIT) de Embarcação Estrangeira, emitido pelas Capitanias e Delegacias (CP/DL), documento sem o qual a embarcação não poderá operar em AJB. Visando a emissão do AIT será preenchido pela CP/DL o Boletim de Atualização de Embarcações Estrangeiras (BADES), contendo informações sobre a embarcação. As embarcações estrangeiras empregadas exclusivamente na navegação de longo curso e as embarcações que realizam pesquisa ou investigação científica, não necessitam possuir o AIT.

AJB (Águas Jurisdicionais Brasileiras) : 1. As águas marítimas abrangidas por uma faixa de doze milhas marítimas de largura, medidas a partir da linha de baixa-mar do litoral continental e insular brasileiro, tal como indicada nas cartas náuticas de grande escala, reconhecidas oficialmente no Brasil (Mar Territorial); 2. As águas marítimas abrangidas por uma faixa que se estende das doze às duzentas milhas marítimas, contadas a partir das linhas de base que servem para me-dir o Mar Territorial, que constituem a Zona Econômica Exclusiva (ZEE); 3. As águas sobrejacentes à Plataforma Continental quando esta ultrapassar os limites da Zona Econômica Exclusiva; e as águas interiores, compostas das hidrovias interiores, assim consideradas rios, lagos, canais, lagoas, baías, angras e áreas marítimas consideradas abrigadas.

Ala e Larga! : Exprime a voz de manobra para dar uma volta completa com a embarcação, isto é, virar de bordo, ao atracar um navio no cais.

Alagado : Diz-se de uma embarcação perdida de vista no horizonte; diz-se, também, de qualquer coisa que esteja debaixo d'água.

Alanta : Cabo que faz a amura de uma vela de balão.

Alar : Ato ou efeito de exercer tração num cabo para fazer uma manobra; o mesmo que puxar até ficar teso.

Alargamento - Flaring : Curvatura ou inclinação para fora existente no Costado. (Comum na região da Proa).

Alaúde : Pequena embarcação usada especialmente na pesca do atum.

Albói - Skylight : Cobertura de Escotilha de formato semelhante a um guarda-sol ou cogumelo, destinada à passagem de ar e luz. Nota: Erradamente alguns chamam de Albói às Gaiutas das Praças de Máquinas e Caldeiras.

Alboios - Skylights : Veja Albói.

Alfândega - Customs : Repartição federal instalada nos portos de entrada no país, onde se depositam mercadorias importadas e se examinam as bagagens de passageiros que estão em trânsito para o exterior ou chegam ao país; o termo designa toda a repartição ou apenas a sala de bagagem, mas se estende aos pátios ao ar livre, onde ficam as cargas de grande porte; pátio alfandegário. O termo designa ainda os direitos alfandegários; nesta acepção é sinónimo de aduana; a alfândega é a estação mercadora dos tributos devidos pela importação e exportação de bens, tributos genericamente designados direitos alfandegários.

Alfândega de Porto Molhado : É a aduana situada à margem do mar, ou em locais próximos de rios, lagos ou lagoas.

Alfândega de Porto Seco : Diz-se da alfândega que se situa em local distante da margem do mar, dos rios, lagos ou lagoas.

Alfandegar : Atribuir função de alfândega a um local, mesmo que afastado de um porto. Despachar na alfândega ou no armazém.

Alfandegar Portos : Diz-se da criação de alfândegas ou aduanas em portos onde não existem. Os portos assim aparelhados denominam-se de portos alfándegados ou portos habilitados.

Alheta - Quarter : Ponto aonde se juntam o costado e o espelho de popa.

Alijar : Largar objetos do navio ao mar a fim de aliviá-lo do excesso de carga.

Alinhamento de Unidades - Unit Alignment : Operação feita durante a Edificação do navio, que prove a correta posição das Unidades, umas em relação às outras e em relação ao Casco como um todo.

Alinhamento dos Eixos Propulsores - Main Shafting Alignment : Operação realizada quando já se tem pronta a Edificação de Meia-Nau para ré, para demarcar os locais de passagem dos eixos propulsores e a posição dos mancais, Pés-de-Galinha e máquinas propulsoras.

Alojamentos - Cabins: Compartimentos destinados a alojar mais de 4 (quatro) passageiros ou tripulantes.

Alidade: Aparelho ótico que indica o ângulo de um "alvo" em relação à embarcação.

Aliviar o Leme : Ato ou efeito de diminuir o ângulo do leme com a quilha do navio.

Alma - Web Plate, Web : Lado de um Perfil por onde passa o seu eixo ou plano de simetria, quando houver. Geralmente é o lado maior do Perfil.

Almanaque Náutico - Nautical Almanac : Almanaque que fornece ao navegador dados sobre os astros constantes das diversas tábuas de navegação, dados estes que a navegação astronómica no mar requer diariamente.

Almeida - Counter, Lower Stern : Denomina-se a parte curva do costado do navio, localizada na popa, logo abaixo do painel, formando com este uma curvatura ou um ângulo obtuso.

Almirantado: Veja "Âncora Almirantado".

Âncora Almirantado

Alpendre : Pátio coberto que se destina ao armazenamento de carga, ou guarda de utensílios diversos.

Alquebramento - Hogging : Curvatura adquirida pela Viga-Navio, quando sujeita aos esforços do mar, caracterizada pela tração do Convés e simultânea compressão da Quilha. A deformação tende a fazer com que a Seção Mestra se eleve em relação a Proa e a Popa.

Alternador - AC Alternator: Equipamento movimentado por motor, normalmente a diesel, para a geração de tensão.

Alto-mar : Região do mar afastada da costa, além do mar territorial. Em termos jurídicos, o alto-mar é livre, isto é, não está subordinado a qualquer domínio ou jurisdição, já que está além do mar que compreende as águas interiores, ou o mar territorial de qualquer nação.

Altura - Height : 1) Qualquer distância vertical considerada na geometria do navio. As alturas tem por origem o Plano de Base Molhada; 2) Conjunto das partes mais altas do navio, considerada a sua simetria acima da linha-d'água, tais como radar, chaminé, cábrea, topo do mastro etc.

Altura Absoluta : Diz-se da elevação de um lugar acima do nível do mar.

Altura do Fundo - Dead Rise : Altura a que se eleva o fundo do casco, da Quilha ao Bojo, medida nas linhas moldadas.

Altura Metacêntrica - Metacentric Height : Distância entre o centro de gravidade da embarcação e o Metacentro (Transversal ou Longitudinal) Inicial. Cf. Altura Metacêntrica Transversal e Altura Metacêntrica Longitudinal.

Altura Metacêntrica Longitudinal - Longitudinal Metacentric Height : Distância entre o centro de gravidade da embarcação e o Metacentro Longitudinal Inicial.

Altura Metacêntrica Transversal - Transversal Metacentric Height : Distância entre o centro de gravidade da embarcação e o Metacentro Transversal Inicial. É positiva quando o metacentro está acima do centro de gravidade e negativa em caso contrário. É uma medida da estabilidade, inerente a um dado navio.

Alvarenga - Lighter, Barge : Embarcação robusta, sem propulsão própria, com fundo chato, utilizada para embarque e desembarque ou baldeação de cargas. O mesmo que batelão.

Alvarengagem : O mesmo que baldeação. Diz-se da operação de transbordo de mercadorias para uma alvarenga, a fim de serem conduzidas ao cais ou docas. A alvarengagem é também o transporte de mercadorias de uma chata ou alvarenga para uma embarcação não atracada no cais ou docas. Diz-se também da descarga de água.

AM : Abreviatura de Amplitude Modulada. Modulação em Amplitude ou simplesmente AM, é a forma de modulação em que a amplitude de um sinal senoidal, chamado portadora, varia em função do sinal de interesse, que é o sinal modulador. A frequência e a fase da portadora são mantidas constantes. Matematicamente, é uma aplicação direta da propriedade de deslocamentos em frequências da transformada de Fourier, assim como da propriedade da convolução.

Amador : Condutor de embarcações de esporte e recreio, sem caráter profissional, mas obrigado a inscrever sua embarcação na Capitania dos Portos e possuir carta de habilitação.

Amainar : Colher ou arriar as velas.

Amante : Cabo grosso que iça ou sustenta no alto qualquer peça de uma embarcação. Ver amantilho.

Amantilho : Aparelho do navio que serve para içar ou arriar o pau de carga, ou ainda para sustentá-lo no alto, na altura desejada.

Amarinhado : l) Diz-se do navio equipado de marinheiros. 2) Aquele que se habituou ao mar ou que tem aptidões de marinheiro.

Amarinhar : l) Ação de comandar o navio ou equipá-lo de marinheiros. 2) Inscrever-se como marinheiro ou habituar-se ao mar.

Amarra - Anchor Chain, Anchor Cable : Cadeia de elos especiais com ou sem malhetes (nos navios pequenos pode-se usar corrente ou cabo de arame). Tem a função de aguentar a força de fundeio da âncora nos fundeadouros. As Amarras de fundeio normalmente têm oito quarteladas de quinze braças, num total de 120 braças.

Amarra

Amarra Mestra : Assim denominada a amarra principal, ou a mais forte.

Amarração ou Atracação - Mooring or Docking: 1) Conjunto de amarras, de âncoras e bóias usadas para o fundeamento da embarcação, ou cabos usados para atracar um barco ao cais. 2) Ato ou efeito de passar as espias no cabeço do cais ou convés de outro navio, no caso de atracação de uma embarcação a outra.

Ampliação - Jumboizing : Diz-se da modificação feita em um navio mercante visando ao aumento da sua capacidade. Tal alteração pode consistir na inserção de uma nova seção, ou na substituição do seu corpo central por outro mais alongado.

Amplitude da Maré : Considera-se a amplitude da maré a diferença, em altura, entre a enchente média mais alta e a vazante média mais baixa, nos lugares onde existe maré diurna.

Amura - Bow : Designa-se a parte curva dos costados da embarcação, em que ela se estreita para formar a proa, ligada à roda de proa - prolongamento da quilha do navio. O mesmo que bochecha.

Amurada - Side Wall : Denominação da parte interna do costado do navio, mais comumente utilizado para indicar a parte interna borda falsa do navio.

Amurado : Navio que tem as amarras fixadas a um dos bordos.

Amurado a Bombordo : Diz-se do navio orientado de modo a receber o vento da direita.

Amurado a Boreste : Diz-se do navio orientado de modo que receba o vento da esquerda.

Âncora - Anchor: Peça de ferro forjado, ligada à embarcação através de cabo ou corrente, que, lançada ao fundo d "água, mantém a mesma parada. Essa barra de ferro, denominada de haste, tem a sua parte superior ligada a uma parte chamada anete ou aro, que a une à amarra, e a inferior, que é formada de duas ramificações chamadas de braços. Tais extremidades levam o nome de patas. Diversas âncoras também têm o cepo, uma peça que se cruza perpendicularmente com a haste, e que, às vezes, possui esferas na extremidade visando não aferrar antes das patas.

Âncora

Âncora de Pedra Âncora de Madeira e Pedra

Âncora Almirantado - Old Fashioned Anchor : Denominação dada a um tipo de âncora universalmente usada, que tem as superfícies das duas patas transversais ao plano dos braços e dotada de cepo disposto perpendicularmente a esse plano. Chama-se, também, ferro almirantado.

Âncora Danforth - Danforth Anchor: É um tipo de âncora de braços semelhantes aos das âncoras patentes, contudo, mais compridos e afilados. Essa âncora é dotada de um cepo colocado na cruz, paralelamente ao plano dos braços.

Âncora Danforth

Âncora de Jusante : Diz-se da âncora que está aferrada do lado da vazante.

Âncora de Montante : Âncora que fica aferrada ao lado da maré de montante.

Âncora de Leva - Bower Anchor : Âncora que se coloca na proa de ambos os bordos do navio. A maioria dos navios dispõe de duas âncoras desse tipo, também chamadas de ferro de leva.

Âncora de Salvação : 1) Âncora que sustém o barco, impedindo que se choque contra a costa. 2) Diz-se da âncora mais forte e que se lança em último lugar, como grande ou último recurso, ou ainda a última esperança.

Âncora Flutuante - Drogue, Sea Anchor, Drift Anchor, Drag : Tipo de aparelho flutuante que lançado pela popa de uma embarcação a mantenha filada à correnteza, em caso de mau tempo. A âncora flutuante diminui o descaimento dum navio que esteja no mar, por conta das vagas e do vento. É muito útil em navios pequenos, devido à conservação do aproamento ao vento e ao mar em mau tempo.

Âncora Flutuante

Âncora Patente - Patent Anchor, Stockless Anchor : Nome genérico pelo qual são designadas as Âncoras patenteadas por diversos fabricantes (Marlin, Smith, Hall, Dunn, Baldt), que diferem entre si em detalhes, mas apresentam as seguintes características comuns: não têm Cepo; a Haste é articulada aos Braços.

Âncora Sem Cepo - Stockless Anchor : O mesmo que Âncora Patente.

Ancorado - Anchored : Diz-se de um navio que lançou a âncora no mar.

Ancoradouro - Anchorage Area : Lugar destinado ao estacionamento do navio no porto marítimo, fluvial ou lacustre, desde que a embarcação possa ancorar com segurança. O ancoradouro deve ser protegido do vento e do movimento das águas, pelo aspecto apropriado de um ponto da costa, ou pelas edificações construídas especialmente para permitir a ancoragem. Diz-se, também, fundeadouro.

Ancoragem - Anchorage : Denominam-se os impostos ou taxas pagos pêlos navios ou embarcações por motivo de sua estadia ou permanência no ancoradouro.

Ancorar - Anchorage (to): É a ação de lançar âncoras ao fundo, para manter a embarcação segura por meio de suas amarras no ancoradouro ou fundeadouro.

Ancorote : Denominação dada a uma pequena âncora, que serve para fundear a embarcação.

Andamento : Diz-se que uma embarcação está em andamento quando ela se movimenta para vante.

Anéis ou Cavernas Gigantes: Cavernas reforçadas contínuas, formando anéis com os vaus reforçados do convés e das cobertas.

Anete - Shackle, Jew's Harp, Mooring Ring : Designa-se o aro metálico existente na parte superior da haste das âncoras e das bóias. Nele prende-se a amarra que as liga à embarcação.

Angra : Baía pequena, mais alongada, formando um porto.

Ângulo Máximo de Estabilidade : Denominação dada ao maior ângulo de inclinação do navio.

Anodo de Zinco - Zinc Anode : O mesmo que zinco protetor.

Ante-a-Ré : 1) Espaço do navio que vai do mastro grande até a popa. 2) Qualquer posição que se ocupa na direção da popa.

Ante-a-Vante : Posição que se ocupa mais perto da proa ou vante.

Antecâmara : Denomina-se a parte anterior à câmara do navio onde se localizam os camarotes dos oficiais superiores.

Antepara - Bulkhead, Wall : Estrutura vertical que subdivide uma embarcação em compartimentos ou em regiões estanques. Também concorre para manter a forma e aumentar a resistência do navio. Pode ser transversal ou longitudinal, estanque ou não.

Antepara Corrugada - Corrugated Bulkhead : Antepara leve, de aço, alumínio ou madeira, que não colabora na resistência estrutural do Casco, mas se destina a subdividir o navio em Compartimentos.

Antepara da Bucha - After Collision Bulkhead, After Peak Bulkhead : O mesmo que Antepara de Colisão de Ré.

Antepara de Choque - Swash Bulkhead : O mesmo que Antepara Diafragma.

Antepara de Colisão - Collision Bulkhead : Antepara Transversal, estanque à água, mais afastada da Seção Mestra. Pode ser de vante ou de ré.

Antepara de Colisão de Ré - After Peak Bulkhead : Antepara de Colisão mais afastada da Seção Mestra para ré e em posição tal que sirva para encerrar o Tubo Telescópio ou a bucha interna do eixo em um compartimento estanque à água. O mesmo que Antepara da Bucha.

Antepara de Colisão de Vante - Forward Peak Bulkhead : Primeira Antepara Transversal estanque, a contar de vante. Destina-se a impedir ou limitar a entrada de água em caso de abalroamento pela Proa.

Antepara de Porão - Hold Bulkhead : Qualquer Antepara Transversal estanque à água, executadas as dos Tanques de Colisão e as Extremas do compartimento de máquinas.

Antepara Diafragma - Swash Bulkhead : Antepara instalada no interior de um Tanque, dotada com diversos furos de passagem, destinada a reduzir o movimento livre do liquido transportado no interior do tanque. O mesmo que Antepara de Choque e Diafragma.

Antepara Diametral - Centerline Bulkhead : Antepara situada no Plano Diametral.

Antepara Divisória - Division Bulkhead : Antepara leve, de aço, alumínio ou madeira, que não colabora na resistência estrutural do Casco, mas se destina a subdividir o navio em Compartimentos.

Antepara Encouraçada - Armored Bulkhead : Antepara que faz parte do sistema de proteção de um Navio Encouraçado. O mesmo que Antepara Protegida.

Antepara Estanque - Tight Bulkhead : Antepara que não possui furo, costura ou emenda que permitam passagem de fluido.

Antepara Estanque à Água - Watertight Bulkhead : Antepara impermeável à água, transversal ou longitudinal, que se constitui num meio eficiente para limitar o alagamento do interior do Casco, em caso de avaria.

Antepara Estrutural - Structural Bulkhead : Antepara que colabora na resistência estrutural do Casco. Pode ser longitudinal ou transversal. Ver Antepara Resistente.

Antepara Extrema - End Bulkhead : Antepara Transversal que limita a parte de ré do Castelo, a parte de vante do Tombadilho ou as extremidades expostas das Superestruturas.

Antepara Frontal - End Bulkhead : Antepara Transversal que limita a parte de ré do Castelo, a parte de vante do Tombadilho, ou a parte extrema de uma Superestrutura.

Antepara Lateral - Side Bulkhead : Antepara Longitudinal situada fora do Plano Diametral, em qualquer dos Bordos.

Antepara Longitudinal - Longitudinal Bulkhead : Antepara situada num Plano Longitudinal.

Antepara Não Estanque - Untight Bulkhead, Non-Tight Bulkhead : Qualquer Antepara não impermeável (ao óleo, água, gás ou ar).

Antepara Ondulada - Swedge Bulkhead : O mesmo que Antepara Corrugada.

Antepara Parcial - Partial Bulkhead : Antepara que subdivide apenas parcialmente um Compartimento ou Tanque.

Antepara Principal - Main Bulkhead : Qualquer Antepara Resistente estanque à água.

Antepara Protegida - Armored Bulkhead : O mesmo que Antepara Encouraçada.

Antepara Resistente - Strength Bulkhead : Antepara Estrutural transversal completa, prolongada até o Convés Resistente que garante resistência transversal e rigidez ao Casco. Pode ser total ou parcialmente estanque.

Antepara Secundária - Secondary Bulkhead : Qualquer Antepara que não seja classificada como principal.

Antepara Transversal - Transverse Bulkhead : Antepara situada num plano transversal. Pode estender-se ou não de um Bordo ao outro.

Anteporto : Área marítima onde os navios ficam fundeados, esperando a hora de atracação ou aguardando o berço no cais.

Anti-submarino : Embarcação, ou armamento, ou ainda uma operação tática, com o objetivo de combater submarinos a fim de destruí-los.

AORE : Abreviatura de Atlantic Ocean Region East - Região Leste do Oceano Atlântico.

AORW: Abreviatura de Atlantic Ocean Region West - Região Oeste do Oceano Atlântico.

Aparelhar : Ato ou efeito de preparar o navio para dar partida.

Aparelho : Conjunto de cabos, vergas, enxárcias e cordoalhas das embarcações.

Aparelho de Fundear e Suspender : Conjunto de âncoras, amarras, máquinas de suspender, e todos os acessórios das amarras existentes numa embarcação.

Aparelho do Navio - Gear : Compreende os mastros, vergas, paus de carga, mastaréus, poleame e os cabos necessários às manobras do navio, bem como à sua segurança.

Aparelho Fixo - Standing Rig : Sistema de cabos fixos, dispostos em direções convenientes, destinados a manter em suas posições os Mastros, Mastaréus, Vergas e Paus de Carga.

Apartamento : Exprime a distância do navio entre os portos ou costas.

Apêndice - Appendage : Peças ou acessórios ligados ao Casco, que se projetam para fora da superfície exterior do chapeamento da Carena.

Aplainamento de Chapas - Edge Planing : Preparação de Contornos retos nos quais o chanfro é aberto por usinagem, em uma plaina.

Aportar : Ação de conduzir o navio ao porto.

Apostura - Top Timber : Parte superior de cada um dos ramos da Baliza quando esta é formada de várias peças, como nos navios de madeira.

Apresamento : Ato ou efeito de o navio inimigo ou corsário se apoderar de outro navio ou sua carga. Diz-se também presa. Já a pilhagem é quando o navio apresador é pirata.

Aproamento : Diz-se do rumo tomado pelo navio, quando obrigado a seguir uma direção estabelecida ou aproximar a proa de rumo determinado ou, ainda, da corrente do vento.

Aquém-mar : Diz-se das terras situadas do lado de cá do mar.

Arca : Denomina-se o calado do navio.

ARCS : Abreviatura de Admiralty Raster Chart Service - Cartas náuticas eletrônicas do formato RASTER produzidas pelo UKHO (United Kingdom Hydrographic Office).

Ardente : Diz-se do barco que, navegando, tende a aproximar-se com a proa da linha do vento, mesmo sem a ação do timão.

Área de Flutuação - Waterplane Area : É a área do casco, definida por uma das linhas de flutuação da embarcação.

Área do Porto : Compreende a parte terrestre e marítima, contínua e descontínua, das instalações portuárias, em que as embarcações possam fundear, ou efetuar operações de carregamento ou de descarga.

Arfagem - Dogsleep : É o jogo do navio no sentido de proa para popa, ou seja no sentido longitudinal da embarcação. É também chamado de caturro.

Arfante : Diz-se da embarcação que baixa ora a popa, ora a proa, ao contrário das águas.

Arganéu - Ring, Hank : Tendo no anel uma argola móvel, circular ou triangular, na qual se engatam talhas, Amarras ou espias.

Argonauta : Aquele que dirige um barco para fazer excursão por mar ou via fluvial.

Arinque : Cabo que é preso à âncora e a uma bóia (bóia de arinque). Esta bóia tem a função de mostrar a localização da âncora, quando o navio está fundeado.

Arinque

Armação : 1) Equipagem do navio. 2) Conjunto de atividades destinadas a aparelhar ou guarnecer o navio, de modo a poder realizar a viagem projetada. 3) Aparelhos empregados em navegação. Diz-se, também, aparelhamento ou guarnecimento.

Armada : Conjunto de navios de guerra de um país, também chamado de esquadra ou frota.

Armado : Diz-se do navio que está guarnecido de peças de artilharia.

Armador - Owner: Pessoa ou empresa que, à sua custa, equipa, mantém e explora comercialmente embarcação mercante.

Armar : Ato ou efeito de preparar uma embarcação com equipamento necessário para a navegação.

Armazém : Palavra de origem árabe, al-ma khawi, que quer dizer; a casa, o galpão ou construção onde se depositam mercadorias ou outros objetos. Denomina-se também o estabelecimento comercial onde se vendem mercadorias. O mesmo que trapiches, entrepostos, armazéns de alfândegas, armazéns gerais e reguladores.

Armazém Alfandegado : Armazém próprio para receber a carga estrangeira.

Armazenagem : Compreende a fiel guarda de mercadoria recebida em depósito pela administração do porto. Compreende também a abertura dos volumes e a manipulação das mercadorias para a conferência aduaneira, a inspeção sanitária e outros casos previstos, além do recondicionamento posterior.

Armazenagem de Exportação : Aquela a que esta sujeita a mercadoria que a administração do porto recebe em depósito para posterior embarque em navegação de longo curso, cabotagem ou interior.

Armazenagem de Importação : Aquela a que está sujeita a mercadoria recebida por meio de longo curso, cabotagem, interior ou, ainda, a mercadoria em trânsito e a de navios arribados.

Armazenagem em Armazéns Gerais : Compreende a fiel guarda e conservação de mercadorias que a administração do porto recebe em depósito por conveniência dos respectivos donos.

Armazenagem Especial : Segundo estabelece a tarifa dos portos, na tabela 'G' de taxas devidas pêlos donos das mercadorias, "é a fiel guarda e conservação de mercadorias nacionais, nacionalizadas ou estrangeiras, em armazéns ou instalações especiais, sujeitas a regime particular quanto às taxas, à realização da movimentação e benefício das mercadorias e à fiscalização aduaneira. São mercadorias como óleos, inflamáveis, explosivas, corrosivas ou agressivas etc".

Armazenagem Externa : De acordo com o que estabelece a tarifa dos portos, na tabela 'E' de taxas devidas pêlos donos das mercadorias, "é a fiel guarda e conservação de mercadorias nacionais ou nacionalizadas, de importação ou exportação, que a administração do porto recebe em depósito por conveniência dos respectivos donos em armazéns não-alfandegados".

Armazenagem Interna : Conforme estabelece a tarifa dos portos, na sua tabela 'D' de taxas devidas pêlos donos das mercadorias, "é a fiel guarda e conservação de mercadorias de importação do estrangeiro, ainda sujeitas ao desembaraço aduaneiro, em armazéns, alpendres ou pátios alfandegados, onde mercadorias nacionais ou nacionalizadas, importadas ou cabotagem, em armazéns, alpendres ou pátios não-alfandegados, mas que sejam destinados ao trânsito ou ao recebimento e pronta entrega dessas mercadorias".

Armazenagem Sob a Forma de Armazéns Gerais : Compreende a fiel guarda de mercadoria recebida nas instalações portuárias para depósito, sob as condições e normas legais concernentes ao regime de armazéns gerais. O regime estabelecido neste contexto só se aplica quando for conveniente ao porto e ao interesse do dono da mercadoria.

Armeiro : Marinheiro, ou oficial inferior da artilharia da marinha, embarcado a bordo dos navios de guerra, para cuidar da limpeza das armas.

Arnez : Cinto de segurança que se fixa à embarcação através da linha de vida.

ARPA : Abreviatura de Automatic Radar Plotting Aids - O sistema pode calcular o rumo, velocidade, o tempo para ocorrer o ponto de maior aproximação e a distânca deste ponto para todos os alvos processados pelo Radar. Desta forma ele possibilita uma rápida informaçõe sobre riscos de colisão.

Arpão : Gancho de ferro para ferrear embarcações, estacada, cais etc., objetivando facilitar a manobra do barco, permitir a abordagem, conservar o contato com outra embarcação etc.

Arqueação - Tonnage : Medição do volume dos espaços de um navio. A arqueação é a capacidade útil de uma embarcação, representada pelo volume do espaço disponível para transportar pessoas ou mercadorias, consideradas assim, como arqueação bruta, enquanto que a arqueação líquida é  dedução dos espaços destinados à tripulação, acessórios e peças de navegação. A medida da arqueação é expressa, convencionalmente, em unidades de cem pés cúbicos ingleses, ou seja, 2,83m3, equivalente a uma tonelada de arqueação.

Arqueação Bruta - Gross Tonnage : Soma de todos os volumes dos espaços cobertos, fechados de modo permanente e estanques à água que não estejam sob pressão. Os Espaços Isentos, não entram no cálculo da Arqueação Bruta. O mesmo que Tonelagem Bruta.

Arqueação de Registro - Register Tonnage, Net Register Tonnage : O mesmo que Tonelagem de Registro.

Arqueação Líquida - Net Tonnage : Medida que exprime o volume de todos os espaços internos, utilizáveis comercialmente, de um navio mercante. É igual à Arqueação Bruta menos os Espaços Deduzidos, seu cálculo varia de acordo com a legislação de cada país. O mesmo que Tonelagem Líquida.

Arrais : É o mestre de uma embarcação de pequena tonelagem.

Arrais Amador : É a pessoa maior de 16 anos, habilitada a conduzir embarcações a vela e a motor, de esporte e recreio, dentro dos limites de determinada baía, enseada, porto, rio ou lagos, conforme determinação legal.

Arrais de Terra : Diz-se do mestre que mantém sob suas ordens os diferentes mestres de barcos pertencentes a um mesmo dono ou a uma companhia, distribuindo entre eles os serviços competentes. É a oposição a arrais de barco.

Arrancar : 1) Iniciar a marcha de uma embarcação. 2) Ação de içar o ferro ou suspender o ferro. 3) Começar a mover o navio ao sair do estaleiro.

Arrancar a Vaga : Conceder a uma embarcação maior velocidade, isto é, remando com mais força.

Arranjo: Distribuição genérica e particular dos espaços e dos equipamentos específicos nos diversos covéses, de acordo com a tipologia e o porte da embarcação.

Atracação - Docking: É a manobra executada para atracar o navio.

Arrasado em Popa : Diz-se do navio que toma em cheio o vento em popa.

Arrasar : Diz-se quando navio ou qualquer embarcação, vista de terra firme, vai desaparecendo de vista, ao longo do mar.

Arrastando o Ferro : Navio que, ao mover-se, obedecendo a um controle, arrasta o ferro sobre o fundo do mar.

Arrebitagem - Riveting : O mesmo que Cravação.

Arrebitamento - Riveting : O mesmo que Cravação.

Arrebite - Rivet : O mesmo que Rebite.

Arreigada - Futtock Hoop, Footock Shrouds : Cada um dos vergalhões de ferro presos ao Mastro para sustentar o Ninho de Pega.

Arriar : Fazer descer um objeto qualquer, preso a um cabo.

Arriar o Filame : Ação de soltar a maior porção da amarra.

Arriba! : Brado para acordar os tripulantes que estão dormindo, ou para chamá-los para subir às enxárcias, ou mandar preparar-se para arribar.

Arribada : Quando uma embarcação, por qualquer motivo, entra num porto que não é de seu destino, nem de sua escala.

Arribada Forçada : Entrada de um navio em porto diverso do seu destino, para abrigar-se do mau tempo, ou por outros motivos que o impeçam de continuar a viagem. Contrária à arribada voluntária, ocorre por circunstâncias alheias à vontade do capitão do navio. São causas justas para arribada forçada: falta de víveres ou aguada; qualquer acidente acontecido à equipagem, carga ou navio, que impossibilite este de continuar a viagem; temor fundado de inimigo ou pirata.

Arribada Voluntária : Entrada de um navio em porto que não é de seu destino, nem de sua escala. Segundo Silva Costa, ela resulta de única e exclusiva vontade do capitão do navio.

Arribar : Afastar-se da linha do vento. Também entendido como desvio de rota em decorrência de tempestade. Este tipo de desvio é chamado de arribada forçada.

Arrojo : Restos de naufrágios que vão parar na praia.

Arrumação : 1) Modo de arrumar de maneira metódica a carga que vai ser transportada em um navio, o qual obedece a normas especiais contidas na lei comercial. A arrumação é de grande importância para a estabilidade da embarcação e para evitar a ocorrência de avarias. 2) Diz-se também do conjunto de sinais atmosféricos pêlos quais os marítimos conhecem a direção em que existe terra.

Arrumador : Aquele que se encarrega de movimentar ou arrumar a carga no porão do navio. É também chamado de estivador.

Arrumar : Modo de bem distribuir ou colocar a carga no navio.

Arte de Marinheiro : Arte de aparelhar um navio a contento.

Arvorar : Içar uma bandeira no navio.

Árvore : Mastro ou pela do mastro de um navio.

Árvore Seca : Diz-se de um mastro que não tem vela.

Arvoredo : Diz-se da mastreação do navio.

Asa de Pomba : Termo usado pelos marinheiros dos barcos mercantes à vela, quando a embarcação navega com vento de popa e as velas dos barcos se abriam para ambos os bordos.

ASD: Abreviatura de Azimuthal Stern Drive - Propulsão Azimutal de Popa. Tipo de propulsão realizada por hélices montadas em tubuções que giram 360º. Normalmete instaladas em rebocadores potuários e de apoio marítimo (offshore).

ASF : Abreviatura de Additional Secondary Factor - Correções a serem aplicadas quando se plota as posições do Loran C nas cartas, devendo-se levar em conta as variações da condutividade da superfície terrestre sobre a qual os sinais passam.

Aspiração - Inlet : Abertura feita na Carena para permitir a admissão de água em uma válvula de tomada do mar.

Astrolábio : Instrumento de navegação antigo usado para medir o ângulo que o sol faz com o horizonte, estando o observador no vértice do ângulo.

Astronomia Náutica : A astronomia náutica permite a quem está no exercício de uma navegação astronómica a resolução de fàtores ligados à orientação no mar.

Atracação - Mooring or Docking : Ato ou efeito de um navio atracar num porto ou terminal privativo, a fim de realizar a operação de carregamento e descarregamento de mercadoria. Conforme estabelece a tarifa dos portos, na tabela 'B' de taxas devidas pelo armador, "é a vantagem que usufruem os navios de utilizar-se do cais, ou pontes de acostagem, para realizarem diretamente, de ou para terra, suas operações de carga ou descarga".

Atracado - Moored : Quando um navio está atracado ou encostado a um cais ou a outro navio. Quando isto ocorre, diz-se que o navio está a contrabordo deste.

Atracar - Dock (to): Encostar em outra embarcação (contrabordo), de um molhe ou de um cais, para embarque ou desembarque de pessoas ou mercadorias, fixando a embarcação por meio de cabos ou espias, para não jogar com o balanço provocado pelas ondas.

Atravessar : 1) Diz-se da embarcação que perde o rumo que seguia. 2) Dar o costado ao vento e ondas.

Auto-Guindaste : Denomina-se um equipamento utilizado nos portos, dotado de flexibilidade e mobilidade. É autopropulsor, possuindo grande capacidade de movimentação de carga tanto horizontal como verticalmente. Este equipamento tem sua utilização mais intensamente encontrada nas operações de embarque e desembarque de cargas pesadas. Existem três tipos básicos de autoguindaste: guindaste sobre caminhão ou truck sua capacidade varia de cem a 180 toneladas; guindaste sobre rodas - sua capacidade gira em torno de 35 toneladas; e o guindaste sobre esteiras, cuja capacidade varia de 150 a 250 toneladas.

Autonomia - Endurance : É o tempo máximo e/ou distância máxima que uma embarcação pode permanecer navegando sem necessidade de reabastecimento de viveres e/ou combustível.

Avanço: Impulso ou marcha da embarcação para a frente.

Avante (AV) - Forward : Parte do navio em direção à proa.

Avaria - Damage: Prejuízos e danos causados aos navios e mercadorias, por violência, choque ou outras causas diversas.

Aventureiro : Denomina-se um navio comercial que em tempo de guerra se arrisca, expondo-se ao apresamento.

Aviso - Despatch Vessel : Navio ligeiro, de marinha de guerra, encarregado de levar ordens, correspondências ou volumes das autoridades para os seus delegados. Esse navio de guerra é de pequeno porte, dotado de pouco ou nenhum armamento.

Axiômetro : Aparelho do navio dotado de mostrador e ponteiro, colocado junto à roda do leme a fim de indicar o seu ângulo (do leme).

Azipod : É um sistema de propulsão de alguns navios, sobretudo paquetes e navios quebra-gelo. O seu nome provém do inglês e ainda não tem tradução para o português. Consiste num motor elétrico do estilo "fora-de-bordo", acoplado ao casco do navio que tem a capacidade de girar 360º. Este fato elimina a necessidade de leme já que ao dirigir o azipod dirige-se igualmente o fluxo de água.

 


B

B : Bandeira BRAVO. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Estou carregando ou descarregando ou transportando carga perigosa".

BRAVO

Bacalhau - Patch : Remendo de chapa ao Chapeamento já existente, utilizado para tapar um buraco ou fresta.

Bacalhoeiro : Navio empregado no transporte ou na pesca de bacalhau.

Bacia de Evolução : Local instalado previamente nas proximidades do cais, dotado de dimensões e profundidades adequadas, cuja finalidade é fundear e manobrar as embarcações.

Bacia Marítima : Designa o conjunto das vertentes que circulam em volta de um mar anterior.

Baía : Acidente geográfico ou qualquer lugar côncavo do litoral onde se possa aportar. É de grande significação na organização e instalação de um porto.

Bailéu : Pavimento existente no navio que é usado como paiol ou para fins semelhantes. Entretanto, na marinha de guerra, o nome é utilizado para designar prisão celular.

Bainha - Seam : 1) Lado maior de uma chapa retangular; 2) Emenda de duas chapas retangulares ao longo dos seus lados maiores.

Baixa : Parte de um rio ou mar com pouca profundidade.

Balanço - 1) Overhang; 2) Rolling, Pitching : 1) Projeção ou prolongamento de uma estrutura além de sua base de sustentação; 2) Movimento pendular da embarcação, nos planos longitudinal ou transversal, causado pelas ondas do mar.

Balanço de Popa - Stern Overhang : Designa-se a parte da popa por ante-a-ré da quilha.

Balanço de Proa - Bow Overhang : Designa-se a parte da proa que se projeta por ante-a-vante da quilha.

Balanço Longitudinal - Dogsleep, Pitch : Balanço de uma embarcação no sentido de proa a popa.

Balanço Transversal - Roll, Rolling : Balanço de uma embarcação no sentido de um a outro bordo.

Balaustrada - Rail, Open Rail : Conjunto dos Balaústres, correntes, cabos de arame, vergalhões ou tubos que guarnecem a Borda dos navios, para proteção do pessoal.

Balaustre - Stanchion : Colunas ou hastes metálicas (fixas, desmontáveis ou rebatíveis) que sustentam o Corrimão da Borda ou os cabos de arame ou, ainda, as correntes que guarnecem a Borda de um navio, uma escada, uma plataforma, ou uma Braçola de Escotilha.

Balde : Recipiente que se utiliza para esgotar as águas da embarcação.

Baldeação : Refere-se à transferência de mercadorias de um navio para outro, podendo utilizar ou não embarcações auxiliares e, também, poderá não ser incluída nas 'toneladas transportadas'. Diz-se ainda da lavagem que se executa a bordo dos navios, jogando baldes de água no convés e esfregando com o auxílio de vassouras.

Baleeiras - Whale Boat, Life Boat : Pequenas embarcações utilizadas geralmente com equipamentos salva-vidas por suas boas qualidades náuticas, mesmo em mar grosso; por sua durabilidade e resistência; pela facilidade de arrumação a bordo; pela facilidade nas suas manobras utilizando-se poucos homens para içá-la e arriá-la quando necessário e finalmente pela relação tamanho-capacidade para o transporte de passageiros.

Balizamento : Ato ou efeito de utilizar a bóia ou balizas com finalidade de assinalar ou demarcar canais, lagos, vaus etc.

Baliza - Station, Frame Station, Frame : 1) Linha de contorno de uma Seção Transversal moldada da embarcação. 2) Peça em geral de forma curva, de dois ramos simétricos em relação à Mediânia, disposta no sentido transversal da embarcação, servindo para dar forma ao Casco.

Baliza - Pillar : Bóias, marcas e outros equipamentos de sinalização das águas, que servem de referência para a navegação.

Baliza de Pau de Percha - Fore Peak Frame : Primeira Baliza do navio a contar da Proa.

Baliza de Ré - After Frame Station : Qualquer Baliza do Corpo de Popa, por ante a ré do Corpo Paralelo Médio.

Baliza de Vante - Fore Frame Station : Qualquer Baliza do Corpo de Proa, por ante a vante do Corpo Paralelo Médio.

Baliza Direita - Vertical Frame : Baliza em que os ramos são paralelos ao Plano Diametral. As Balizas Direitas tem o formato de um U.

Baliza Mestra - Main Frame Station : Baliza correspondente à Seção Mestra do navio, cuja forma mantem-se invariável ao longo do Corpo Paralelo Médio.

Baliza Revirada - Inclined Frame : Baliza em que os ramos são oblíquos ao Plano Diametral. Tem geralmente a forma de V e são as Balizas dos Delgados.

Balroa : Espécie de gancho ligado a cabos, empregando-se vários deles para abordar uma embarcação.

Balsas: Flutuantes especiais de pequeno porte que são utilizados como equipamento de salva-vidas geralmente de forma elítica, construídos em madeira, metal ou borracha. Este equipamento não podem ser usados para outros fins.

Balso - Bowline : Descanso do pé de um Turco rotativo ou do mangual de uma Lança, Carangueja, etc.

Bancada : Peças colocadas transversalmente no interior da embarcação, que servem para os tripulantes e passageiros se sentarem.

Banco : Região coberta a pouca altura pelas águas. Chama-se também de baixio.

Banco de Governo : Banco existente nas embarcações, onde o mestre descansa as pernas.

Banda - Heel, List : Inclinação de uma embarcação para um dos seus bordos, proveniente de má distribuição de pesos.

Bandeira Amarela : Bandeira QUEBEC que, içada no navio, denuncia que há epidemia a bordo.

Bandeira da Embarcação : Bandeira que indica a nacionalidade do país onde a embarcação está inscrita, independentemente da origem da sua carga.

Bandeira de Combate : Bandeira nacional, içada na popa dos barcos de guerra.

Bandeira de Contra-Senha : Bandeira usada por nações beligerantes aliadas a fim de que possam identificar as embarcações a distância. Na marinha mercante, a bandeira do porto de destino objetiva identificar a embarcação pêlos armadores ou signatários.

Bandeira de Guerra : Bandeira nacional, hasteada nas fortalezas e na marinha de guerra.

Bandeira de Livre Prática ou Quarentena : Bandeira QUEBEC que é hasteada no topo do traquete de uma embarcação, até que seja feita a visita da saúde.

Bandeira de Morte : Bandeira preta, içada pêlos navios piratas.

Bandeira de Pólvora : Bandeira vermelha que é içada nos navios que transportam inflamáveis.

Bandeira de Proa : Bandeira que é içada no navio em dias festivos.

Bandeira de Registro : A que indica o porto marítimo em que o barco está registrado.

Bandeiras de Sinalização : Conjunto de bandeiras, em tecido, em cinco cores: branco, azul, vermelho, amarelo e preto, usadas no Código Internacional de Sinais. O uso das bandeiras de sinalização para transmissão de mensagens requer pessoal especialmente adestrado para tal e é adotado sobretudo pelas marinhas de guerra. São 26 bandeiras para as letras do alfabeto, uma bandeira-distintivo do código, três bandeiras repetidoras de letras e dez bandeiras para os numerais, de um a zero.

Bandeira Mercante : Bandeira nacional usada pêlos navios da marinha mercante.

Bandeira Parlamentar : Bandeira içada no mastro do navio que se destina a parlamentar com o inimigo.

Barataria : Terminologia própria do direito marítimo. É o crime cometido pelo capitão do navio ou sua tripulação, do qual resulta dano à carga do navio (Código Comercial Brasileiro). É todo e qualquer ato de caráter criminoso ou contrário ao cumprimento do dever, praticado pelo capitão, no exercício das suas funções, ou pela tripulação, ou por ambos, do qual decorra dano ao navio, à carga ou aos passageiros.

Barbeta - Barbette : Couraça do Reparo de um canhão.

Barca : Embarcação que serve para transportar passageiros e carga, comum no rio São Francisco, passível de ser usada com ou sem vela. Entende-se também, o instrumento que serve para medir a velocidade de um navio.

Barca-Farol : Embarcação dotada de um farol e fundeada em local perigoso em que, por algum motivo, não é possível a construção de um farol definitivo.

Barcaça - Barge, Lighter : Embarcação, geralmente de madeira, podendo possuir ou não cobertura dotada de velas e empregada para o transporte de cargas que se destinam aos navios ancorados no porto ou ainda a regiões costeiras; pode ser movida a vela ou a vapor. O mesmo que alvarenga, batelão e chata.

Barcaça LASH : Denomina-se uma embarcação, sem propulsão, de forma retangular, com fundo chato e modular, utilizada nos serviços de unitização de cargas, seja ovada ou desovada. A utilização desta embarcação permite, também, diminuir os sustos de embarque e desembarque das mercadorias, reduzindo, assim, o tempo de espera do navio no porto.

Barco: Tem o mesmo significado de Embarcação, ou seja, qualquer construção feita em materiais apropriados de modo à flutuar e destinada a transportar pela água pessoas e coisas.

Barco-Farol : Tipo de embarcação que fica flutuando no porto ou perto da margem com um farol aceso, a fim de guiar os navios que aportem durante a noite.

Barco Salva-vidas : Embarcação que serve para salvar os náufragos. Algumas destas embarcações têm a propriedade de voltar automaticamente à posição natural, no caso de virarem.

Barlavento : Lado onde sopra o vento. A abreviatura usual é BV.

Barqueiro : Aquele que governa ou possui um barco, para transportar passageiros e carga.

Barquilha : Instrumento de madeira em forma de quadrante ou de triângulo, fixo a um cordel, que lançado da pdpa de um navio calcula a velocidade de sua marcha.

Barra : Banco de areia, cascalho etc. que se forma na embocadura dos rios ou portos, que na maioria das vezes impede a navegação.

Bartedouro : Tipo de pá estreita, usada em pequenas embarcações, para retirar a água.

Base Naval : Porto preparado para o abastecimento e reparos das unidades navais, cuja importância se condiciona à proximidade ou afastamento dos pontos geográficos estratégicos.

Batelão - Barge, Lighter : São embarcações robustas, construídas em madeira ou em aço com fundo chato, empregadas para desembarque ou transbordo de carga nos portos. O mesmo que alvarenga.

Batente - Rudder Stop : Entalhe na Madre do Leme, para limitar o ângulo que o Leme pode ser carregado para cada Bordo.

Bateria : Cada uma das pontes de um navio guarnecidas com as peças de artilharia.

Batimento de Quilha - Keel Laying : Cerimônia na qual a primeira peça estrutural que integrará o navio é posicionada no local de sua construção.

Batoque - Pad, Plug : Pequeno tampão de madeira, em forma de rolha, empregado para cobrir o furo aberto para entrada do parafuso de fixação das tábuas do Costado ou do Convés. O mesmo que Rolha.

Beaufort, Escala de : Escala que leva o nome de seu idealizador, o almirante inglês sir Francis Beaufort (1774-1857). Sua utilidade é de suma importância quando ligada à experiência do navegador, permitindo-lhe avaliar o grau de segurança possível para navegar sob um vento de certa força.

Beiço: Componente do Escovém; parte que sai do convés, feito em chapa de aço ou fundido.

Beliche: Cama para uso em embarcações, pode ser Simples (para uma só pessoa), Duplo (para casal) ou de Superpor (um sobre o outro).

Belonave : O mesmo que navio de guerra.

Berço - 1) Jig; 2) Cradle : 1) Armação carenada, sobre a qual é montada uma unidade estrutural, de forma tal que, após a soldagem de seus elementos, a unidade tenha a forma necessária para compor uma parte do Casco do navio. 2) Suporte preso a um Convés, Estrado, etc.

Berço Giratório - Tilting Jig : Berço que pode girar em torno de um eixo horizontal, o que permite que, durante a montagem de uma Unidade Estrutural, a soldagem seja facilitada.

Bicha - Downhaul :Cabo usado para tensionar a valuma da vela.

Bico de Proa - Fore Peak, Nose : Parte extrema da Proa de uma embarcação.

Bigota : Espécie de moitão chato sem roldana e com furo, por onde passa um cabo. Normalmente usada nos antigos veleiros para esticar as enxárcias.

Bilhete de Carga e Embarque : Também chamado de despacho alfandegário ou de saída de mercadorias, designa o escrito que é remetido pelo chefe de repartição ao conferente que vai dar saída às mercadorias, para que o cumpra. Com a rubrica deste, será, a seguir, o bilhete de despacho, que serve também como bilhete de descarga, no local de destino das mercadorias. Antes de ser apresentado ao conferente, esse bilhete deve passar pelo porteiro, que, depois de registrar o seu número e data no protocolo geral, o encaminhará ao seu destino, para o devido cumprimento (cf. de Plácido e Silva, Dicionário jurídico).

Bimbo : Peça, de ferro ou de madeira, que atravessa a boca do porão e serve de apoio para a tampa do mesmo.

Blindagem - Armor Plating : O mesmo que Couraça.

Bloco Estrutural - Structural Block : Conjunto de Unidades Estruturais edificadas na Carreiro. Formam a estrutura do navio entre duas Seções Transversais, compreendendo uma Unidade de Fundo e Unidades de Costado, de Convés e de Antepara.

Bloqueio : Operação que consiste em impedir a entrada de um navio num porto em país inimigo, de reforços, mantimentos, munições etc. O bloqueio se exerce geralmente por intermédio de força armada, através dos navios de guerra, cuja missão é impedir qualquer comunicação com os portos de um país, a fim de evitar o seu reabastecimento. Circunscreve-se não só aos navios do país bloqueado, como ainda aos de outros países. Os navios que procuram transpor o bloqueio estão sujeitos ao apresamento e a outros perigos decorrentes da tentativa.

Boca - Breadth : É a largura da seção transversal a que se referir; a palavra boca, sem a referência à seção em que foi tomada, significa a maior largura do casco e, por isso mesmo, é a medida da seção mestra.

Boca Extrema - Extreme Breadth : O mesmo que Boca Máxima.

Boca Máxima - Extreme Breadth : É a maior largura do casco medido entre as superfícies externas do forro exterior, ou seja, é a largura externa máxima da embarcação.

Boca Moldada - Moulded Breadth : Boca medida entre as faces exteriores das Cavernas, excluindo a espessura do chapeamento exterior. Quando não for feita referência à seção específica, significa Boca Moldada na Seção-Mestra.

Boças de Amarra: Têm como função aguentar a amarra com o navio fundeado ou quando a âncora estiver no escovém de viagem, entre outras situações.

Bochecha - Bow : Parte curva do costado do navio, de ambos os bordos, próxima à terminação de proa da quilha ou roda de proa. O mesmo que amura.

Bóias: Flutuadores de forma cilíndrica, esférico, cônico, etc., utilizadas para diversas finalidades, balizamento, marcação do local da âncora entre outros. Bóias salva-vidas, são equipamentos salva-vidas construídas em cortiça maciça ou outro material equivalente, utilizadas para o salvamento de uma única pessoa.

Bojo - Bilge : Parte da carena, formada pelo contorno de transição entre a parte quase horizontal, ou fundo do navio, e sua parte quase vertical.

Bolina - Centerboard, Bilge Keel : Chapas ou estruturas planas colocadas perpendicularmente em relação ao forro exterior, na altura da curva do bojo, no sentido longitudinal, uma em cada bordo das embarcações de modo a amortecer a amplitude dos balanços. As bolinas são empregadas em navios modernos de qualquer classe, são mais efetivas nos navios que tem pequena amplitude de balanço, pode-se dizer que diminuem de metade a amplitude das oscilações do navio. Bolina é também o nome da chapa plana e resistente, em forma de faca, colocada verticalmente por baixo da quilha das embarcações de pequeno porte de propulsão a vela e servem para reduzir a inclinação e o abatimento da mesma quando navegando a vela.

Bolina Ativa - Active Anti-Rolling : Peça móvel dos aparelhos estabilizadores com que são dotados alguns navios. Servem para amortecer os balanços transversais.

Bolina Lateral - Bilge Keel : Chapa ou estrutura fixada perpendicularmente ao Forro Exterior da Carena, na altura da curvatura do Bojo, no sentido longitudinal, uma em cada Bordo, com a finalidade de amortecer os balanços laterais. O mesmo que Quilha de Balanço.

Bolinete - Windlass : Guincho especial, usado na manobra das Âncoras, Amarras e espias. O mesmo que Molinete.

Bolsa de Tala : Reforços costurados a vela usados para acomodar as talas.

Bombordo - Portside : Denomina-se o lado esquerdo do navio, olhando-se para a proa. O bombordo corresponde à parte em que fica a equipagem, enquanto que o bordo oposto ou estibordo é reservado ao comandante e à oficialidade. A expressão 'de bombordo a boreste' significa: de lado a lado. O bombordo é designado pela abreviatura BB.

Bonança : Diz-se do tempo calmo, favorável à navegação, depois de uma tempestade.

Borboleta - Bracket : Pedaços de chapa em forma de esquadro, que servem de ligação de dois perfis, duas peças quaisquer, ou duas superfícies que fazem ângulo entre si.

Borboleta do Vau - Beam Knee : Borboleta localizada entre um Vau e uma Caverna.

Borda - Board, Edge : Limite superior do costado e termina na altura do convés.

Borda Falsa - Bulwark : Parapeito que se ergue acima dos Conveses expostos ao tempo, com a finalidade de dar proteção ao pessoal e ao material, evitando que caiam ao mar.

Borda Livre - Free Board : Distância vertical entre a superfície da água e o Convés da Borda Livre, medida em qualquer ponto da extensão do navio. A expressão Borda-Livre sem outra qualificação, refere-se ao menor valor da Borda-Livre.

Bordejar : Velejar contra o vento usando uma série de cambadas.

Bordo - Side, Shipboard : São os lados da embarcação. As partes simétricas em que se divide um casco pelo plano diametral. A parte à direita chamamos (BE) boreste (no português de Portugal é estibordo), a parte à esquerda chamamos (BB) bombordo.

Boreste - Starboard : Parte direita da embarcação, a partir de seu plano diametral, supondo o observador de costas para a popa, olhando para a proa. O boreste é designado pela abreviatura BE.

Borla - Truck : Peça circular chata que arremata o Tope de um Mastaréu, Mastro, Pau de Bandeira, etc. tendo gornes por onde passam as adriças de bandeiras e flâmulas.

Bosso do Eixo - Propeller Boss : Saliência formada na Carena de alguns navios em torno do eixo do Hélice.

Botes: São pequenos Escaleres, a remo ou a vela, utilizadas como equipamentos salva-vidas e para serviços leves no porto.

Braça : Unidade de medida inglesa, equivalente a 1.829m ou seis pés, usada para medir o comprimento de amarras e cabos, ou a profundidade da água.

Braçadeira - Clamp : Peça de metal que abraça uma haste, canalização ou outra peça qualquer, com a finalidade de fixá-la a uma Antepara, piso, teto, etc.

Braço - Arm : Cada um dos dois ramos da barra de ferro que forma a âncora.

Braço - Futtock : Parte da Baliza imediatamente acima da Caverna.

Braço de Mar ou de Rio : Parte estreita de mar ou rio.

Braçola - Coaming : Chapa vertical colocada no contorno de uma Escotilha, Escotilhão ou Agulheiro, destinada a suportar a sua tampa e impedir a passagem de água ou de objetos diversos para o compartimento inferior.

Braga - Clench Plate : Gato de Escape ou Manilha com que se prende a Amarra a seu Paiol.

Brandal : Cabo de aço estendido lateralmente até o topo do mastro, que impede o seu movimento para os lados.

Buçarda - Breasthook : Borboleta que faz a união dos Longitudinais do Costado, na Roda de Proa.

Bucha - Bushing, Gland : Caixa de gaxetas, ou peça de bronze, latão, material sintético ou pau de peso, destinada a impedir a entrada da água para o interior do Casco da embarcação pelos orifícios atravessados por eixos. Ex. Bucha do eixo propulsor, Bucha da Madre do Leme, etc.

Bucha do Escovém - Hawse Block : Peça de madeira ou de aço que se coloca no Escovém para evitar que a água penetre na embarcação por essa abertura.

Bujarrona : Vela de formato triangular presa ao estai de proa.

Bulbo - Bulb : saliência na proa das embarcações para reduzir a resistência ao avanço do casco na água.

Proa Bulbosa

Burro : Dispositivo usado para puxar a retranca para baixo.

Busca : Exame demorado e meticuloso que a autoridade fazendária ou policial realiza em todos os compartimentos do navio ou avião, por denúncia ou suspeita da existência de contrabando.

Bússola - Compass : Instrumento de orientação da navegação marítima ou aérea, que aponta permanentemente para o norte magnético, auxiliando o navegador a manter o rumo da embarcação.

Bússola Giroscópica - Gyro Compass : Indica o norte verdadeiro, situa-se em frente ao timão e pode ter repetidoras em outros pontos da embarcação.

Buzina ou Gaiteira - Chock : Peças de aço, com um vazado de forma elítica ou circular, fixadas junto a Borda, para servirem de guia aos cabos de amarração. Buzina Aberta e Buzina Fechada.

Buzina Aberta - Open Chock : Buzina aberta na parte superior, o que permite que se possa nela suportar e manter os cabos, pelo seio.

Buzina da Amarra - Chain Pipe : Tubo por onde passa a amarra, do convés para o paiol. É geralmente de aço fundido, de seção circular, um para cada amarra, com diâmetro igual a 7 ou 8 vezes a bitola da amarra.

Buzina da Roda - Forepeak Chock : Buzina localizada no Bico de Proa da embarcação.

Buzina de Cerração: Buzina acionada a eletricidade, ar comprimido ou a vapor.

Buzina do Painel - Towing Chock, Upper Stern Chock : Buzina localizada no Painel de Popa da embarcação.

Buzina Fechada - Closed Chock : Buzina fechada na sua parte superior, o que só permite que os cabos nela corram pelo chicote.

Buzina Panamá - Panama Chock : Buzina com forma, tamanho e localização especificados pelas Regras do Canal do Panamá. Destina-se a guiar os cabos de reboque durante a travessia do canal, nas passagens em que o navio é rebocado por locomotivas.



C

C : Bandeira CHARLIE. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Afirmativo, sim, concordo ou, ainda, "O grupo anterior deverá ser interpretado na forma afirmativa"".

CHARLIE

Cabeçada : Afundamento da proa na água, resultante do balanço da embarcação no sentido de popa e proa.

Cabecear : Ato ou efeito da embarcação entrar debaixo do vento, batendo a vela, sem poder governar-se. 2. Desviar a proa na direção da corrente.

Cabeço (navio) - Bitt (ship) : Colunas de ferro, de pequena altura, montadas aos pares e colocadas geralmente junto a amurada ou às balaustradas; servem para dar-se volta às espias ou cabos de reboque.

Cabeço (cais) - Bollard (quay) : Estrutura de ferro maciço, encravada no cais, ou aos pares, junto à amurada da embarcação, destinada a aguentar as voltas dos cabos de amarração.

Cabeço

Cabeço de Amarração - Mooring Bitt : Cabeço que se destina a dar volta às espias de amarração.

Cabedelo : Pequeno cabo ou cabeço de areia que se forma junto à foz dos rios e prolonga-se em direção ao mar.

Cabo: 1). Corda grossa, utilizada nas embarcações. 2) Direção da proa do navio em movimento.

Cabo da Amura : Cabo grosso empregado para amarrar os navios ao ancoradouro ou levá-los a reboque.

Cabo de Pinhas : Cada um dos cabos fixos por chicotes nas amuras dos navios e que servem para suspender as embarcações ao longo do costado.

Cabo de Portaló : Cabo enfiado em baluartes de metal e que serve para sustentar as escadas de portaló.

Cabo de Vaivém : Cabo que os navios passam por locais perigosos e serve de guia aos marinheiros e passageiros.

Cabo Fixo : Cabo de aparelhagem do navio e que sustenta a mastreação.

Cabo Solteiro : Cabo de navio que não tem aplicação especial, podendo ser empregado em qualquer necessidade.

Cabo Submarino : Cabo utilizado nas transmissões telegráficas ou telefónicas, colocado nos rios e no oceano.

Cabotagem: Entende-se como sendo a navegação costeira, feita em águas de um país. Devido aos acidentes geográficos próprios da costa, a cabotagem é considerada mais perigosa que a navegação em alto-mar.

Cábrea - Shears, Pontoon Crane, Crane Barge : Embarcação flutuante ou pontão sobre o qual existe montado um aparelho de manobras de pesos. E utilizada para embarcar ou desembarcar grandes pesos sem necessidade de atracar o navio ao cais; para transportar grandes pesos a pequenas distâncias; para retirar do fundo do mar objetos pesados ou embarcações submersas. Pode ser de dois tipos: com propulsão e sem propulsão.

Cábrea Acre

Cabrestante - Capstain : Aparelho constituído por um tambor de eixo vertical, acionado por motor elétrico (com transmissão mecânica ou hidráulica), máquina a vapor ou manualmente, destinado a içar Amarras ou espias, ou efetuar outras manobras de peso.

Cabrestante

Caça! : Voz de comando para que os marinheiros além as escotas de vela que se pretende caçar.

Caça-Minas - Minesweeper : Tipo de barco aparelhado para localizar e retirar minas submarinas. O mesmo que navio-varredor.

Caçamba - Clamshell or Grab : Equipamento dotado de duas ou mais garras, que funciona com o auxílio do guindaste e destinado ao carregamento e descarregamento de graneis sólidos das embarcações. Suas garras se fecham automaticamente ou semi-automaticamente quando pegam a porção de graneis.

Caçar : Ato de puxar a escota de uma vela, no senti do de melhorar sua exposição ao vento.

Cachimbo - Cowl : Tubo de ventilação vertical, colocado no Convés, com a extremidade curva terminando num plano aproximadamente vertical. Normalmente pode ser girado de forma a apresentar a sua abertura na direção de onde sopra o vento. Pescoço de Ganso e Cogumelo.

Cachopo : Recife ou elevação de pedra ou areia à flor da água, apenas imersa em maré alta, constituindo, assim, um perigo para a navegação.

Cachorro - Sliding Way : Parte inferior do Carro de Lançamento, que se apoia sobre o Trilho de Lançamento. Em geral é construído em seções, ligadas por uniões articuladas.

Cadaste - Stern Post : Peça montada na extremidade posterior da Quilha, fechando a Ossada do navio, a ré. Nos navios de um só Hélice pode haver Cadaste externo e Cadaste interno.

Cadernal : É um moitão com dois ou três gornes (roldanas).

Caimento - Rake : 1) Desvio do rumo original da embarcação e adoção de um andamento lateral, forçado por condições do vento ou da corrente. 2) Inclinação para a ré do mastro, cadaste etc.

Cair : Abrandar o vento ou o mar.

Cair a Ré : Navegar em sentido contrário ao seguido normalmente.

Cair a Um Bordo : Ademar para bombordo ou boreste por um período mais ou menos longo.

Cair em Calma : Diz-se assim, quando se tem que enfrentar uma calmaria.

Cair Sobre : Ação de ter o barco arrastado, por erro de manobra ou pelas condições do tempo e do mar.

Cais : Parte do porto onde atracam as embarcações, com a finalidade de efetuar embarques e desembarques de cargas e passageiros, constituindo um conjunto de berços.

Cais de Acabamento - Fitting-out Quay : Cais no qual o navio em construção fica atracado, desde o seu lançamento até as provas de mar, para instalação de equipamentos e serviços gerais de acabamento.

Caixa de Mar - Sea Chest : Abertura feita no Casco abaixo da Linha de Flutuação, destinada a suprir água do mar para os condensadores, bombas, etc., e para descarregar água dos vários sistemas do navio. Sua estrutura é fundida ou montada, possuindo meios de fixação.

Calado - Draught, Draft : Distância vertical entre a superfície da água - linha de flutuação ou linha-d'água - e a parte mais baixa da embarcação – a quilha ou então algum ponto mais baixo, como por exemplo, domo do sonar na condição na qual é feita a medida. Em geral, nos navios, à altura da roda de proa ou no cadaste, encontra-se uma escala de calado: graduação numérica escrita nos costados das embarcações (a vante, a ré, a bombordo e a boreste), para a leitura dos calados. Essa escala começa (número zero) na linha do fundo da quilha e é expressa em metros com aproximação de 0,5 dm, ou em pés ingleses, com aproximação de 0,5 pé, que indica o calado do navio, que depende do peso da carga e dos outros itens transportados pelo navio e da densidade da água, variando esta última com a salinidade e a temperatura. A linha do calado denomina-se, também, tirante de água.

Calado a Meio - Draft Amidships : É o calado medido na seção a meia nau, isto é, a meio comprimento entre as perpendiculares. ele nem sempre corresponde ao calado médio que é a média aritmética dos calados medidos sobre as perpendiculares a vante e a ré.

Calado a Ré - Draft Aft, After Draft : Calado no Cadaste. Em geral, os navios tem uma escala pintada em cada lado do Cadaste para a leitura direta do Calado a Ré.

Calado a Vante - Draft Forward : Calado medido na Roda de Proa. Em geral, os navios tem uma escala pintada em cada bordo da Roda de Proa para a leitura direta do Calado a Vante.

Calado d'Água : Profundidade mínima necessária para a embarcação flutuar sem perigo de encalhe, medida cuja determinação se baseia no conhecimento do tamanho do calado. O mesmo que Calado.

Calado Leve - Light Draft : É o calado do navio no seu deslocamento leve. O mesmo que calado mínimo.

Calado Máximo - Loaded Draft : É o calado do navio medido quando este estiver na condição de deslocamento em plena carga ou deslocamento máximo.

Calado Médio - Mean Draft : Calado médio é a média aritmética dos calados medidos sobre as perpendiculares a vante e a ré.

Calado Mínimo - Deep Load Draft : É o calado do navio medido quando este estiver na condição de deslocamento mínimo. O mesmo que Calado Leve.

Calado Moldado - Moulded Draft : O calado moldado, é aquele que se refere à linha da base moldada do casco. É utilizado no cálculo dos deslocamentos e para as consultas às curvas hidrostáticas da embarcação.

Calado Normal - Normal Draft : É o calado de uma embarcação, quando esta está em seu deslocamento normal.

Calafetar - To Calt : Tornar estanque uma Costura.

Calar : 1) Ato ou efeito de o navio encontrar profundidade. 2) Arriar os mastros ou vergas de uma embarcação.

Calar Água : Demandar certa altura de água que permita à embarcação flutuar.

Calcanhar - Heel : Parte saliente para ré formada no Fundo de alguns navios pelo pé do Cadaste e parte extrema posterior da Quilha.

Calcês - Head, Mast Head : Parte superior do Mastro, onde é preso Aparelho Fixo.

Calha do Porão - Limber : Cada um dos espaços laterais entre alguns Duplos Fundos e as Amuradas, para coleta e dreno das águas dos porões. Nota: alguns chamam erradamente de Dalas às Calhas de Porões.

Calha do Trincaniz - Gutter Waterway : Canal entre as Cantoneiras externa e interna do Trincaniz, nos navios que possuem Convés forrado de madeira por onde se faz o escoamento das águas do Convés.

Calhambeque : Tipo de embarcação costeira.

Calmão : 1) Diz-se do mar que está em calmaria. 2) Meia cabaça que serve para tirar água de uma vasilha ou do fundo de barcos.

Calmaria : Cessação completa dos ventos ou do movimento das ondas.

Camará : 1) Conjunto dos compartimentos de um navio de guerra onde se alojam seu comandante ou comandantes de força naval. 2) Seção, a bordo de um navio mercante, encarregada do serviço de intendência e hotelaria.

Camarim : São determinados compartimentos a bordo, nos quais se executam certos trabalhos especializados. Ex.: camarim de máquina, camarim de navegação etc.

Camarote : Compartimentos destinados a alojar de (01) um a (04) quatro tripulantes ou passageiros.

Cambada : Virada de bordo de um veleiro, recebendo vento pela popa. O mesmo que jibe.

Cambar : Tipo de manobra destinada a corrigir o rumo da embarcação e prepará-la para enfrentar uma iminente alteração do tempo.

Cambota : São as cavernas que estruturam e armam a popa da embarcação.

Caminho Úmido : Diz-se de um rumo marítimo ou fluvial.

Campanha : Tempo de duração da saída até a volta de um barco de pesca no porto.

Cana do Leme : Alavanca de metal ou madeira, encaixada na cachola do leme, pela qual se imprime movimento ao leme. Chama-se também barra do leme.

Cana do Leme

Canal - Channel : 1) Parte navegável da via marítima ou a passagem estreita, cavada por processo natural ou artificial, separando dois trechos de costa, ilhas, rochedos etc., com largura ainda suficiente para permitir a navegação. 2) Porção de água entre duas terras, ligando dois mares; estreito; braço de mar ou de rio, por meio do qual as águas são desviadas para servirem a trabalhos industriais ou agrícolas.

Canal de Acesso - Access Channel : Canal que liga o alto-mar com as instalações portuárias, podendo ser natural ou artificial e dotado de profundidade adequada além da devida sinalização, com o objetivo de dar acesso das embarcações ao porto.

Canhoneira : 1) Embarcação ou navio de guerra, de ataque ou defesa. 2) Navio de guerra, de calado reduzido, empregado em operações militares, em regiões costeiras ou fluviais.

Canoa - Canoe : São pequenos Escaleres, embarcações leves a remo, de formas finas com popa chanfrada, utilizada para serviços leves no porto.

Canoa

Cantoneira - Angle Bar : Perfil em forma de Abas iguais ou desiguais.

Cantoneira de Contorno - Boundary Angle : Cantoneira disposta em torno de uma Antepara estanque, Escotilha, Túnel, etc., com a finalidade de manter estanqueidade da junta.

Cantoneira Invertida - Reversed Frame : Uma das Cantoneiras que formam a Hastilhas Abertas. Em Cavernas com Chapas-Hastilhas é usada como reforço destas, sendo fixada na sua aresta superior. Uma das Cantoneiras que forma a Baliza; é utilizável ainda como reforço desta ou da Chapa-Hastilha.

Cantoneira Principal - Frame Angle Bar : Cantoneira da Hastilha Aberta, fixada ao Chapeamento do Casco. Cantoneira da Baliza do navio ligada ao Chapeamento do Casco. Ela forma a Caverna, contornando o Fundo.

Capa : Conjunto de medidas a que se recorre ao navegar sob mau tempo. Em náutica, a "capa” significa com pouco pano, durante o mau tempo.

Capacidade Cúbica ou Cubagem - Cubic Capacity : Volume dos espaços cobertos realmente utilizáveis para a carga. Seu valor é quase igual à tonelagem líquida; exprime-se em metros cúbicos ou em pés cúbicos, a não ser dos petroleiros, que se medem por barris (l barril = 158,984 litros = 42 galões americanos = 34,97 galões ingleses). Nos navios cargueiros, os planos de bordo indicam a cubagem de cada coberta e de cada porão para carga a granel e para carga de fardos. A cubagem para carga a granel representa o espaço interno total do compartimento, deduzido o valor ocupado pelos vaus, cavernas, pés-de-cameiro, tubulações e obstruções semelhantes. A cubagem para fardos é medida entre o fundo do porão e a aresta inferior dos vaus, e lateralmente entre as sarretas (que cobrem internamente as cavernas), deduzindo-se as carneiras, tubulações etc.

Capacidade de Carga - Cubic Capacity : Volume dos espaços cobertos do navio, realmente utilizáveis para carga. É expressa em metros cúbicos ou pés cúbicos, exceto em petroleiros, onde pode ser expresso por barris.

Capacidade de Carga a Granel - Grain Cubic Capacity : Volume do espaço interno do compartimento de carga do navio, medido entre o fundo do porão e a aresta inferior dos vaus, deduzindo-se cavernas, tubulações e obstruções semelhantes existentes no interior do compartimento medido.

Capacidade de Carga em Fardos - Bale Cubic Capacity : Volume do espaço interno do compartimento de carga do navio, medido entre o fundo do porão e a aresta inferior dos Vaus e, lateralmente, entre as Sarretas que cobrem internamente as Cavernas, dele deduzido o volume dos Pés-de-Carneiro, tubulações e obstruções.

Capataz : Diz-se do chefe de um turno ou turma de estivadores.

Capatazia : Serviço de movimentação de mercadorias, realizado por pessoal da administração do porto (tabela 'C' de taxas devidas pelos donos da mercadoria).

Capear : Executar um conjunto de manobras que permita à embarcação resistir a um temporal.

Capitânia : Diz-se da nau em que vai o capitão ou comandante de uma esquadra. Designa-se, também, o navio principal de um país.

Capitania dos Portos - Port Captaincy : Órgão subordinado à Diretoria de Portos e Costas do Ministério da Marinha do Brasil, competindo-lhe a regulamentação de assuntos referentes à navegação, pesca, praias etc., com base no Regulamento do Tráfego Marítimo e nas convenções internacionais firmadas pelo país.

Capitão : A palavra 'capitão' é empregada no Regulamento do Tráfego Marítimo, genericamente, para designar a pessoa que dirige, comanda e que é responsável pela embarcação, seus efeitos e disciplina. O capitão é a autoridade suprema de bordo, à qual está sujeita a tripulação, que lhe deve estrita obediência em tudo relativo ao serviço da embarcação.

Capitão Amador : Pessoa maior de 21 anos habilitada a conduzir embarcações a vela e a motor, de esporte e recreio, em águas nacionais e estrangeiras - cruzeiros internacionais.

Capitão de Navio : Profissional aquaviário que dirige e comanda um navio, na condição de preposto do armador.

Capuchana - Hood, Cover : Capa de lona ou de metal leve com que se cobre uma Meia-Laranja, Escotilha ou outra abertura do Convés, ou, ainda, um motor de embarcação miúda.

Caramanchão : Denominação dada nos antigos iates ao espaço à popa, onde fica o timão ou roda de leme. É o local onde ficam os aparelhos de governo da embarcação e seu centro de comando. Equivale ao cockipt dos modernos iates de lazer.

Carangueja - Gaff : Verga que se projeta do mastro em ângulo e sustenta a vela ou velas principais em barcos desse tipo de armação tradicional.

Carena - Bottom : É um terno empregado muitas vezes em lugar de obras vivas, mas significa com mais propriedade o invólucro do casco nas obras vivas. A superfície da carena somada a superfície do costado, representa a área total da superfície do casco.

Carenagem - Fairing : Ato de verificar e manter a continuidade da forma externa do Casco, durante a Montagem e a Edificação, evitando empenas e desalinhamentos.

Carga a Granel : Também denominada de graneis, é aquela que não é acondicionada em qualquer tipo de embalagem. Os graneis são cargas que necessitam ser individualizadas, subdividindo-se em granéis sólidos e graneis líquidos. São graneis sólidos: os minérios de ferro, manganês, bauxita, carvão, sal, trigo, soja, fertilizantes etc. São granéis líquidos: o petróleo e seus subprodutos, óleos vegetais etc.

Carga de Medição - Measurement Cargo : O mesmo que Carga Leve.

Carga de Peso Morto - Deadweight Cargo : O mesmo que Carga Pesada.

Carga de Retorno - Backload : Carga que se encontra a bordo de um navio, quando do seu regresso do porto de destino em direção ao porto de origem.

Carga de Trânsito : Diz-se da carga que, encontrando-se destinada a um determinado porto, é descarregada e, posteriormente, reembarcada em outro navio, que a conduzirá ao destino, geralmente por conveniência do armador.

Carga Frigorificada : Aquela que, para conservar suas qualidades essenciais durante o transporte, necessita ser refrigerada, isto é, guardada sob temperatura fresca constante, acima do grau de congelamento; ou congelada, ou seja, mantida sob temperatura abaixo do grau de congelamento. As principais cargas frigorificadas são: carnes, peixes, sucos, hortaliças e frutas.

Carga Geral - General Cargo : Designa qualquer tipo de carga não classificada no grupo de granéis, podendo ser ou não unitizada.

Carga Leve - Measurement Cargo : Carga cujo fator de estiva é igual ou superior a quarenta pés cúbicos por tonelada longa. Diz-se, também, carga de medição.

Carga Nacionalizada : Carga importada no estrangeiro que, após desembaraçada pela alfândega, se diz estar nacionalizada para consumo.

Carga Pesada - Deadweight Cargo : Carga cujo Fator de Estiva é menor que 40 pés cúbicos por Tonelada Longa. Seu frete é pago normalmente, pelo peso, medido em Toneladas Longas (1016 kg) ou em toneladas métricas (1000 kg), conforme o país. O mesmo que Carga de Peso Morto.

Carga Predominante : Carga que predomina em peso sobre as demais.

Carga Unitizada : Carga que é movimentada conjuntamente através de acessórios padronizados, a exemplo da carga em container, pallets e de barcaça lash.

Cargueiro - Cargo Ship : O mesmo que navio de carga.

Cargueiro a Frete - Tramp : Navio mercante de carga que não tem itinerário fixo, podendo destinar-se em cada viagem a qualquer porto onde haja carga a embarcar.

Cargueiro Regular - Liner : Diz-se do navio mercante de carga empregado numa linha regular de navegação, repetindo o mesmo itinerário em todas as viagens.

Carlinga - Mast Carling : Gola metálica, colocada no Convés ou numa Coberta, na qual se apóia o pé de um Mastro.

Carpinteiro : Vento marítimo que sopra nas costas do extremo sul do Brasil, chamado também de carpinteiro-de-praia.

Carregação - Loading : Ato ou ação de carregar o navio.

Carregador - Loader : Equipamento utilizado para carregamento de navios, existindo tipos para carga a granel e para carga em pacotes, fardos ou sacos.

Carregador de Navio - Ship Loader : Equipamento utilizado no carregamento e descarregamento de graneis sólidos estocados nas embarcações. O carregador é dotado de lança fixa ou móvel, eletromecânico.

Carregamento - Loading : O mesmo que carregação, significando o ato de carregar o navio. Também significa o conjunto de coisas que constitui uma carga.

Carregar : Ato ou ação de colher a vela. Em náutica, diz-se da ação de dar inclinação ao leme.

Carreira - Berth, Inclined Berth, Slipway : Plano inclinado onde um navio é edificado ou montado durante a construção ou, ainda, onde é encalhado para sofrer revisão ou reparos.

Carreira de Construção - Building Berth, Slipway : Carreira que se destina, principalmente, a navios em construção.

Carreta ou Chassis : Plataforma montada sobre rodas, utilizada para o transporte de carga.

Carro de Lançamento - Sliding Way : Estrutura móvel de madeira que sustenta o navio sobre o trilho de lançamento e o conduz até a água, durante o lançamento.

Carta de Corso : Patente conferida a capitães de navios mercantes para se armarem e poderem atacar inimigos.

Carta de Navegação: Mapas náuticos.

Carta Náutica - Nautical Chart : Representação gráfica das principais características de determinado trecho do mar, contendo o desenho do perfil da costa e de seus acidentes. A carta náutica esquematiza a profundidade das águas e a natureza do fundo, assinala a localização do fundo e a localização de canais, portos, ancoradouros, faróis e bóias de sinalização ótica ou acústica, e descreve a direção e a periodicidade dos ventos predominantes na região, tendo assim múltipla importância para a navegação costeira e de alto-mar. No Brasil, as cartas náuticas por região são editadas pela diretoria de hidrografia e navegação da Marinha.

Carta Partida : Também denominada carta de fretamento, diz-se do instrumento de contrato de locação ou frete de navios ou embarcações. Deriva do antigo hábito, pelo qual se partia ao meio o papel onde se escrevera o convencionado, permanecendo cada contratante com a metade, para evitar dúvidas futuras ou fraudes. Quando feita com a intervenção de corretor de navios, e por isso subscrita, ou quando escrita por tabelião, com testemunhas, vale como instrumento público (V. contrato de fretamento).

Carta Piloto: Carta que contém informações metereológicas, regime de correntes marítimas e ventos nas diversas épocas do ano.

Cartão : Tipo de embalagem em que são acondicionadas determinadas cargas que requerem manuseio e/ou condições especiais, como frutas, remédios etc.

Carteação : Processo para a obtenção do cálculo de estiva de um navio.

Carteal : Marcar a posição do navio na carta ou calcular o rumo a seguir e a rota feita.

Carvoeiro - Coaler : Barcaça ou casco velho que, nos portos, serve como depósito de carvão, para uso diário das lanchas a vapor, rebocadores etc.

Casa Quadrada - Parallel Middle Body : O mesmo que Corpo Paralelo Médio.

Casamata - Casemate : Parapeito encouraçado, fixo na estrutura de um navio de combate, servindo de proteção a um canhão de pedestal ou à sua guarnição.

Cascalho : Mistura de fragmentos de conchas, pedras e seixos como areia grossa, existente nas praias e em alguns trechos do fundo do mar. Aparece nas cartas náuticas como indicação da natureza do fundo, para lançamento da âncora.

Casco - Hull : É o corpo do navio sem mastreação, aparelhos acessórios ou qualquer outro arranjo. Sua principal característica de forma é ter um plano de simetria (plano diametral) que se imagina passar pelo eixo da quilha.

Caserna Flutuante : Navio ancorado num porto, destinado ao alojamento de tropas da marinha ou do exército.

Caso Fortuito : Diz-se de circunstâncias imprevistas, do que não se sabe; motivo relevante que possa acontecer; risco que poderá advir a uma mercadoria entregue a transporte. Os danos provenientes de caso fortuito são incidentes sobre as mercadorias transportadas.

Casqueiro : Braço de mar que separa a faixa norte ocidental da ilha de São Vicente do continente, no município de Santos, estado de São Paulo.

Castanha - Clamp : Peça de metal com um furo circular ou quadrangular, fixada no Costado, em uma Antepara ou em um Convés, destinada a sustentar ou a segurar o pé de uma Haste, Ferro do Toldo, Balaustre, etc.

Castelo - Castle : O mesmo que Castelo de Proa.

Castelo de Proa - Forecastle : Superestrutura na parte extrema da proa, acompanhada de elevação da borda.

Castelo (convés) - Castle Deck: Parte mais alta do convés do navio. Há três tipos de castelo: de proa, do meio e de popa; dá ao casco melhores condições para enfrentar o mar pela proa, pois aumenta a superfície emersa. O castelo do meio, central ou espardeque fica no centro do convés. O de popa é também chamado tombadilho.

Convés do Castelo

Cat : É o tipo mais primário de barco, cujo único mastro fica próximo à proa, carregando apenas uma vela. Espécie de barco ideal para iniciantes.

Catamarã - Catamaran : (do tâmil kattumaram < kattu, 'ligadura', + maram, 'pau') é a designação dada a uma embarcação com dois cascos (vulgarmente chamados "bananas"), com propulsão à vela ou motor, que se destaca por sua elevada estabilidade e velocidade em relação às embarcações monocasco. A sua origem é polinésia, e quando os navegadores europeus aí chegaram por mar, se surpreenderam com a grande velocidade dos catamarãs.

Catita : Pequena vela latina quadrangular que arma num mastro curto à popa.

Catraca : Um dispositivo mecânico ou elétrico usado para aumentar a capacidade de puxar um cabo.

Catraeiro : Tripulante ou dono de catraia. Tripulante de bote ou de qualquer embarcação pequena. O mesmo que barqueiro.

Catraia : Pequeno barco tripulado por uma só pessoa. A catraia é uma pequena embarcação a vela, empregada no transporte fluvial.

Catraia

Caturrar : Mergulhar a proa em consequência do balanço de popa a proa, ou arfagem. Diz-se, também, arfar.

Caturro - Scend : Soerguimento da proa da embarcação, no Balanço Longitudinal.

Cavado : Diz-se do mar quando apresenta ondas e curvas com grandes cavas.

Cavername: É o conjunto de peças que dão forma ao casco da embarcação, quilha, sobrequilha, hastilhas, cambotas, roda de proa, cavernas, vaus, longarinas, trincanizes, sicordas, etc. excetuando-se o tabuado nos navios construídos em madeira ou o chapeamento nos navios construídos em aço. É o esqueleto a ossada do navio.

Caverna - Frame : Peça de reforço colocada transversal ou longitudinalmente, formando o arcabouço do navio e servindo para dar apoio ao Forro Exterior e manter a forma do Casco. É chamada Caverna Transversal ou Caverna Longitudinal, segundo sua posição.

Caverna Alta - Rising Floor : O mesmo que Hastilha Alta.

Caverna Composta - Built-Up Frame : Caverna formada pela união de várias peças entre si.

Caverna de Gelo - Ice Frame : Caverna Intermediária colocada na região da Proa dos navios destinados à navegação no gelo.

Caverna Gigante - Web Frame : Caverna Composta, de maior Escantilhão, geralmente formada por uma alma de chapa com flange de Cantoneira ou barra chata soldada colocada com maior espaçamento do que as Cavernas normais.

Caverna Intermediária - Intermediate Frame : Caverna de menor Escantilhão, colocada entre as Cavernas normais, para reforço de determinadas regiões do Casco.

Caverna Longitudinal - Longitudinal Frame : Caverna colocada no sentido longitudinal da embarcação. Também chamada, simplesmente, de Longitudinal.

Caverna Mestra - Main Frame : Caverna correspondente à Seção Mestra da embarcação.

Caverna Normal - Ordinary Frame : Caverna de Escantilhão regulamentar, colocada como Espaçamento normal prescrito pelos regulamentos de construção.

Caverna Obrigada - Bent Frame : Caverna de madeira cuja curvatura é obtida forçando-a na sua posição, após aquecida a vapor.

Caverna Reforçada - Deep Frame : O mesmo que Caverna Gigante.

Caverna Serrada - Sawn Frame : Caverna de madeira cujos Braços são formados de peças curvas serradas. Caverna formada por um só Braço, na construção de madeira.

Caverna Transversal - Transverse Frame : Caverna colocada no sentido transversal com relação ao Plano Diametral da embarcação. Também chamada simplesmente de Caverna.

Cavername - Framing : Conjunto das Cavernas de uma embarcação.

CB - Crewboat : Embarcação utilizada no transporte rápido da tripulação e de outras equipes que atuam nas plataformas.

Celeuma : Vozerio que fazem os marinheiros, quando trabalham juntos para levantar ferro ou executar outras fainas. Celeuma é também o canto dos remadores.

Centro de Carena ou de Volume (CC) - Center of Buoyancy : É o centro de gravidade do volume da água deslocado por um navio. É o ponto de aplicação da força chamada empuxo. Quando o navio estiver aprumado este ponto encontra-se na linha definida pela intersecção do plano diamentral com o plano transversal da embarcação. O centro de carena estará num ponto desta linha, sempre abaixo da linha d'água.

Centro de Empuxo - Center of Buoyancy : O mesmo que Centro de Carena.

Centro de Flutuação (CF) - Center of Flotation : É o centro de gravidade da área de flutuação de um navio. Para cada área de flutuação de um navio, defini-se o seu centro de flutuação.

Centro de Gravidade (CG) - Center of Gravity : Definição em mecânica - O centro de gravidade é o ponto de aplicação da resultante de todos os pesos de um corpo qualquer. Assim, a soma dos momentos de todos os pesos em relação a qualquer eixo que passe por ele é igual a zero. Numa embarcação, quando os pesos próprios ou adicionados, desta estiverem distribuídos igualmente, nas duas metades simétricas do navio definidas por seu plano diametral, o centro de gravidade deverá estar num ponto deste plano. Caso os pesos da mesma embarcação também estejam simetricamente dispostos, ao longo do seu comprimento, o centro de gravidade deverá estar no plano da seção a meia-nau. Assim sendo, teórica ou idealmente o centro de gravidade deverá estar locado na intersecção do plano diametral com o plano da seção de meia-nau. A altura em que se encontra este ponto depende do projeto de cada navio e na distribuição e movimentação das carga a bordo.

Centro de Informações de Combate (CIC) : Órgão do navio de combate que tem por finalidade fornecer ao comandante um quadro real da localização, identificação e movimentação dos navios e aeronaves amigos e inimigos, durante o combate, facilitando-lhe a tarefa de agir com acertadas decisões.

Cepo - Stock : Barra metálica perpendicular à haste e aos braços da âncora, para facilitar a operação de unhar. A maioria das âncoras possui cepo, exceto as do tipo patente.

Cerração : Nevoeiro denso, formado por grande concentração de vapor de água na atmosfera, condições em que o navegador deve emitir sinais convencionados com a buzina de cerração.

Certificado de Arqueação : De acordo com a lei, toda embarcação, exceto da marinha de guerra, tem que ser inscrita na Capitania dos Portos, e as embarcações com tonelagem bruta acima de vinte toneladas de arqueação têm que ser registradas no Tribunal Marítimo. Um dos documentos necessários para a inserção e o registro da embarcação é o certificado de arqueação, fornecido pela Capitania dos Portos, no qual constam a tonelagem bruta e a tonelagem líquida. As embarcações estrangeiras têm certificado de arqueação fornecido pelas autoridades dos respectivos países.

Cesto da Gávea : Plataforma montada nos vaus dos mastros para espalhar os cabos da mastreação.

Chaço - Carling : Viga Longitudinal que se liga a duas Vigas Transversais sucessivas, para delimitar a abertura de uma Escotilha.

Chacreira : Tipo de canoas de pranchões com convés. Pode ter cabina para comando. Usada para transportes de cargas. No passado era uma embarcação muito comum no Sul do Estado do Rio Grande do Sul, atualmente quase desaparecida da navegação. Consta que o nome -chacreira- , como era chamada no Sul do Estado, seja derivado do fato que essas embarcações carregavam hortaliças e demais produtos das chácaras de agricultores portugueses nas ilhas próximas a cidade do Rio Grande, para onde demandavam em busca do mercado.

Chalana : É uma espécie de embarcação, usada para a navegação nos rios pantaneiros entre Brasil e Bolívia, principalmente no rio Paraguai. É o principal meio de transporte nas regiões mais remotas do Pantanal, por ser uma embarcação de grande porte. Ao contrário das gaiolas, que não têm divisões internas, as chalanas têm cabinas para os passageiros.

Chalupa : Denominação dada a uma embarcação destinada à navegação de cabotagem, dotada de um só mastro e movida por velas e remos, conjuntamente.

Chaminé - Smokestack, Funnel : Estrutura metálica que serve para conduzir para a atmosfera os gases resultantes da queima de qualquer combustível.

Chapa-Caverna - Floor Plate : O mesmo que Hastilha.

Chapa Corrugada - Corrugated Plate : Chapa cujo Perfil é ondulado, o que lhe confere uma maior resistência à flexão em relação a uma chapa comum, de mesma espessura. O mesmo que Chapa Ondulada.

Chapa das Arreigadas - Futtock Plate : Chapa à qual se fixam as Arreigadas.

Chapa de Couraça - Armor Plate : Revestimento de grossas lâminas metálicas em certas partes de uma belonave, dotada de proteção contra torpedos e projéteis em geral.

Chapa de Face - Rider Plate, Face Plate : Aba dos Perfis fabricados de chapas.

Chapa de Inserção - Insert Plate : Reforço localizado de um Painel, obtido pela substituição de um trecho de chapa original do Painel por uma chapa de maior espessura.

Chapa de Reforço - Stiffening Plate : Chapa colocada no contorno de uma abertura feita no Costado ou em outro Chapeamento resistente, a fim de compensar o enfraquecimento do material, no local.

Chapa de Retenção - Metal Plate Detent : Chapa de aço que fixa a parte de vante do Carro de Lançamento à Carreira e que é cortada instantes antes do Lançamento, liberando o Carro e o navio para deslizarem.

Chapa do Bojo - Bilge Plate : Chapa de uma ou duas curvaturas, que reveste interiormente o Casco, na região do Bojo.

Chapa Estriada - Checkered Plate : Chapa que apresenta nervuras salientes em uma de suas faces. Empregada, normalmente, em Estrados de Praças de Máquinas, Plataformas e Escadas, pois as nervuras contribuem para tornar o piso anti-derrapante.

Chapa Fina - Thin Plate, Light Plate : Chapa de espessura máxima igual a 3,2 mm.

Chapa Flangeada - Flanged Plate : Chapa dobrada, com seção reta em L ou Z.

Chapa Galvanizada - Galvanized Plate : Chapa revestida de fina camada protetora de estanho, pelo processo de galvanoplastia.

Chapa-Hastilha - Solid Floor : O mesmo que Hastilha Sólida.

Chapa-Marginal - Margin Plate : Chapa extrema do teto do Duplo Fundo, junto ao Costado. Geralmente de espessura superior à das demais chapas do teto do Duplo Fundo, na seção.

Chapa Ondulada - Corrugate Plate : O mesmo que Chapa Corrugada.

Chapa Preta - Untreated Plate : Chapa de aço que não sofreu nenhum tratamento após a laminação, como seja jato abrasivo, galvanização, etc.

Chapa-Quilha - Keel Plate : Fiada de chapas horizontais do Fundo do navio, na direção longitudinal, que se constitui no Flange inferior da Quilha. O mesmo que Quilha Chata.

Chapa Sobreposta - Doubler Plate : Chapa soldada sobre uma dada região de um Painel, a fim de se obter um reforço localizado do mesmo.

Chapa Suporte - Base Plate, Bedplate : Qualquer chapa usada como base para uma máquina, Pé-de-Carneiro, coluna ou outras peças que suportem ou tenham grande peso.

Chapa Xadrez - Checkered Plate : Chapa Estriada, cujas nervuras formam um xadrez.

Chapeamento - Plating : Conjunto de chapas que formam um revestimento ou subdivisão do casco da embarcação.

Charrua : Tipo de navio de guerra, de grande porte, usado para transportar tropas, munições e víveres. Diz-se também do navio de marcha lenta ou navio grande e ronceiro, de má andadura.

Charuto : Pequeno barco de recreio, governado com auxílio de um remo com pás em ambas as extremidades, com que se corta a água alternadamente de um lado e de outro.

Chata - Barge : Pequena embarcação com ou sem propulsão própria, destinada aos serviços de transporte dentro do porto, cujo fundo achatado permite sua movimentação em locais de água pouco profunda. Quando a chata não tem propulsão própria, seu movimento é provido por um rebocador ou empurrador.

Chegada : Aproximação do barco de um ponto de amarração, da linha de chegada ou de uma praia.

Chegada de Navio : Fato de um navio abordar em porto previamente escalado.

Cheio e Embaixo - Full and Down : Diz-se do navio que está em sua condição ideal de carregamento, isto é, com toda sua capacidade em peso e em volume.

Choco : Diz-se do mar calmo, sem onda.

Choque de Ondas : Embate das ondas nos costados da embarcação.

Cinta - Sheerstrake : O mesmo que Cintado.

Cintado - Sheerstrake : Fiada de chapas do Costado, situadas ao longo da interseção deste com o Convés Resistente. O mesmo que Cinta.

Cintura - Sheerstrake : O mesmo que Cinta e Cintado.

Círculo de Pouso - Landing Circle : Área de um Convés delimitada por um círculo, pintada em cor viva, destinada ao pouso de helicópteros. O Círculo de Pouso deve guardar uma distância mínima, regulamentar, dos acessórios e outras partes elevadas do Convés.

Circunavegar : 1) Diz-se de uma viagem marítima ou área ao redor do globo, ou extensivamente, viagem mais ou menos longa em que se volta ao ponto de partida sem percorrer o mesmo caminho de ida. 2) Navegar em redor do globo terrestre, de um continente, de uma ilha etc.

Cisterna : Tipo de navio de grandes dimensões, com compartimentos estanques, empregado no transporte de água e de combustíveis líquidos.

Clandestino : Todo produto estrangeiro sujeito ao pagamento de direito aduaneiro, mas que entra no país sob a forma de contrabando. Denomina-se também de clandestino o passageiro de um navio que viaja sem passagem ou sem reconhecimento da sua tripulação.

Clara do Hélice - Screw Apperture : Espaço onde trabalha o Hélice, entre o Cadaste e o Leme ou entre os Cadastes interno e externo.

Clara do Leme - Helm Port : Furo feito na Popa por onde surge a cabeça do Leme.

Classe de Embarcação : Define-se a categoria que é atribuída à embarcação, pelo seu emprego, isto é, pela natureza da carga predominante por ela transportada, de conformidade com a "tabela de classe de embarcação", do sistema de estatística portuária. As embarcações especiais serão classificadas pela sua finalidade, como: guerra, passageiros, recreio etc.

Classificação - Classification : Enquadramento de um navio, por sua construção, numa das categorias estabelecidas pelas sociedades classificadoras, como Lloyd's Register e American Bureau of Shipping etc. Tais categorias prevêem especificações dos materiais empregados e observância dos índices de segurança. As embarcações brasileiras de esporte e recreio, quando inscritas na capitania dos portos, são classificadas de acordo com dois critérios fundamentais: o primeiro, que se refere ao tipo de navegação a que se destinam, distribui as embarcações em três classes: D (alto-mar), E (interior) e F (porto); o segundo critério, referente ao sistema de propulsão, reclassifica as embarcações, já distribuídas em classes, entre cinco divisões: l (a vapor), 2 (a motor), 3 (a vela), 4 (sem propulsão própria) e 5 (a remos).

Cláusula Livre de Todas as Avarias : Aquela que desobriga o segurador de indenizar quaisquer avarias que atinjam a carga, quer simples ou grossas.

Clinômetro : Aparelho com que se pode conhecer a obliqüidade da quilha do barco e a diferença de água exigida pelo navio, à proa e à popa.

Coberta: É qualquer espaço abaixo do convés principal, e utilizado para localizar camarotes e/ou alojamentos destinados a abrigar passageiros e/ou tripulação.

Cobro - Ceiling : Cada uma das tábuas com que se reveste o Fundo de um Porão de carga.

Cockpit : Espaço na parte de trás da embarcação, normalmente de pequeno porte, onde se localizam os seus comandos.

Código Internacional de Sinais (CIS) : Regulamentação do uso de sistema de sinalização ótica, fonética, radiotelefônica e radiotelegráfica para a comunicação de embarcações entre si ou com estações de terra firme. O atual código foi elaborado pela IMCO (Organização Consultiva Marítima Intergovernativa).

Coeficiente da Linha d'Água - Waterplane Coefficient : Coeficiente de Forma igual à razão entre a área do Plano da Linha d'Água e a área do retângulo a ela circunscrito.

Coeficiente de Adelgaçamento - Coefficient of Fineness : O mesmo que Coeficiente de Forma.

Coeficiente de Bloco - Block Coefficient : Coeficiente de Forma igual à razão entre o volume da Carena e o volume do paralelepípedo a ela circunscrito.

Coeficiente de Estabilidade - Coefficient of Stability : Produto do peso do navio pela Altura Metacêntrica Transversal. O conjugado endireitador é proporcional a este coeficiente, para pequenos ângulos de inclinação.

Coeficiente de Finura - Coefficient of Fineness : O mesmo que Coeficiente de Forma.

Coeficiente de Forma - Form Coefficient : Coeficiente adimensional que exprime uma relação entre uma área ou volume da carena e a área ou volume da figura plana ou sólida circunscrita.

Coeficiente de Porte - Coefficient of Deadweight : Razão entre o Deslocamento Leve e o Deslocamento em Plena Carga.

Coeficiente de Seção Mestra - Midship Section Coefficient : Coeficiente de Forma igual à razão entre a área da parte imersa da Seção Mestra e a área do retângulo a ela circunscrito.

Coeficiente Prismático - Prismatic Coefficient : O mesmo que Coeficiente Prismático Longitudinal.

Coeficiente Prismático Longitudinal - Longitudinal Prismatic Coefficient : Coeficiente de Forma igual, à razão entre o volume da Carena e o volume do prisma com seção transversal igual à parte imersa da Seção-Mestra e altura igual ao comprimento do Plano de Flutuação.

Coeficiente Prismático Vertical - Vertical Prismatic Coefficient : Coeficiente de Forma igual à razão entre o volume da Carena e o volume do prisma com base igual ao Plano de Flutuação e altura igual ao Calado.

Coferdam - Cofferdam : Espaço celular entre duas Anteparas Transversais contíguas, destinado a isolar um Tanque de óleo de um Tanque de água, de um compartimento habitável, Paiol, Praça de Máquinas, etc. O mesmo que Espaço de Ar ou Espaço de Segurança.

Cofre de Carga : Tipo de embalagem confeccionada com materiais e medidas especiais, de conformidade com as características da carga a ser transportada, de tal forma que possa ser usada por longo tempo. É parte integrante dos equipamentos de transporte. O mesmo que container.

Cogumelo - Mushroom : Tubo vertical instalado no Convés, com uma cobertura de forma tal que se assemelha a um cogumelo. Serve para ventilação ou extração de compartimentos, natural ou mecânica. Neste último caso, recebe no seu corpo um ventilador ou exaustor.

Colar - Collar : Pedaço de chapa colocado em torno de um Perfil, no local onde este atravessa o Chapeamento, a fim de que seja preservada a estanqueidade.

Colisão - Colision : Choque entre uma embarcação e um obstáculo (fixo).

Coluna Indicadora : Coluna que se coloca nas praias e que serve para indicar a altura das marés.

Comandante : Função de quem está no comando de um navio.

Combate de Bordo-a-Bordo : Combate de abordagem, em que os navios estão presos um a outro.

Combate Naval : Choque entre forças navais, ou dois barcos de combate isolados.

Comboio : Reunião de dois ou mais navios que viajam juntos, para que ofereçam segurança recíproca.

Comércio de Exportação : Aquele em que as mercadorias ou bens se destinam a outro país.

Comércio de Importação : Aquele em que as operações de compra se fazem em um outro país.

Comércio Fluvial : Transação comercial exercida dentro da própria nação ou entre nações diferentes feita através de rios ou lagos.

Comércio Internacional : Aquele em que a transferência de bens se faz entre países ou nações.

Comissura : Diz-se de uma abertura no costado dos navios.

Compartimento : Designação de qualquer subdivisão interna da embarcação.

Compartimento ou tanques de colisão: São compartimentos estanques, normalmente conservados vazios, localizados nos extremos a vante e a ré do navio, chamados de pique-tanque de vante e pique-tanque de ré respectivamente.

Compartimento da Máquina de Leme: É o compartimento onde ficam os equipamentos de governo do navio. A máquina do leme é comandado a distância pelos movimentos da roda do leme (timão). Nos navios de grande porte, este compartimento fica abaixo da linha d'água e é protegido por couraça, devido a importância vital que representa este equipamento para a segurança da embarcação.

Compartimento Estanque à Água - Watertight Compartment : Compartimento estanque à água, cujas aberturas também possuem meios de fechamento estanque.

Compassado - Trimmed : Diz-se do navio que em determinado instante está com o Compasso de Projeto ou Sem Compasso, se este for o caso.

Compasso - Trim : O mesmo que Trim.

Compasso de Projeto - Drag : O mesmo que Trim de Projeto.

Compasso dos Remos : Movimento compassado que os remadores imprimem nos remos de um barco.

Comprimento : Medida que expressa a dimensão da embarcação no plano longitudinal e é considerada uma de suas principais características.

Comprimento Alagável - Floodable Length : É o comprimento máximo permitido de um compartimento, de modo que quando este for alagado pela água, o navio ainda continue flutuando em segurança. É uma regra que define o comprimento máximo dos espaços entre as anteparas transversais estanques, regra esta estabelecida pelas Sociedades Classificadoras para as embarcações mercantes. Por essa regra o comprimento alagável de uma embarcação varia com o comprimento desta.

Comprimento de Arqueação - Tonnage Length : Distância horizontal, medida no plano diametral, entre as intersecções AV e AR da face inferior do Convés de Arqueação com as faces internas do Forro das Amuradas, ou com a face interna das Cavernas, caso não exista aquele Forro.

Comprimento de Registro - Register Length : Distância horizontal, medida na altura da flutuação da carga máxima de verão, entre a face externa da roda de proa e a face externa do cadaste, muitas vezes chamada comprimento entre perpendiculares para classificação.

Comprimento de Roda a Roda - Length Overall : Distância, medida paralelamente à Linha de Base, entre os pontos mais salientes da Roda e do Cadaste. Não inclui os Apêndices que porventura se projetem além desses pontos. Quando não houver tais Apêndices confunde-se com o Comprimento Total.

Comprimento Entre Perpendiculares - Length Between Perpendiculars : É a distância medida entre as perpendiculares a vante e a ré. Nesta medida levamos em consideração a linha d'água de projeto (ver definição das perpendiculares de vante e de ré). Quando nos referirmos ao comprimento do navio e não for especificado como este foi medido, devemos entender este como o comprimento entre perpendiculares.

Comprimento na Flutuação - Length at Waterline : É o comprimento na linha d'água, medido em cada nível de flutuação. O comprimento na flutuação varia, dependendo se a embarcação estiver leve ou carregada. O comprimento na flutuação coincide com o comprimento entre perpendiculares quando, a linha d'água de projeto for a mesma para o nível de flutuação adotado.

Comprimento na Linha d'Água - Length at Designed Waterline : Na marinha brasileira, o comprimento entre perpendiculares, é chamado também comprimento na linha d'água.

Comprimento no Convés - Length at the Deck : Distância entre as intersecções do Convés Principal com a face de vante da Roda de Proa e com a face de ré do Cadaste (ou com o eixo do leme, se a embarcação não tiver Cadaste bem definido.

Comprimento para Tonelagem - Tonnage Length : O mesmo que Comprimento de Arqueação.

Comprimento Total - Length Overall, Extreme Length : Esta medida é importante pois refere-se ao comprimento máximo do navio, as dimensões necessárias para o conter num cais ou num dique seco. É medido paralelamente à linha d'água de projeto, das partes mais salientes do navio, levando em conta as partes emersas ou imersas do mesmo.

Concha do Porto : Diz-se de uma enseada.

Conferência : Atividade interna, através da qual as mercadorias são submetidas à fiscalização, antes do pagamento dos tributos aduaneiros. Depois de procedida a conferência, o fiscal calcula o imposto que deverá ser pago, para que as mercadorias possam ser liberadas. Após efetuado o pagamento, o fiscal encarregado da conferência de saída desembaraçará as mercadorias, se não forem encontradas irregularidades.

Conferência Aduaneira : Aquela realizada por agentes da fiscalização na presença do importador ou do seu representante legal, estendendo-se sobre todas as mercadorias despachadas, ou parte delas, conforme os critérios fixados na legislação aduaneira.

Conferente : Pessoa responsável pela verificação de uma conta, de mercadorias, dinheiro e outros valores. Conferente é também o empregado da companhia de navegação que efetua, no cais, a conferência de todos os volumes a embarcar.

Conhecimento Marítimo : Documento emitido pelo armador, no qual se encontra registrado o peso, quantidade, a natureza, a marca e o valor da carga objeto de transporte.

Consertador : Trabalhador encarregado de recompor a embalagem das cargas, sendo obrigatoriamente um associado do Sindicato dos Consertadores de Carga.

Conserva : Navio que acompanha outro, a fim de proteger, em caso de necessidade.

Consignatário da Carga : Agente que recebe as mercadorias, com a finalidade de as distribuir para os destinatários, ou de vendê-las.

Consignatário de Carga : Preposto do consignante, a quem este envia o carregamento de um navio para que lhe dê o fim devido, de acordo com as instruções.

Consignatário do Navio : Agente ou mandatário do armador de um navio, a quem incumbe providenciar tudo o que for preciso para o mesmo, no porto de destino ou portos de escala.

Constante de Bordo : É a parte do Porte Operacional que não se pode mensurar individualmente, a saber: tripulação/pertences; sobressalentes de convés e máquinas, víveres, borras, etc. Importante de acordo com a utilização do navio.

Construção Modular - Modular Construction : Tipo de construção naval em que as unidades estruturais são edificadas já contendo as seções de redes, de canalizações e os dutos de ventilação, que por elas devem passar.

Consumo de Bordo : Diz-se dos equipamentos e dos víveres com a finalidade de suprir a embarcação e os seus tripulantes.

Contêiner - Container : Recipiente construído de material resistente, destinado a propiciar o transporte de mercadorias com segurança, inviolabilidade e rapidez, dotado de dispositivos de segurança aduaneira, inclusive atendendo às condições técnicas e de segurança previstas pela legislação nacional e pelas convenções internacionais, ratificadas pelo Brasil.

Contender : Barco de competição, muito veloz, capaz de planar mesmo sob vento brando, exige bastante agilidade e preparo físico de seus tripulantes.

Contentor : Cofre de aço ou metal, de dimensões padronizadas, destinado a alojar carga geral, diversificada ou não, com a finalidade de protegê-la contra avarias e unificá-las, para facilidade de manuseio e estiva.

Contra-Alquebramento - Sagging : Contrário a Alquebramento. Nota: alguns chamam erradamente de Tosamento.

Contra-Cachorro - Sliding War Upper Part : Parte superior do Carro de Lançamento que fica em contato com o Casco e se apóia sobre as Cunhas.

Contra-Estai : Cabo que sustém um mastro em oposição ao estai.

Contrabando : 1) Ato ilícito que se processa das seguintes maneiras: a) através de descarga, desembarque ou embarque de mercadorias em qualquer ponto do litoral e margem dos rios e águas internas do país; b) através de mercadorias extraviadas ou desencaminhadas, que foram abandonadas em qualquer ponto dos referidos no item anterior, pelos seus condutores, no ato de serem perseguidos pela fiscalização. 2) Mercadorias, géneros e objetos decorrentes de ato ilícito nas seguintes circunstâncias: a) quando apreendidos nos mares, ancoradouros, rios e águas interiores, dentro da zona fiscal, subtraídos, em contravenção da legislação vigente, das embarcações responsáveis pelo recebimento, condução e desembarque; b) quando são manifestadas e apreendidas nas buscas dadas nas embarcações sujeitas à fiscalização; c) quando encontrados nos ancoradouros e lugares sujeitos à fiscalização sem guia ou despacho, ou quando forem descarregados ou embarcados sem ordem da repartição competente: d) quando subtraídos de depósitos e armazéns sujeitos à jurisdição e fiscalização das alfândegas; e) quando entrados pelas fronteiras no território do país e forem descobertos neste, ou nos caminhos e desvios escusos e não frequentados. São também suspeitas de contrabando as embarcações  que forem encontradas atracadas em lugares impróprios, fora da zona fiscal, sem a devida permissão.

Contrabordo : Operação que consiste em embarcação atracar no costado de outra, estando ou não atracada no cais ou, ainda, fundeada ao largo.

Contrafeito - Sponson : Parte rebaixada no costado de alguns navios, a fim de se colocar uma peça de artilharia ou alojar uma embarcação num navio de guerra ou, por conveniência do serviço ou da carga, em navios mercantes.

Contramarca : Marca feita para substituir, reforçar ou autenticar outra. Diz-se daquela que se faz quando os volumes já estão marcados.

Contramarcha : Movimento sucessivo de todos os navios de uma linha, navegando em sentido contrário ao primeiro rumo.

Contramestre (CTR) : Profissional aquaviário do 1º Grupo em função superior a de Marinheiro de Convés.

Contra-sopro : Escudo de chapa que possuem alguns navios de guerra para proteger a guarnição de um canhão, ou pessoal de um outro posto, do tiro de um outro canhão, cuja boca fica imediatamente acima dele.

Contrato de Fretamento : Contrato pelo qual, mediante preço ajustado (frete), alguém (fretador) concede a uma pessoa o uso total ou parcial de seu navio. (V. carta partida, freïamento e frete).

Contrato de Reboque : Aquele pelo qual o armador de um navio, ou o capitão que o representa, se obriga, mediante remuneração previamente ajustada, a empregar seus esforços no sentido de com ele remover outra embarcação encalhada do lugar em que se encontra, ou salvá-la de perigo iminente ou, ainda, de puxá-la por meio de cabos ou outras formas até um porto que ofereça segurança, por falta de condições de navegar.

Contratorpedeiro - Destroyer : Navio de combate de alta velocidade, grande mobilidade, destinado a combater torpedeiros e usado em serviço de patrulha, de caça a submarinos etc., cujas características se aproximam às de um cruzador ligeiro.

Contratorpedeiro de Escolta - Escort Destroyer : Navio de combate construído especialmente para escoltar comboios. É menor que o contratorpedeiro comum e seu armamento principal é anti-submarino.

Contratorpedeiro Líder - Leader Destroyer : Contratorpedeiro maior que o comum, com acomodações para um comandante de força e seu estado-maior.

Controlador de Carga : Categoria de trabalhador do porto que tem a responsabilidade de controlar, conferir e vistoriar as mercadorias carregadas e descarregadas dos navios.

Controle de Pesos - Weight Control : Registro de todas as unidades estruturais, máquinas e equipamentos colocados a bordo durante a construção na carreira ou dique, a fim de se determinar o Calado e o Deslocamento do navio por ocasião do Lançamento.

Conversão - Convertion : Modificações executadas em um navio com o fim de adaptá-Io a um emprego diferente daquele para o qual foi construído.

Convés - Deck : Pavimento da embarcação. Sem qualquer referência refere-se ao convés principal. O primeiro pavimento contínuo de proa a popa, junto à borda do casco, descoberto total ou parcialmente é chamado convés principal, a parte de proa chama-se convés a vante e a parte de meia-nau, convés a meia-nau e a parte da popa, designa-se tolda. A um convés parcial, acima do convés principal e localizado na proa, chamamos convés do castelo, se localizado a popa será o convés do tombadilho e se a meia nau será o convés superior. A um convés parcial, acima do convés superior, do castelo ou do tombadilho, chamamos convés da superestrutura. Para a denominação dos conveses que ficam abaixo do convés principal, adota-se o seguinte critério: consideramos o principal como o primeiro convés e denominamos os demais conveses como - segundo convés, terceiro convés, assim por diante - sendo estes contados e denominados de cima para baixo. Estes espaços também podem ser denominados cobertas, porém quando usamos a esta denominação o que se chamaria segundo convés dá-se o nome de primeira coberta ao que se designaríamos como terceiro convés chamar-se-ia de segunda coberta, assim por diante. Quando abaixo do principal só existir um convés este é denominado convés inferior. Entre o piso do convés mais abaixo e o duplo-fundo da embarcação chamamos de porão.

Convés a Meia-Nau - Midship Deck : Parte do convés principal situada a meia-nau.

Convés Balístico - Armored Deck : Qualquer Convés Protegido por Couraça num navio de combate.

Convés Corrido - Flush Deck : Convés Principal que não contenha Superestruturas que se estendam, de forma contínua, de um extremo a outro do navio, no sentido transversal.

Convés da Borda Livre - Freeboard Deck : Convés a partir do qual é medida a Borda Livre. É o mais alto Convés contínuo, dotado de meios permanentes de fechamento de todas as suas aberturas expostas ao tempo.

Convés da Superestrutura - Superstructure Deck : Convés Parcial acima do Convés Superior, do Convés do Castelo, ou do Convés do Tombadilho.

Convés das Anteparas - Bulkhead Deck : Convés onde se fixa a extremidade superior das Anteparas Transversais, estanques à água.

Convés das Galerias - Gallery Deck : Convés situado entre o Convés de Vôo e o Convés do Hangar, no interior deste último, e que serve de piso e suporte para as Galerias.

Convés de Abrigo - Shelter Deck : Espaço situado entre o Convés Principal e o Convés imediatamente abaixo, nos Navios de Convés de Abrigo.

Convés de Arqueação - Tonnage Deck : Convés que serve de teto aos espaços a serem computados na tonelagem bruta de um navio mercante.

Convés de Voo - Flight Deck : Convés superior de navio-aeródromo, de popa a proa, que constitui sua pista de decolagem e pouso.

Convés do Castelo - Forecastle Deck : Convés Parcial, situado acima do Convés Principal e na Proa da embarcação.

Convés do Hangar - Hangar Deck: Convés situado abaixo do Convés de Voo, nos Navios-Aeródomos onde são recolhidas as aeronaves para estacionamento, revisão e manutenção.

Convés do Passadiço - Bridge Deck : Convés onde se situa o comando. É o pavimento imediatamente abaixo do convés do tijupá, que dispõe uma ponte na direção de bombordo e na direção de estibordo ou boreste, de onde o comandante dirige as manobras da embarcação.

Convés do Tijupá - Compass Deck : Numa superestrutura colocada geralmente a vante, onde se encontram os postos de navegação, o pavimento mais elevado toma o nome de tijupá.

Convés do Tombadilho - Poop-Deck : Convés Parcial acima do Convés Principal, localizado na Popa.

Convés Encouraçado - Armored Deck : Convés de um navio de guerra revestido de Couraça.

Convés Estanque à Água - Watertight Deck : Convés construído de maneira impermeável à água, a fim de limitar um possível alagamento.

Convés Estanque ao Tempo - Weathertight Deck : Convés estanque à passagem de água da chuva e do mar, em condições normais de tempo e mar.

Convés Parcial - Partial Deck : Convés que não é contínuo de Proa à Popa.

Convés Principal - Main Deck : O mais alto convés contínuo de proa a popa, total ou parcialmente descoberto.

Convés Protegido - Strenghened Deck : Convés de um navio de guerra, revestido de chapeamento de maior espessura que a normal, mas sem as características de couraça.

Convés Resistente - Strength Deck : Mais alto Convés que faz parte integral da Viga-Navio e que se estende, no mínimo, por meio comprimento da embarcação, a Meia-Nau.

Convés Superior - Upper Deck : Convés Parcial acima do Convés Principal, localizado a Meia-Nau.

Cordoaria : Oficina onde se preparam cordoalha e cabos para os serviços náuticos.

Coroa de Barbotin - Wildcat, Gipsy : Roda fundida tendo a periferia côncava e dentes onde a amarra se aloja e os elos são momentaneamente presos durante o movimento.

Corpo de Popa - Aft Body : Diz-se, em arquitetura naval, da metade do navio localizada por ante-a-ré da seção transversal da meia-nau.

Corpo de Proa - Fore Body : Diz-se, em arquitetura naval, da metade do navio localizada por ante-a-vante da seção transversal da meia-nau.

Corpo Paralelo Médio - Parallel Middle Body : Parte do Casco a Meia Nau, caracterizada por ter todas as Balizas iguais. O mesmo que Casa Quadrada.

Corredor : Belonave ligeira que segue adiante da esquadra ou comboio, como exploradora.

Correia Transportadora : Equipamento eletromecânico, dotado de esteira móvel, utilizado para movimentar graneis sólidos. A relação entre o comprimento e largura determina a potência e a velocidade-do mecanismo a ser adotado em cada caso específico, objetivando o deslocamento contínuo.

Correio Marítimo : 1) Aquele que se realiza por meio de embarcações marítimas. 2) Barco ligeiro que faz o transporte de correspondência ou de pequenos volumes entre dois ou mais portos.

Corrente : 1) Cadeia de elos metálicos que se diferenciam dos elos de uma amarra por não possuírem malhete - travessão que corta diametralmente o elo. 2) Deslocamento de uma grande massa de água.

Corrente Desaceleradora - Chain Drag : Amarra arrastada pelo navio, por ocasião do seu lançamento, com a finalidade de desacelerar o seu movimento de descida da carreira.

Corrente Marítima : Movimento de grandes massas de água dentro de um oceano ou mar, obedecendo sempre a uma mesma direção e velocidade.

Correr com o Tempo : O mesmo que correr com popa arrasada; navegar com o mar pela popa ou pela alheia, deixando a embarcação sofrer abatimentos, como única solução para enfrentar o mau tempo.

Corretor de Navio - Ship's Broker : Encarregado de atuar como intermediário nas operações de compra e venda de navios, nos contratos de fretamento, nos carregamentos de embarcações, cotando os preços respectivos e servindo de encarregado nos contratos de seguro, além de representar o papel de intérprete dos capitães dos navios, bem como servindo de tradutor autorizado perante as alfândegas, dos manifestos e documentos que devem ser exibidos nas aduanas, nos descarregamentos de mercadorias sujeitas a despacho. superfície da carena somada a superfície do costado, representa a área total da superfície do casco.

Corrimão - Rail, Guard Rail, Storm Rail : Peça de aço, madeira ou bronze, disposta horizontalmente a uma altura adequada, ao longo dos Conveses, em Escada, junto a aberturas nos Conveses, motores, etc. para prover apoio e proteger pessoas contra o contato com partes móveis de máquinas.

Corsário : Navio mercante armado por particulares, com autorização do governo para atacar e apresar navios de outras nações; comandante ou qualquer tripulante deste navio. É preciso não confundir corsário com pirata. Os piratas eram verdadeiros ladrões do mar, que saqueavam, em tempos de guerra ou de paz, tanto os compatriotas como os estrangeiros, e cujo único interesse eram os pertences dos atacados, enquanto que os corsários assaltavam apenas os navios de bandeiras estrangeiras.

Corte a Maçarico - Gas Cutting : Divisão de uma peça ou de uma chapa em peças menores por meio de uma tocha de oxiacetileno.

Corte Automático - Automatic Cutting : Divisão de uma chapa em várias peças, utilizando maçaricos de oxiacetileno comandados por um sistema síncrono que repete o plano de corte da chapa ou as instruções de uma fita perfurada.

Corte Manual - Manual Cutting : Divisão de uma chapa em peças menores, utilizando maçarico de oxiacetileno, operado manualmente.

Corte Mecânico - Machine Cutting : Divisão de uma peça ou de uma chapa em peças menores por meio de guilhotina ou de outro processo mecânico qualquer.

Corveta - Corvette : Navio de combate dotado de boa mobilidade e velocidade moderada, destinado à patrulha anti-submarina, podendo fazer escolta de comboios em substituição ao contratorpedeiro-escolta.

Costa - Coast : 1) Faixa de terra banhada pelo mar ou próxima ao mar. 2) Litoral. A expressão "ar à costa" designa a ação de a embarcação encalhar no litoral.

Costado - Side : Invólucro do casco acima da linha d'água. Em arquitetura naval, durante a construção do navio, quando ainda não está traçada a linha d'água, costado é o revestimento do casco acima do bojo.

Costão : Costa pedregosa que penetra no mar quase perpendicularmente, facilitando a aproximação dos barcos.

Costura - Seam, Butt : Interstício entre duas chapas ou tábuas contíguas de um Chapeamento ou tabuado.

Costura Cravada - Riveted Seam : Costura feita utilizando-se Rebites. O mesmo que Costura Rebitada.

Costura de Mão : É uma alça que resulta da dobra de um cabo, sendo que o chicote após a formação da alça é costurado no próprio cabo.

Costura Rebitada - Riveted Seam : O mesmo que Costura Cravada.

Costura Soldada - Welded Seam : Costura feita com utilização de solda.

Cotovelo - Elbow : Nome dado à dobra de 90° feita numa barra, vergalhão ou tubo.

Couraça - Armor Plating : Chapa de aço especial ou comum, de maior espessura que o chapeamento do Casco, empregada para proteger órgãos vitais dos navios de combate de maior porte. O mesmo que Blindagem.

Couraça Flutuante : Espécie de casco de tela impermeável, sobre o qual estão ligadas rodelas de cortiças, e é utilizado como salva-vidas. Também chamado couraça marinha.

Couraçado - Battleship : Grande belonave armada de nove ou mais canhões de grosso calibre e usada em operações de guerra naval a grande distância. O mesmo que Encouraçado.

Coxia : 1) Diz-se da divisão do espaço de um armazém. 2) Ponte móvel que, durante os combates navais, estabelecia ligação direta entre o castelo de proa e os galhardos. 3) Prancha usada em alguns barcos para comunicar a proa com a popa.

Cravação - Riveting : Ligação feita por Rebites ou prisioneiros. O mesmo que Rebitamento, Arrebitamento, Rebitagem e Arrebitagem.

Crescente : Diz-se da maré que está subindo ou enchente de rio.

Crista : Parte mais alta da onda.

Crista Submarina : Cume das elevações que caracterizam o relevo do fundo do mar; apresenta em geral um perfil agudo e irregular.

Croque : Espécie de gancho de metal, ferro ou latão manipulado por meio de um cabo de madeira, que mantém a sua flutuabilidade, impedindo-o de afundar. Destina-se a auxiliar as manobras de atracação e largada, bem como a aguentar a embarcação atracada a um cais ou outro costado de outro navio.

Cruz - Crown : Parte da âncora em que a haste se encontra com os braços.

Cruzador - Cruiser : Navio de combate de tamanho médio, construído para desenvolver grande velocidade num grande raio de ação. Os cruzadores modernos equivalem às antigas fragatas, chalupas de guerra e brigues armados. O cruzador tem a função de patrulhar as vias marítimas contra os ataques dos navios inimigos; proteger os navios mercantes amigos; e fazer o serviço de reconhecimento no mar. Tecnicamente, o cruzador está classificado abaixo do couraçado e acima do contratorpedeiro e da canhoneira. É armado com menos canhões pesados e menos blindagem do que o couraçado. Este ganho em peso é que lhe proporciona maior velocidade.

Cruzador Anti-Aéreo - Anti-Aircraft Cruiser : Cruzador dotado de poderosa artilharia anti-aérea.

Cruzador de Batalha - Battle Cruiser : Navio de combate armado de canhões do mesmo calibre dos Encouraçados, porém menos protegido e muito mais veloz que estes. Ainda utilizado na 2ª Guerra Mundial, tende a desaparecer.

Cruzador Leve - Light Cruiser : O mesmo que Cruzador Ligeiro.

Cruzador Ligeiro - Light Cruiser : Cruzador cujos canhões da bateria principal têm calibre máximo de 6 polegadas (152 mm).

Cruzador Pesado - Heavy Cruiser : Cruzador que possui na bateria principal canhões com calibre superior a 6 polegadas  (152 mm).

Cruzar ou Atravessar os Mares : Navegação feita de um continente a outro; ato de realizar uma viagem transatlântica.

Cruzeiro : 1) Viagem de recreio ou de competição beirando a costa ou em alto-mar. 2) Turismo marítimo.

Cruzeta : Reforço lateral em forma de cruz fixada ao mastro onde se apóiam os brandais.

Cubagem - Cubic Capacity : O mesmo que Capacidade de Carga.

Cubagem para Carga a Granel - Grain Cubic Capacity : O mesmo que Capacidade de Carga a Granel.

Cubagem para Fardos - Bale Cubic Capacity : O mesmo que Capacidade de Carga de Fardos.

Culapar : Ato ou efeito de a embarcação bater com a parte de ré da quilha nas ondas, ou no fundo do mar, podendo resultar avaria, sob a ação do balanço normal da embarcação, de popa a proa.

Cunha do Carro de Lançamento - Sliding Way Edge : Cada uma das peças, da seção longitudinal triangular, colocada entre o Cachorro e o Contra-Cachorro do Carro de Lançamento, que serve para ajustar o Carro ao navio, antes do Lançamento.

Cunho - Cleat : Peça de metal em forma de bigorna que se fixa nas amuradas do navio, nos turcos, ou nos lugares por onde possam passar os cabos de laborar, para dar-se a volta neles.

Curva de Abertona - Lodging Knee : Peça que liga o Vau, Meio Vau ou Lata, no plano horizontal, para a Amurada, dormente, etc. O mesmo que Abertona.

Curvamento de Chapas - Plate Bending : Operação de tornar curva uma chapa anteriormente plana por meio de prensa, calandra ou aquecimento dirigido, de maneira a adaptá-la a um Gabarito feito previamente.

Curvas Hidrostáticas - Hydrostatic Curves : Série de curvas traçadas em um só desenho, representando as propriedades da forma da Carena para um grande número de Flutuações Direitas.

Curvatão - Trestletree : Viga robusta que atravessa um Mastro, de um lado a outro, destinada a ser vir de apoio ao Ninho de Pega ou ao Aparelho do Pau de Carga.

Custo por Tonelada : Indica o custo por tonelada, que é a relação entre o custo total e as toneladas movimentadas correspondentes.

Custo Total : Representa o valor da despesa total de cada equipamento no mês, considerando-se que os custos diretos são proporcionais às horas utilizadas e que os fixos são constantes para qualquer mês de apuração.

Cutelo : Cada uma das pequenas velas triangulares, quadrangulares ou arredondadas, que servem de suplemento às outras e se desfraldam com vento favorável.


D

D : Bandeira DELTA. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Mantenha-se afastado; estou manobrando com dificuldade".

DELTA

Dala - Dale, Shoot, Spout, Scupper Pipe : 1) Tipo de cano ou calha adjacente à amurada da embarcação, para dar escoamento à água ou outros despejos. 2) Prancha larga para operações de carga e descarga de mercadorias ou a condução dos despejos dos navios.

Dano de Avaria : Toda e qualquer redução de valor que sofre a mercadoria, desde o recebimento em depósito pela administração do porto até a estivagem na embarcação, ou desde a desati vagem na embarcação até a sua entrega ao dono ou consignatário.

Dar Bordo : Diz-se quando uma embarcação tende a inclinar-se acentuada e perigosamente.

Dar-se por Navegado : Diz-se de qualquer coisa que saiu dum perigo que se podia temer, marítimo ou terrestre.

De Borboleta : Navegação à popa utilizando as duas velas com amuras opostas.

De Formas Cheias - Full Form : Diz-se da embarcação que tem numa larga extensão do Casco seções transversais iguais à Seção Mestra.

De Formas Finas - Fine Form : Diz-se da embarcação que tem todas as seções transversais do Casco afinando-se gradativamente para vante e para ré da Seção Mestra.

De Mar Em Fora : Diz-se quando se está navegando para o alto-mar ou mar adentro.

De Mar em Mar : Diz-se quando se navega de um continente a outro ou de lado a lado da terra.

Declividade da Carreira - Building Berth Declivity : Tangente do ângulo que o plano da Carreira faz com o plano horizontal.

Defensas: São proteções das embarcações, dispostas ao longo do casco nos pontos mais salientes deste, de modo a impedir que ocorram danos ao mesmo e à sua pintura quando o navio estiver atracado. Existem vários tipos de defensas, apropriadas a cada tipo de embarcação ou mesmo uso.

Deitar Carga ao Mar : Ação de vomitar provocada pelo enjôo marítimo.

Delgado - Run : Região mais afilada da Carena, em ambos os Bordos, encontrada nas proximidades da Roda de Proa e no Cadaste.

Demurrage : Sobre-estadia. Demora do navio entre fündeamento, atracação e saída do porto devido a congestionamento ou problemas com equipamentos.

Derivar - Drift (to) : 1) Diz-se quando a embarcação se desvia da rota previamente estabelecido, por ação da corrente marítima. 2) Ação de navegar ao sabor dos elementos circunstantes como o vento, as vagas e a correnteza. 3) Andar à deriva.

Derrota : 1) Rumo ou direção que seguem os navios em viagem. 2) O relatório e itinerário de um cruzeiro marítimo. 3) Viagem por mar.

Desabordar : Separar ou soltar um navio do outro a que estava abordado.

Desacelerador : Qualquer dispositivo utilizado para retardar o movimento do navio durante o lançamento, com a finalidade de diminuir o seu percurso dentro d'água, após deixar a carreira.

Desaparelhar : 1) Ação de desmastrear o navio; 2) Desarmar o navio.

Desarmamento : Diz-se do desaparelhamento ou desapetrechamento de um navio.

Desarmar : Tirar do navio a artilharia e aparelhos bélicos.

Desatracar: Desatracar é desencostar e afastar a embarcação do cais ou de outro navio a que este esteja atracado.

Desarvorar : Ato ou efeito de partir o mastro acidentalmente por condições de mau tempo, ocasião em que se deve improvisar uma mastreação provisória com a qual se possa atingir o ancoradouro mais próximo.

Desatracação : Ato ou efeito de afastar a embarcação do cais ou de qualquer local em que ela esteja atracada. A desatracação pode ser realizada com a utilização ou não de rebocadores, de tal forma que ela possa ser manobrada por seus próprios meios.

Desatracar : 1) Desviar a embarcação do cais para navegar. 2) Largar ou desarmar a embarcação.

Descair : Derivar a embarcação ou desviar do rumo ou direção de origem, por efeito do vento, da corrente, das vagas, mantendo, entretanto, condições de controle sobre a rota. Diz-se, também, sofrer abatimento.

Descampar : Ato ou efeito de guiar uma embarcação para o largo.

Descochar : Destorcer ou desfazer as cochas de um cabo.

Descompassado - With Trim : O contrário de Compassado.

Deslocamento: Peso da água deslocada por um navio flutuando em águas tranqüilas. É igual

Descarga - Discharge, Outlet : Abertura feita no costado da embarcação para descarregar águas dos seus diferentes serviços, tomando o nome do serviço a que se destina.ao peso do navio e tudo o que ele contém.

Descarregador : Equipamento utilizado na descarga de granéis, tais como: minério de ferro, carvão, milho, trigo, fertilizantes etc.

Desembaraço : Ato ou efeito de retirar as cargas ou fazer sair os passageiros de uma embarcação ou qualquer outro veículo.

Desempeno - Straightening : Operação para fazer uma peça, chapa ou Painel retornar à sua forma original, por meios mecânicos.

Desempeno a Frio - Cold Straightening : Desempeno executado sem a utilização de calor. Normalmente realizado submetendo a peça à prensa hidráulica e, eventualmente, na Montagem e Edificação à ação de macacos mecânicos ou hidráulicos.

Desempeno com Calor - Hot Straightening : Desempeno efetuado através do aquecimento de certos pontos de uma peça ou Painel, seguido de rápido resfriamento do local, com água.

Desencalhar : Ação de tirar o navio do lugar onde encalhou.

Desestiva : Operação que consiste na desarrumação da carga no porão de um navio, quando vai se realizar a descarga.

Desfraldar : Largar, içar ou hastear vela ou bandeiras de um navio expondo-as ao vento.

Desgarrar : 1) Desviar ou apartar o rumo da embarcação. 2) Desviar-se do rumo, perder o rumo.

Desgarrar do Porto : Diz-se quando a embarcação sai do porto, levantando a âncora.

Deslocamento - Displacement : Peso da água deslocada por um navio flutuando em águas tranquilas, sendo que, de acordo com o princípio de Arquimedes, o deslocamento é igual ao peso do navio e tudo o que ele contém, na condição atual de flutuação. Conforme o mesmo princípio, considera-se a densidade da água, o peso ou deslocamento da embarcação é igual ao volume imerso do casco multiplicado pelo peso específico da água que, em média, na água do mar, é igual a 1.026 toneladas por metro cúbico, a saber: deslocamento = peso do navio = peso da água deslocada = volume imerso + peso específico da água. No sistema métrico inglês, o deslocamento é expresso em toneladas longas, isto é, cada uma equivalente a 2.240 libras, ou 1.016 quilogramas.

Deslocamento em Plena Carga, Máximo ou Carregado - Load Displacement : É o peso de uma embarcação quando esta estiver com o máximo de carga permitida a bordo. É o navio completo, com toda a sua tripulação e pertences, passageiros e bagagens, porões cheios, toda a carga, abastecida com víveres, combustíveis, óleos lubrificantes e água para uso humano e das suas máquinas de reserva. porém devem ter os seus tanques de lastro e duplo fundo, absolutamente vazios.

Deslocamento Normal - Normal Displacement : Peso do navio completo, pronto para o serviço sob todos os aspectos, com água no nível superior das caldeiras, todas as máquinas e sobressalentes e tripulação e seus pertences a bordo, com carga normal; com geralmente 2/3 da carga total de combustível.

Deslocamento Leve ou Mínimo - Light Displacement : É o peso do navio completo sem tripulação e pertences, sem passageiros e bagagens, sem carga nos porões, sem estar abastecido de víveres, de água para o consumo humano, de água, combustível e óleos lubrificantes para as suas máquinas, além de terem os seus tanques de lastro e duplo fundo, absolutamente vazios.

Deslocamento Padrão - Standard Displacement : Peso do navio na situação de pronto para fazer-se ao mar: toda a guarnição, equipamentos de máquinas, armamento e munição, sobressalentes, mantimentos e água potável a bordo; todos os paióis atestados com tudo o que for necessário transportar na guerra.

Desmarrar : Ação de levantar ferros de uma embarcação.

Desova de Contêiner : Operação que consiste na retirada de carga do interior do cofre de carga ou do contentor.

Despachante : Agente que trata do desembaraço das mercadorias junto aos órgãos alfandegários.

Diafragma - Swash Bulkhead : O mesmo que Antepara Diafragma.

Diário de Bordo - Log Book : Veja Diário de Navegação.

Diário de Navegação - Log Book : Livro destinado ao registro das ocorrências normais e extraordinárias verificadas durante a navegação e atracação a um porto. Tal diário, que tem seu uso regulamentado por legislação, registra alterações de rota, temporais, avarias e ocorrências corriqueiras, podendo mostrar causas de avarias e outros acidentes.

Dique : 1) Compartimento escavado junto a portos, à beira do mar, próprio para receber embarcações que necessitam de limpeza ou reparação. 2) Construção destinada a represar águas correntes.

Dique de Construção - Building Dock : Dique seco onde o navio é construído no plano horizontal e posto a flutuar, depois de pronto, por alagamento do dique.

Dique Flutuante - Floating Dock : Dique em aço em forma de U munido de tanques estanques que são esvaziados para elevar uma embarcação. Possui ainda guindastes que correm nas laterais para o manuseio de cargas.

Dique Seco - Dry Dock : Dique em concreto com uma comporta de aço (Porta Batel) onde o navio é construído no plano horizontal e posto a flutuar, depois de pronto, por alagamento do dique.

Direito Comercial Marítimo : Conjunto de normas que regulam a navegação e o comércio marítimo e os contratos de transportes de mercadorias, e pessoas, por via marítima, fluvial e lacustre, e os direitos, deveres e obrigações do armador, dos capitães e demais interessados nos serviços de navegação privada, bem como a situação jurídica dos navios a seu serviço.

Direitos : Denominação dada aos tributos que uma carga estrangeira sofre para entrar no país.

Direitos do Porto : Direitos que um navio paga para poder fazer desembarque num porto.

Disco da Borda Livre - Load Line Disc : Disco pintado no costado das embarcações mercantes, em ambos os bordos, cujo diâmetro horizontal indica a linha de flutuação máxima de verão. Nos dois extremos desse diâmetro estão pintadas as letras que designam as sociedades classificadoras em que o navio foi classificado, a exemplo da LR - Lloyd's Register, AB - American Bureau of Shipping, BV - Bureau Veritas etc. (V. disco de Plimsoll).

Disco de Plimsoll - Plimsoll Disc, Load Line Disc : Círculo atravessado por uma linha, que marca a linha de flutuação a plena carga, pintado sobre o costado do navio, em ambos os bordos, à meia-nau. O mesmo que disco da borda-livre.

Dispatch-Money : Termo internacional, de origem inglesa, para designar a quantia paga ao carregador ou descarregador do navio pela sua liberação antes do dia estabelecido.

Dispensado : Bilhete dos dispensados: relação dos indivíduos isentos de algum ou de todos os serviços de bordo, por motivo de doença etc.

Divisão : 1) Parte de uma esquadra composta de alguns navios; 2) Turno de serviço contínuo pelo período de 12 ou 24 horas.

Doca : 1) Trecho de instalações portuárias, construído com muros ou cais em alvenaria, concreto armado etc., onde atracam os navios para as operações de carga e descarga ou de reparação. O mesmo que dique e estaleiro, lugar para abrigo de embarcações. 2) Grande depósito de mercadorias para o comércio marítimo. 3. Construção metálica móvel que permite por elevação ficarem os navios em seco, para reparos no casco.

Doce : Denominação dada a uma embarcação de bom governo ou manobra.

Doce Borda : Diz-se da embarcação que se inclina facilmente sobre uma das bordas.

Dolfim de Atracação - Dolphin : Estrutura portuária situada em local de maior profundidade, com dimensões capazes de receber embarcações. Tal estrutura é independente da linha do cais, que pode ser ou não dotada de plataforma de comprimento variável e, em geral, possui equipamentos.

Draga - Dredger : Embarcação apropriada que serve para limpar o fundo dos rios, mares, lagos etc., de depósitos, entulhos, lama, lodo etc, em águas pouco profundas, ou para extrair quaisquer objetos que tenham submergido. Normalmente é utilizada no interior ou na proximidade dos portos para aumentar a profundidade dos canais de acesso ou das bacias de evolução, proporcionando maior calado às embarcações. Em náutica, são as escoras que sustentam a embarcação em seco.

Drogue : Objeto feito de lona, muito parecido com o saco de café e que serve de âncora flutuante.

Duplo-Fundo - Double Bottom : Estrutura do Fundo de alguns navios de aço, constituída pelo Forro Exterior do Fundo e por um segundo Forro (Forro Interior do Fundo) fixado sobre a aresta interna das Hastilhas.

Duplo-Fundo Celular - Cellular Double Bottom : Duplo-Fundo subdivididos em seções estanques (células), as quais podem ser utilizadas para Tanques de aguada, Tanques de óleo, etc.

Duplo-Fundo Parcial - Partial Double Bottom : Duplo-Fundo que não se estende por todo o comprimento do navio.

Duto : Tubulação que tem por finalidade conduzir vários tipos de granéis sólidos, líquidos ou gasosos: mineroduto - quando transporta minérios; oleoduto - quando transporta óleo; gasoduto - quando transporta gás.


E

E : Bandeira ECHO. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Estou guinando para Boreste".

ECHO

 

Eclusa : Uma eclusa ou comporta é uma obra de engenharia hidráulica que consiste numa construção que permite que barcos subam ou desçam os rios ou mares em locais onde há desníveis (barragem, quedas de água ou corredeiras). Eclusas funcionam como degraus ou elevadores para navios: há duas comportas separando os dois níveis do rio. Quando a embarcação precisa subir o rio ela entra pela comporta da eclusa à jusante e fica no reservatório (ou caldeira), que é, então, enchido com água elevando a embarcação para que possa atingir o nível mais alto, à montante. Quando a embarcação precisa descer o rio ela entra pela comporta da eclusa a montante e permanece no reservatório enquanto ele é esvaziado, descendo a embarcação até o nível mais baixo do rio As comportas abrem-se para a entrada do navio. Observe que a água está ao mesmo nível do lado do navio. Após a entrada, a câmara da eclusa será esvaziada e o navio estará ao nível das águas da comporta ao fundo. Seu objetivo é, portanto, permitir a navegação. Um dos processos de enchimento do reservatório pode ser gravitacional, de modo que não é necessário o uso bombas d'água e motores.

Eclusa

 

Edificação - Ship Erection : Colocação em posição das unidades estruturais que compõem o navio, segundo uma sequência predeterminada, no local da construção do casco.

Efetiva Entrega a Bordo : Mercadorias operadas com os aparelhos da embarcação, desde o início da operação ao costado do navio, ressalvando-se os casos de deficiência na confecção das lingadas, de vício de embalagem, ou de deficiência, ou falha de material empregado na lingada, quando não for ele propriedade, ou fornecido pela entidade embarcadora.

Eficiência : Taxa média de carga ou descarga do equipamento, que é medida com a seguinte fórmula: Eficiência = Tonelagem de carga movimentada por ano. Horas anuais de trabalho x Capacidade normal (t/h).

Elemento Estrutural - Structural Element : Reforço de qualquer natureza ligado a uma chapa, que sirva para aumentar a sua resistência e a sua rigidez.

Eletro-Ímã : Acessório adaptado ao guindaste, ou equipamento similar, que se utiliza da força produzida por uma corrente eletromagnética para movimentar cargas suscetíveis ao magnetismo.

Elevador de Alcatruzes ou de Caçambas : Equipamento utilizado nos transportes de granéis sólidos na operação de carregamento das embarcações. Tal equipamento é dotado de pequenas caçambas conjugadas a uma esteira transportadora e o seu funcionamento é o eletromecânico.

Em Águas Parelhas - Even Keel : O mesmo que Sem Compasso.

Embaçar : Colocar estopa nas costuras e juntas de vigias ou portinholas da embarcação para evitar a entrada de água.

Embandeirado : Diz-se do navio cuja nacionalidade é reconhecida por documentos autênticos, ou que, em época de guerra, viaja sob a bandeira da nação não-beligerante e possui salvo-conduto para livre curso.

Embandeirar : Içar bandeiras a bordo, para sinalização ou identificação, apenas nos topos dos mastros ou em toda a extensão do plano diametral, de popa a proa, em forma de arco. Conforme o fim a que se destina e a situação em que se enquadra, a operação obedece a certas regras. Em regatas, recomenda-se apenas o hasteamento da bandeira distintiva de nacionalidade no topo do mastro grande, proibindo-se o uso de quaisquer outras bandeiras ou flâmulas, com exceção às do código internacional de sinais ou à de protesto.

Embarcação - Craft, Boat : Qualquer construção que se destina à navegação marítima, fluvial ou lacustre. A embarcação é um navio, barco ou qualquer flutuante destinado à navegação. No entanto, o termo aplica-se mais geralmente aos barcos de pequena tonelagem, destinados ao transporte de pessoal ou de material leve. As embarcações podem ser a remo, à vela, a motor ou a vapor e têm nomenclatura muito variável. Em nossa Marinha, o termo "embarcação" é particularmente usado para designar qualquer das embarcações pequenas transportáveis a bordo dos navios, e também as empregadas pêlos estabelecimentos navais, ou particulares, para seus serviços no porto.

Embarcação Auxiliar ou de Apoio : Denominação dada a qualquer embarcação de pequena tonelagem, que serve no porto na sua área de administração, tais como rebocadores, lanchas, chatas etc.

Embarcação de Desembarque - Landing Craft : Qualquer embarcação destinada especialmente a transportar material ou pessoal até a praia e aí desembarcá-los, sem contar com outros recursos além dos que possui a bordo. Normalmente utilizada em operações anfíbias.

Embarcação Principal : Diz-se da embarcação dotada de grande porte que realiza a sua rota fora da área de administração do porto.

Embarcadiço : Cada membro da tripulação de um navio mercante. Profissional aquaviário.

Embarcadouro : O porto, o cais, o lugar onde se embarca.

Embarcar : Ato ou ação de carregar, a bordo de navio ou de embarcação. Diz-se quando o soldado ou marinheiro dirige-se para bordo de sua embarcação.

Embarque : Ato ou efeito de embarcar, local onde se embarca.

Embicar : 1) Encalhar com a proa durante a chegada à praia; o mesmo que abicar (v. abicado). 2) Diz-se quando o casco do navio mergulha maior superfície à proa do que à popa, devido ao balanço longitudinal ou ao excesso de peso a vante; diz-se também afocinhar.

Emblema : Sinal distintivo, letra ou alegoria fixada na proa de uma embarcação.

Embocar : Fazer entrar a embarcação pela foz ou embocadura de um rio, canal ou barra.

Embornal - Scupper : Aberturas existentes no Convés, que servem para escoamento das águas provenientes de chuva, de baldeação ou condensada. Normalmente se prolongam por uma Dala, que afasta a descarga do Costado.

Emendar o Aparelho : Pegar mais uma vez no cabo que os marinheiros levantam de leva-arriba, para continuarem a ala-lo do mesmo modo.

Empavesar : 1) Ornamentar uma embarcação com paveses, pavilhões, bandeiras e galhardetes. 2) Armar o barco com pano cheio e adorná-lo com bandeiras.

Empeno de Painel - Panel Distortion : Conjunto de ondulações que aparecem em um Painel, antes ou depois da Montagem, causado pela Soldagem.

Empilhadeira : Tipo de veículo empregado nas dependências portuárias para execução dos serviços de transportes, empilhamento e desempilhamento de cargas. Trata-se de um equipamento mecânico, versátil, utilizado basicamente para a movimentação horizontal de cargas, inclusive para seu armazenamento. Pode ser dotado de garfo para a movimentação de cargas paletizadas ou similares, bem como para a movimentação de tambores e barris.

Empilhamento : Serviço de arrumação das cargas sob a forma de pilha, visando maior racionalidade na operação portuária: aproveitamento de área, facilidades para separação em lotes por importador etc.

Empresa Estivadora : Pessoa jurídica de direito privado que, embora não incluída em uma das categorias de entidades estivadoras, contrata a execução dos serviços de estivagem, fornecendo a mão-de-obra e o equipamento exigido pelo serviço. O armador, ou seu agente, pode organizar uma entidade estivadora, ou celebrar contrato com as entidades ou empresas estivadoras existentes, não se confundindo, no primeiro caso, a pessoa jurídica do armador, ou seu agente, com entidade estivadora.

Emproar : Abordar, aportar em. Voltar a proa, aproar, prolongar-se uma embarcação com outra, levando as proas ao mesmo rumo.

Empurrador - Pusher Tug : Diz-se de pequeno navio de grande robustez, e alta potência, dispondo de uma proa de forma e construção especiais, destinado a empurrar uma barcaça ou conjunto de barcaças que formam um comboio. O mesmo que rebocador.

Empuxo: Pressão que age normalmente à superfície imersa do casco.

Encalhar - Ground (to) :1) Bater a embarcação num banco de areia ou na praia ou encostá-la em impedimentos ou obstáculos. 2) Prender o casco no atrito com o fundo, imobilizando a embarcação. Esse acidente ocorre em geral por falta de previsão das baixas de maré, desconhecimento da profundidade local, por perda de controle da embarcação sob condições climáticas ou por execução incorreta de manobras. 3) Como acidente de navegação, tem diferentes causas determinantes: colisão com pedras, com paus submersos, imprudência do capitão, desgoverno devido ao vento fresco em local de pouca profundidade.

Encangalhado : Diz-se de dois navios que, na atracação, enrascam os respectivos cabos.

Encangalhar : Atracar uma embarcação à outra, de maneira tal que os cabos de uma se enrasquem com os da outra.

Encarregado de Operações Portuárias : Servidor duma administração portuária, responsável pelo supervisionamento, coordenação, controle e fiscalização da execução das operações programadas e carregamento e descarregamento de uma embarcação, como os serviços de atracação e desatracação, manobra, limpeza de cais etc.

Enchente : Movimento ascensional das águas, com duração aproximada de seis horas, entre a baixa-mar e preamar; o contrário de vazante.

Encher : Navegar com as velas enfunadas.

Encher a Maré : Lançar-se a água de mar costa acima.

Encodar : Encalhar com a popa de uma embarcação durante a chegada à praia. Esse termo é o contrário de embicar.

Encolamento - Bilge : Transição entre o Costado e o Fundo. Pode ser arredondado, em quina, etc.

Encouraçado - Battle Ship : Navio de combate armado de canhões de grosso calibre, fortemente protegido por couraças e por uma compartimentagem estanque especialmente eficiente.

Encravar : Ação de encurtar cabos de uma embarcação.

Enfrechate : Espaços paralelos entre um estai e outro existente nas enxárcias, onde se situa uma espécie de degraus de madeira, que alcançam o topo dos mastros. É o mesmo que enfrechadura.

Enora - Mast Hole, Patner : Abertura feita em um Convés, por onde enfiha um Mastro ou o eixo de um Cabrestante.

Ensacamento : Acondicionamento das cargas em sacos.

Enseada : 1) Recôncavo de costa marítima. 2) Pequeno porto que serve de abrigo às embarcações. 3) Angra pequena.

Entocar : 1) Enrolar-se acidentalmente a amarra nas unhas da âncora, impedindo que ela se enterre no fundo. Diz-se que a âncora nessas condições está enfocada ou enrascada. 2) Foz ou desembocadura de um rio, canal ou abertura de acesso ou ancoradouro.

Entralhar : Unir a vela a uma corda contínua mediante costuras.

Entrecostado : Reforço de navio onde se pode acomodar ou esconder gente ou objetos.

Entreforro : Espaço do navio onde se pode acomodar ou esconder gente ou objetos.

Entrega Efetiva do Navio : Diz-se da mercadoria ao costado do navio, desde o início da operação de carregamento para embarque. As mercadorias carregadas ou descarregadas, para embarcações auxiliares de sua propriedade, são consideradas à guarda e responsabilidade do armador. A responsabilidade do navio transportador começa com o recebimento da mercadoria a bordo, e cessa com a sua entrega à entidade portuária, no porto do destino, ao costado do navio.

Entreposto Aduaneiro : Do francês entrepot, indica mais propriamente o armazém onde se depositam as mercadorias em trânsito, baldeadas, ou que vão ser reexportadas. Embora dependentes de despacho, não estão sujeitas ao pagamento de tributos aduaneiros (de Plácido e Silva, Dicionário jurídico).

Envazar : Meter em vaza; sustentar com envazadura o navio no estaleiro.

Enxada : Denomina-se a parte dianteira dos carrinhos utilizados dentro de determinadas instalações portuárias, para o transporte de pequenas cargas.

Enxárcia : Conjunto de cabos, chamados ovéns, agrupados por meio de enfrechates, que compõem o aparelho fixo de sustentação dos mastros e mastaréus no sentido transversal, de bombordo a boreste.

Enxovalhar : 1) Molhar facilmente o convés, atingido pela livre penetração de água do mar. 2) Beber água pela borda.

EPIRB : Abreviatura de radiobaliza para localização dos sinistros.

Equipagem : Pessoal numeroso do serviço de navio. É o conjunto dos homens colocados às ordens do capitão para assegurar pelas manobras a marcha regular do navio. Nos grandes navios de mar, se compõe de três elementos: oficiais, suboficiais e marinheiros. Tripulação.

Equipar : 1) Abastecer o navio com o necessário para a manobra, defesa e sustentação do pessoal. 2) Prover a embarcação do necessário para navegar. 3) Correr ligeiramente a embarcação.

Esbarro - Stopper, Limit Stopper : Peça que por contato, evita o deslocamento de outra peça.

Esbirrar : Escorar com esbirros - pontaletes usados na quarena, de encontro à amurada da embarcação, a fim de amparar a embarcação encalhada, para evitar que ela se incline com a baixa da maré.

Escada de Portaló - Accomodation Ladder, Gangway : Escada de acesso ao portaló, ligando este ao cais, colocada ao piso do navio e por fora do casco, ficando os degraus perpendicularmente ao costado. A escada tem duas pequenas plataformas nos seus extremos, as quais são chamadas patim superior e patim inferior.

Escada de Quebra-Peito - Jacob's Ladder, Rope Ladder : Tipo de escada de corda que é colocada no costado do navio, quando o mesmo se encontra fundeado ao largo ou em movimento, sendo utilizada por práticos, guardas e inspetores de alfândega.

Escada Vertical : Escadas verticais fixas, são escadas colocadas verticalmente no costado, numa antepara, num mastro etc., com degraus construídos em vergalhões de ferro e sem corrimãos.

Escala : 1) Diz-se da parada temporária de um navio durante uma viagem, a fim de efetuar embarque de passageiros ou cargas diversas Os portos de escala são os portos nos quais o navio toca durante a viagem. 2) Relação numérica, geralmente acompanhada de uma linha graduada, que, em mapas gráficos, indica a correspondência entre as dimensões e distâncias representadas graficamente e as reais magnitudes dessas dimensões e distâncias.

Escala de Calado - Draft Marks : Graduação marcada no costado dos navios a vante, a ré e, algumas vezes, a meia-nau, em ambos os bordos, para a leitura de calados.

Escaleres: São embarcações de pequeno porte, de propulsão a remo ou a vela, utilizadas como equipamentos salva-vidas e para serviços leves no porto.

Escantilhão - Scantling : Qualquer dimensão da seção transversal das peças estruturais do Casco, como Cavernas, Longitudinais, Vaus, Chapas, etc. (As Sociedades Classificadoras publicam regras e tabelas relativas aos Escantilhões exigidos para os navios mercantes).

Escota : Cabo que é usado para trabalhar com uma vela.

Escota da Grande : Cabo que controla o maior ou maior afastamento da retranca da vela grande da linha longitudinal do barco.

Escoteira - Revel : Peça metálica em forma de cruz, fixada ao Convés, que serve para dar volta aos cabos de laborar.

Escolho : Rochedo à flor da agua, emerso permanente e esporádicamente de acordo com o movimento da maré, ou totalmente imerso. O mesmo que recife.

Escolta : Conjunto de belonaves que, em caso de perigo, acompanha os navios mercantes, para defendê-los de eventual ataque.

Escora - Shore, Side Shore : Peça longa de madeira ou aço, que serve de apoio lateral ao costado do navio, no dique ou durante a construção.

Escotilha - Hatch, Hatchway : Abertura geralmente retangulare, feita no convés e nas cobertas, para passagem de ar, luz, pessoal e carga.

Escotilha de Carga - Cargo Hatch : Escotilha de dimensões aumentadas, utilizada para a passagem de carga para os porões.

Escotilha de Tonelagem - Tonnage Hatch : Escotilha, sem meios de fechamento permanente, utilizada nos Navios de Convés de Abrigo Aberto para tornar o Convés Principal não-estanque e, com isto, isentar os espaços entre este e o convés imediatamente abaixo, no cálculo da Tonelagem Bruta.

Escotilhão - Scuttle : Pequena abertura no convés usada para a passagem de pessoas, de dimensões menores que uma escotilha. Nos navios mercantes as aberturas que servem para a passagem do pessoal chamam-se escotilhões.

Escovém - Hawse Pipe : Tubo ou manga de aço que liga o Convés ao Costado e por onde passa a Amarra.

Escuna - Schooner : Antigo navio a vela, de mastreação constituída de gurupés e dois mastros: o de vante, mastro de escuna, o qual enverga também vela latina quadrangular, e o de ré, mastro de lugar.

Escuna

Espaçamento Entre Cavernas - Frame Spacing : Distância entre duas Cavernas contíguas. Nos navios mercantes é determinada pelas regras de construção, de acordo com o tipo e dimensões do navio. O mesmo que Vão de Caverna.

Espaço de Ar - Cofferdam : O mesmo que Coferdam.

Espaço de Segurança - Cofferdam : O mesmo que Coferdam.

Espaços Deduzidos - Deductions, Deductible Spaces : Espaços que, de acordo com as regras de medição de tonelagem, são subtraídos da tonelagem bruta para se obter a tonelagem líquida. Os espaços deduzidos de um modo geral são: as acomodações do comandante e da tripulação; os espaços destinados à navegação e aos serviços do navio; os espaços destinados às máquinas à propulsão.

Espaços Isentos - Exemptions, Exempt Spaces : Espaços de um navio mercante que não são computados na determinação da Tonelagem Bruta. Ex.: Duplos-Fundos, Espaços de Ar, espaços dos aparelhos de governo e de suspender. Espaços Deduzidos e Tonelagem Bruta.

Espalmado : Diz-se do navio cujo casco está limpo de limo.

Espalmar : Limpar o casco da embarcação dos limos e outras aderências, para imitá-lo ou alcatroá-lo em seguida.

Espardeque - Spardeck : Anglicismo que designa, na Marinha de Guerra, a Superestrutura Central.

Espias: Cabos que amarram um navio a um cais ou a outro navio. Devem ser leves, flexíveis e resistentes à tensão; podem ser feitos de aço, nylon, fibras ou mistos.

Espinhaço - Ridge : Cabo de arame ou viga de madeira, colocada no Plano Diametral do navio, para sustentar o Toldo.

Espiral de Projeto: É a representação gráfica do conjunto das relações das atividades e profissionais envolvidas no projeto e construção de uma embarcação em cada uma das fases deste processo.

Espraiado : Trecho de praia que fica descoberto com a baixa da maré.

Espringue - Spring : Toda espia lançada em direção à meia-nau de uma embarcação para a sua atracação.

Esquadra : 1) Conjunto de navios ou aviões de guerra de um país. 2) Seção de uma companhia de infantaria. 3) Divisão de uma armada ou frota.

Esquadros - Bracket : Pedaços de chapa em forma de esquadro, que servem de ligação de dois perfis, duas peças quaisquer, ou duas superfícies que fazem ângulo entre si.

Esqueleto - Skeleton : Madeirame que compõe o navio, excetuando o tabuado que o forra, o soalho e a mastreação. O mesmo que ossada.

Esquema de Rotas : Conjunto de medidas relativas a rotas, visando reduzir o risco de acidentes, inclui os esquemas de separação de tráfego, rotas de navegação em dois sentidos, derrotas aéreas a serem evitadas, zonas de tráfego costeiro e rotas profundas.

Estabilidade - Stability : Propriedade que deve ter a embarcação de voltar à sua posição normal assim que deixarem de atuar as forças que tendem a incliná-la.

Estabilidade Estática ou Inicial : Tendência que deve ter o navio para voltar à sua posição direita ao cessar a força externa que o afastou dessa posição (vento, mar, guinada etc.).

Estabilizador : Espécie de aparelho giroscópico que mantém a estabilidade do navio, no mar agitado.

Estacada : Barreira estabelecida provisoriamente à entrada de um porto, formada de cordas, mastros, cadeias etc., para impedir a passagem de navios inimigos.

Estação : 1) Local onde um ou mais navios permanecem por determinado tempo. 2) Tempo que o navio demora. 3) Compartimento ou recinto no qual se executa determinada atividade especializada, a bordo de um navio de guerra, tais como estação-rádio, estação de controle de avarias etc.

Estadia : Demora que o capitão do navio fretado é obrigado a fazer no porto para a carga ou descarga de mercadorias, sem acarretar aumento de frete.

Estai - Stay Brace : Cada um dos cabos de aço, galvanizado ou inoxidável, que aguentam os mastaréus para vante, compondo, juntamente com os brandais e as eventuais enxárcias, o aparelho fixo da embarcação.

Estai de Popa : Cabo de aço estendido entre a popa e o topo do mastro que impede o seu movimento para frente.

Estai de Proa : Cabo de aço estendido entre a proa e o topo do mastro que impede o seu movimento para trás.

Estaleiro: 1) Armação de cantaria ou de madeira sobre a qual assentam as traves e a envazadura que sustam o navio enquanto está sendo construído. 2) Lugar onde se constróem navios.

Estância : 1) Parte do navio onde os grumetes comem e dormem. 2) Ancoradouro, surgidouro, local onde estão os navios no porto; varadouros de navios.

Estanque - Tight, Watertight : Impermeável a um ou mais agentes. O termo, quando usado isoladamente, é entendido como estanque à água. Caso o agente seja outro, a ele se deve fazer referência. Ex.: Estanque ao ar, Estanque a gases, Estanque a chamas, etc.

Estanqueidade - Tightness, Watertightness : Qualidade do que é impermeável a um agente específico. O termo usado isoladamente refere-se a impermeabilidade à água.

Estar à Roça : Diz-se de uma ou mais âncoras quando colocadas de prevenção sobre as barras, prontas para serem lançadas à água em caso de necessidade.

Estar em Âncora : Levantar ferro, voltando a âncora para seu lugar a bordo.

Esteira : 1) Movimentação da água provocada pelo movimento do hélice. Na popa, soma-se à corrente de esteira de uma embarcação convencional; 2) Bordo inferior da vela. (ver testa e valuma).

Esteira, Corrente de : Corrente formada pelos acessórios e saliências do casco quando do seu deslocamento na água. Normalmente está localizada muito próxima do casco.

Esteiras : Equipamentos mecânicos apropriados para os serviços de transporte de carga de um local para outro.

Esteiro : 1) Pequeno afluente de rio ou braço estreito de mar que penetra terra adentro. 2) Estuário.

Estibordo - Starboard : o lado de Boreste no português de Portugal.

Esticador : Ou macaco esticador é uma peça aplicada ao chicote de certos cabos, como brandais, para os tesar.

Estima : Método pelo qual se determina a posição da embarcação sem utilizar observações astronômicas.

Estimado : Latitude ou longitude estimada. Coordenadas do ponto relativo à estima.

Estimar : Fazer a estima do caminho ou paragem do navio.

Estiva : Todo o fundo interno de um navio, da proa à popa; a primeira camada de carga que se coloca em um navio, geralmente, a mais pesada; contrapeso que se põe no navio para equilibrá-lo e não descair para o lado mais carregado; grade ou pau, assente no porão do navio, sobre o qual se amarra a primeira carga, para isolar da umidade; registro de gêneros alimentícios feito pêlos oficiais de bordo. O serviço de movimentação de mercadoria entre o porão do navio e o convés, e vice-versa.

Estivador : Carregador que trabalha na carga e descarga de navios; o que dirige a carga e a descarga de navios por conta própria ou de casa comercial.

Estivador Estoque : 1) Carregador de navio; diz-se também da quantidade de mercadorias de determinada espécie, disponível num mercado ou num armazém; 2) Diz-se quando existem bens sujeitos à provisão.

Estivagem : Conjunto de operações destinadas à movimentação de mercadorias de terra para bordo, ou de uma embarcação para outra, assim como de bordo das embarcações para terra. A estivagem será sempre executada de acordo com as instruções do comandante do navio ou seu preposto.

Estivar : Por estiva ou contrapeso à carga de um navio.

Estofo : Período de preamar e da baixa-mar em que o nível do mar permanece inalterado, por ausência temporária da corrente da maré.

Estrado - Floor, Grating : Também chamado pallet, é uma peça que serve de base às mercadorias, tais como: conjuntos de sacos, de pacotes, de tambores etc.; constituída de tabuleiro de madeira, metal, papelão, plástico ou outro material, com forma adequada para ser usada por empilhadeira, guindaste, autoguindaste e que permita superposição segura e movimentação fácil de mercadorias em armazéns, portos, pátios de carga e por veículos de transporte. Às vezes, é utilizado com cintas de aço ou plásticas para formar conjunto integrado.

Estreito : 1) Braço que estabelece ligação entre dois mares ou duas partes do mesmo mar. 2) Canal natural.

Estribo - Horse : Cabo de arame passado entre o Terço e cada um dos Laises de uma Verga, destinado ao apoio dos pés de quem nela tenha de trabalhar.

Estropo : 1) Denominação dada ao cardume utilizado na amarração da carga a ser movimentada pelo guindaste; Pedaço de cabo com mãos nas extremidades utlizado na movimentação de carga.

ETA : Abreviatura de hora estimada de chegada (Estimated Time of Arrival).

ETD : Abreviatura de hora estimada de saída (Estimated Time of Departure).

Evolução : Movimento das embarcações de uma esquadra, ao mudar de posição; movimento que uma embarcação descreve para tomar determinada direção.

Expoente de Carga - Gross Deadweight : Diferença entre o deslocamento máximo e o deslocamento mínimo do barco, referente ao peso embarcável. O mesmo que porte bruto.

Expoente de Carga Líquido - Net Deadweight : O mesmo que Porte Líquido.

Extravio : Caracteriza-se o extravio quando uma carga é desembarcada em ponto diferente do seu destino.


F

F : Bandeira FOXTROT. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Estou à matroca; comunique-se comigo".

FOXTROT

Faixa de Linha d'Água - Boottoping : Pane do casco compreendida entre a flutuação leve e a flutuação carregada. O mesmo que zona de flutuação.

Faixa do Cais : Denomina-se o local adequado para receber a atracação de uma embarcação.

Falcaça : Voltas redondas com fios finos usando uma agulha, em torno da extremidade de um cabo cortado, de modo a impedir que este se desfie.

Falésia : 1) Formação de rochas altas e escarpadas na costa como resultado da ação mecânica do mar. 2) Configuração típica de regiões expostas a marés altas; é comum no litoral brasileiro.

Falsa : Diz-se da embarcação pouco estável, que aderna facilmente, por defeito de construção, por leveza ou má distribuição de pesos.

Falsa Amura : Navegação à popa em que a retranca da vela grande vai na mesma amura em que o barco recebe o vento.

Falta de Acréscimo : Inexatidão quantitativa, na descarga ou desembarque, em parte ou no todo, das unidades ou peso manifestado que compõem a partida de mercadorias.

Falta de Volumes : Diz-se quando a descarga de volumes acusa uma quantidade menor do que a manifestada.

Falua : 1) Embarcação típica do rio Tejo, Portugal, semelhante à fragata. 2) Embarcação semelhante a um bote, com casco de boca larga, popa e proa, afiladas, e remos opcionais. É empregada, geralmente, para o transporte de pessoas e cargas nos portos.

Farol - Lighthouse : Sinal marítimo facilmente identificável, à luz do dia, por sua construção alta, em forma de torre, e, de noite, pela luz de longo alcance (seis milhas, no mínimo) emitida na parte superior. O farol é de elevada importância para a navegação, pois assinala acidentes da costa, entrada de portos ou canais, ilhas, baixios etc. Sua luz, de cor vermelha, verde, branca, é geralmente intermitente e pode ser elétrica, a gás ou a vapor de petróleo.

Farol

Farol de Borda : Designa um farol de luz verde colocado a boreste e um farol de luz vermelha colocado a bombordo. Num navio de comprimento inferior a vinte metros, os faróis de borda podem ser combinados num só farol colocado sobre o eixo longitudinal do navio. Conhecido como Luz de bordo.

Farol de Eclipse : Farol para iluminação de baixios e costas, deposto de modo tal que os diversos setores do horizonte são iluminados e mantidos na escuridão, alternada e sucessivamente.

Farol de Mastro : Designa um farol de luz branca colocado sobre o eixo longitudinal do navio, projetando uma luz sem interrupção e colocado de forma a mostrar essa luz desde a proa até a ré do através de cada bordo. Conhecido como luz de mastro.

Farol de Navegação : 1) Pequena lanterna de porte obrigatório, de acordo com o Regulamento da Conferência Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar. O número de lanternas, sua posição no barco e a sua cor vermelha, verde e branca indicam o tipo de embarcação, a tonelagem, a atividade específica. 2) Lampião que se coloca na popa do navio ou na gávea do mastaréu da gata, para indicar onde o barco navega ou está fundeado. Conhecido como luz de navegação.

Farol de Popa : Farol de luz branca colocado tão próximo quanto possível da popa, projetando uma luz sem interrupção. Conhecido como luz de alcançado.

Farol de Reboque : Farol de luz amarela com as mesmas características do farol de popa. Conhecido como luz de reboque.

Farol de Relâmpagos : Farol de lampejos regulares cujo ritmo é de 120 ou mais relâmpagos por minuto. Conhecido como farol por lampejo.

Farolete : É uma armação metálica para sinalização das vias navegáveis, tendo em sua parte superior, uma luz cujo raio de alcance é inferior a 10 milhas náuticas.

Fasquia - Awning Spar, Awning Lath : Cada uma das peças transversais de madeira que sustentam o Toldo.

Fateixa : Pequena âncora sem cepo, de haste cilíndrica e quatro braços recurvados para cima e terminados em unhas triangulares. É usada no fundeio de pequenas embarcações.

Fator de Estiva - Stowage Factor : Volume em metros cúbicos ocupado por uma tonelada métrica de uma mercadoria, em sua embalagem normal para embarque. No sistema inglês de medidas e volumes, em pés cúbicos ocupados por uma tonelada pelo alto-mar.

Fazer Água : Ter algum rombo ou fenda na embarcação, por onde entre água.

Fazer-se ao Mar : Distanciar-se da costa.

Fechar a Bolina : Aproximar a proa do vento.

Feitor : Título dado ao chefe da turma de operadores de carga e descarga (Portugal).

Feitor Portuário : Funcionário da administração de um porto que tem a responsabilidade de coordenar e controlar uma ou mais turmas (ternos) de trabalhadores portuários na execução dos serviços que lhes são destinados (Portugal).

Ferrar : Amarrar as velas com cabos nas retrancas, estais ou no pau de bujarrona.

Ferro - Anchor : O mesmo que Âncora. As âncoras são comumente chamados, a bordo, os ferros do navio.

Ferro de Leva - Bower Anchor : O mesmo que Âncora de Leva.

Ferro de Popa - Stern Anchor : Âncora colocada na Linha de Centro de alguns navios, no Painel de Popa, para fundeá-los de Proa a Popa, em águas estreitas.

Ferro de Roça - Kedge Anchor : Âncora transportada em alguns navios, por ante-a-ré de um Ferro de Leva. Destina-se a ser fundeada em caso de emergência, quando os Ferros de leva agarram ou são perdidos.

Ferro de Roda - Stern Anchor : Âncora colocada na linha de centro de alguns navios, na Roda de Proa, em substituição ao Ferro de Roça.

Ferro do Toldo - Awning Stanchion : Cada uma das colunas metálicas, desmontáveis ou fixas, que sustentam o Espinhaço, as Fasquias e os Vergueiros do Toldo.

Ferro Perfilado - Bar, Iron : Perfil de ferro ou de aço.

Fiada - Strake : Série de chapas disposta numa mesma fileira longitudinal do Chapeamento.

Fiador : Amarra usada em bóia.

Fiel de Armazém : Empregado que tem a seu cargo a guarda das mercadorias armazenadas, pelas quais é responsável.

Filado ao Vento : Condição em que a embarcação aponta a proa diretamente para o vento sem seguimento ou governo.

Filame : Comprimento da amarra entre a abita e a âncora, quando a embarcação está fundeada em extensão da amarra necessária à eficiência do fundeio.

Fio : Anteparo provisório que divide o meio do porão, no sentido da quilha, e que serve para manter equilibrada a carga do navio.

Fixação do Carro de Lançamento - Securing Lashings : Conjunto de cabos de aço ou outros dispositivos que mantém o Carro de Lançamento fixo ao navio.

Flanco : Diz-se do costado do navio.

Flange - Flange : Lado menor de um Perfil Laminado.

Flotilha : 1) Pequena frota. 2) Esquadrilha.

Flutuabilidade: É a propriedade de poder permanecer na superfície d'água, mesmo com sua carga completa.

Flutuabilidade, reserva de: É o volume da parte do navio acima da superfície da água e que pode ser tornada estanque. Na maioria dos navios, é o volume compreendido entre a zona de flutuação e o convés principal, mas em alguns refere-se também às superestruturas como o castelo de proa e o tombadilho, que podem ser estanques. A reserva de flutuabilidade exprime-se em percentagem do volume deslocado pelo navio. Para um navio imergir por completo, é necessário carregá-lo com um peso igual ao peso da água necessária para preencher o volume definido como a reserva de flutuabilidade.

Flutuação - Waterline : Ato ou efeito de flutuar. Movimento oscilatório, ondulação. Ver Linha de flutuação.

Flutuação Carregado - Load Line, Load Waterline : O mesmo que Linha de Carga Máxima.

Flutuação de Projeto - Designed Waterline : O mesmo que Linha de Projeto.

Flutuação Direita - Upright Position : Condição de flutuação da embarcação na qual não existe Compasso nem Banda. O mesmo que Flutuação Reta.

Flutuação Em Plena Carga - Load Line, Load Waterline : O mesmo que Linha de Carga Máxima.

Flutuação Leve - Lightship Waterline : Flutuação correspondente ao Deslocamento Leve.

Flutuação Normal - Normal Waterline : Flutuação correspondente ao Deslocamento Normal.

Flutuação Reta - Upright Position : O mesmo que Flutuação Direita.

Flutuante - Floating Stage : Plataforma flutuante, sem propulsão própria e sem equipamentos e compartimentagem que lhe dêem finalidade específica. Pode ser empregado nos mais variados serviços que necessitam de uma base de apoio flutuante ou para impedir o contato díreto do casco de um navio com o de outro navio ou cais onde se acha atracado.

Fogo : 1) Acender o navio-almirante todos os faróis, à noite, para guiar a esquadra. 2) Farol para guiar o navegante. "Trazer fogo" era a expressão mais usada antigamente.

Fogos de Posição : Aqueles que se acendem à popa do navio ancorado ou que chega ao ancoradouro, para indicar sua posição ou manobra.

Folgar : Aliviar (normalmente uma escota).

Folha de Corte de Chapa - Subdivision Chart, Layout Drawing : O mesmo que Plano de Corte de Chapa.

Fonoclama: Sistema de auto-falantes para comunicação interna.

Forçar os Mastros : Aumentar o número de velas, para dar melhor andadura ao navio.

Forçar o Tempo : Diz-se quando se deseja navegar contra o vento e contra a maré.

Forqueta : Peça metálica com uma forquilha, onde se apóiam os remos de um barco.

Forras de Rizo : Dispositivo (olhais e cabos) usado para reduzir a vela quando o vento está muito forte.

Forro - Skin, Lining : Revestimento de qualquer parte do navio ou do seu equipamento.

Forro Exterior - Outer Skin, Outer Plating : Revestimento constituído de chapas ou tábuas, aplicado sobre os elementos estruturais do Casco, definindo seu formato e garantindo sua estanqueidade.

Forro Interior do fundo - Inner Skin, Floor Ceiling : Revestimento estanque aplicado sobre as Hastilhas, nos navios com Fundo Duplo. O mesmo que Teto do Fundo-Duplo.

Fortuna do Mar : 1) Todo e qualquer risco fortuito que atinge o navio e as mercadorias, pelas quais o armador deve responder. 2) Todo acontecimento imprevisível ou inevitável que acarreta a perda ou dano de um navio ou de sua carga. 3) Risco marítimo, contra o qual o armador se previne fazendo o seguro marítimo. 4) Todo acontecimento ou todo o fato inerente à navegação marítima suscetível, neste particular, de causar dano à expedição marítima (Julien Bonecase).

Foz : Boca de um curso de água; ponto onde um rio deságua noutro ou num lago ou num mar. De foz em fora. Pela barra a fora, pelo mar a fora.

Fragata - Frigate : Navio de guerra superior à corveta, mas inferior à nau, geralmente com duas cobertas e mais trinta bocas-de-fogo. O seu emprego é semelhante ao do contratorpedeiro, sendo, porém, de maior porte e normalmente dotado de mísseis, entre outras armas.

Franquia : Autorização para algum navio entrar em um porto sem pagar quaisquer taxas ou impostos. Em direito marítimo, é a cláusula que, nas apólices de seguro marítimo, limita as obrigações do segurador, tendo em vista, sobretudo, as condições do produto exportado, cuja suscetibilidade de sofrer uma avaria se torna difícil avaliar. Em náutica, é o lugar onde fundeiam as embarcações no ancoradouro isento de taxas; barco que satisfaz todas as exigências fiscais e que está desembaraçado e apto para partir.

Fretador : Pessoa que dá a embarcação a frete.

Fretamento : Contrato pelo qual alguém, mediante preço ajustado, se obriga a transportar numa embarcação, de um porto para outro, mercadorias ou coisas alheias. Afretamento. O instrumento de contrato é denominado carta partida, apresentando as seguintes características: locação total ou parcial de um navio ou qualquer outra embarcação, ou veículo para o transporte de mercadorias ou passageiros, de um para outro lugar, mediante o preço ajustado. A locação é total quando o navio é inteiramente ocupado pela carga, com exceção da câmara do capitão, alojamentos da guarnição e os cómodos onde se guardam os equipamentos de bordo. A locação é parcial quando tem por objeto o transporte de mercadorias que lotam apenas uma parte do navio e não são entregues por um só e mesmo carregador. (V. carta partida).

Frete : 1) Aquilo que se paga pêlos serviços de transporte de mercadorias, cujo valor é resultante da aplicação de uma tarifa. 2) Locação de um navio ou qualquer outro veículo. 3) Preço pago ao condutor pelo fretamento ou transporte de coisas ou mercadorias, por qualquer via, de um lugar para outro. O frete pode ser pago ou a pagar: 1) Pago - quando o pagamento é feito ao condutor, no ato da entrega da mercadoria para o transporte, que neste caso é denominado livre; 2) A pagar - quando o pagamento é feito posteriormente pelo destinatário, ao retirar as mercadorias que lhe foram consignadas.

Frota : Conjunto de embarcações pertencentes à mesma classe.

Fruteiro - Fruiter : O mesmo que Navio Fruteiro.

Funda : Material do serviço de capatazia, feito de lona e com extremidades de corda, normalmente usada na confecção de lingadas.

Fundão : Em oceanografia, é o local extremamente fundo de uma fossa submarina, originado quase exclusivamente por fenômenos tectônicos.

Fundear: O mesmo que ancorar.

Fundo - Bottom : Parte inferior do casco, desde a quilha até o bojo; quando o fundo é chato, diz-se que o navio tem fundo de prato.

Fundo de Prato - Flat Bottom : Fundo da embarcação, cujo pé de Caverna é igual a zero.

Fundo-Duplo - Double Bottom : O mesmo que Duplo-Fundo.

Furo de Alívio - Lightening Hole : Orifícios executados em membros estruturais do navio, para reduzir o seu peso.

Fuzil : Dispositivo que conecta os estais e brandais ao convés ou casco.


G

G : Bandeira GOLF. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Solicito prático. Quando feitos por barcos de pesca, operando nas proximidades das áreas de pesca, significa "Eu estou arrastando redes"".

GOLF

Gabarito - Pattern : Modelo feito em geral de vergalhão ou de chapa de aço, utilizado no curvamento de chapas e de peças.

Gaio - Guy : Aparelho que aguenta para vante o Pau de Surriola disparado.

Gaiola : Tipo de embarcação a vapor, de pouco calado, dotado de pás giratórias à popa ou em ambos os costados dos barcos.

Gaiuta - Companion : Armação construída em madeira ou metal, com que se cobrem as escotilhas destinadas a entrada de ar e luz para o interior do navio.

Gaiuta da Praça de Caldeiras - Boiler Room : Conjunto de Anteparas em volta de uma abertura, indo do Convés Principal à Praça de Caldeiras, onde são alojados os condutos de fumaça.

Gaiuta da Praça de Máquinas - Engine Room Companion : Conjunto de Anteparas em volta de uma abertura, indo do Convés Principal à Praça de Máquinas, alojando os condutos de gases de descarga e permitindo o acesso à Praça dos motores propulsores ou das turbinas, conforme for o caso.

Gaiuta do Motor: Armação que cobre a abertura no convés acima da praça de máquinas, abertura esta com dimensões suficientes para que se possa retirar o motor da embarcação.

Galear : Balançar natural da embarcação no sentido de popa a proa.

Galeota : 1) Pequena embarcação movida a remos. 2) Barco alongado, empregado em navegação fluvial, particularmente para recreio. Na Amazônia, é um tipo de canoa com toldo maior que o igaraté, usada pelos regatões em seu comércio ambulante.

Galeota

Galera : 1) Navio comprido, de baixo bordo, com dois ou três mastros, movido geralmente a remos, nas outras vezes, a vela. 2) Galé.

Galera

Galhardete : Pequena bandeira içada nos mastros e mastaréus como sinal, identificação ou aderno.

Galope - Head, Top of Mast, Pole : Parte do Mastro situada acima dos cabos mais altos do Aparelho Fixo do navio.

Garlindéu : A junção que une a retranca ao mastro. Funciona como um elo giratório que permite a retranca mover-se para cima, para baixo e de um lado para o outro.

Garoupeira : Embarcação de dois mastros, o menor deles na popa, com uma vela retangular e outra triangular. É empregada na pesca da garoupa nos baixios dos Abrolhos, no litoral da Bahia.

Garrar : Arrastar o ferro por este não segurar bem a embarcação.

Garruncho : Peça de fixação de uma vela ao estai.

Gata (âncora) - Single-Armed Anchor : Âncora Almirantado com um só Braço e Cepo pequeno, utilizada para amarrações fixas.

Gata (vela) : Vela redonda que se arma por cima da mezena.

Gateira - Chain Pipe : Abertura feita no Convés, próxima à Máquina de Suspender, que serve para dirigir a Amarra para o Paiol da Amarra. Buzina da Amarra.

Gatilho de Retenção - Trigger Detent : Conjunto mecânico que substitui a Chapa de Retenção e que, acionado instantes antes do Lançamentos, libera o Carro de Lançamento e o navio para começar a deslizar.

Gato - Hook : Gancho de metal preso na extremidade do cabo ou corrente do guindaste e ao qual é engatado o laço do estropo, da funda etc., auxiliando no içamento de pesos e fixação das amarras na movimentação da lingada.

Gato de Escape - Slip-Hook, Thip-Hook : Gato cujo cotovelo é articulado, permitindo soltar-se sem que seja aliviada a tensão ou peso exercido sobre ele.

Gato de Reboque - Towing Hook : Gato especialmente construído para suportar a tensão do cabo de reboque, quando a embarcação estiver rebocando uma outra.

Gato de Tesoura - Safety Hook, Sister Hook, Clasp : Conjunto de dois Gatos singelos, sobrepostos, posicionados em sentidos opostos e articulados no mesmo eixo, que se fecham cruzando as suas extremidades.

Gato de Tornel - Swivel Hook : Gato com um Olhal de tal forma articulado que lhe permite girar em torno de seu ponto de suspensão.

Gato Fixo - Fixed Hook : Gato soldado ou aparafusado a uma Antepara, ao teto de uma Coberta ou a outra peça sólida qualquer.

Gave-Tope : Vela latina que arma no mastaréu do mesmo nome.

Gávea : Velas que se envergam nas vergas de gávea, as segundas a contar de baixo.

Geleira : Embarcação a vela ou a motor, utilizada exclusivamente para transporte de peixe congelado, típica da ilha de Marajó.

Genoa : Vela de proa maior que um estai.

Gênero de Embarque : Produtos alimentícios convenientemente preparados para suportarem a viagem marítima.

Giba : Vela triangular que enverga ante-a-vante da bujarrona.

Gig : Embarcação fina e comprida, que é movida a remos, podendo ter de quatro a oito remadores.

Gigante - Web Frame : O mesmo que Caverna Gigante.

Giro - Pivoting : O mesmo que Pivotamento.

Gola - Ring : Cantoneira, barra ou peça fundida, que contorna uma abertura, para reforço local.

Golpe de Mar : Choque mais ou menos violento de uma onda que, ao Desenvolver-se, bate no costado duma embarcação.

Gorne : Denominação dada a roldana de um moitão.

Governar a Meio : Ato ou ação de seguir um navio exatamente o seu rumo, quando o leme está diretamente no prolongamento da quilha.

Governaduras - Pintles, Pintles Casing : Conjunto de machos e fêmeas por meio do qual se prende, no Cadaste ou no Painel de Popa, um Leme Apoiado, o que permite fazê-Io girar em torno de um eixo vertical.

GPS: Sistema de navegação que utiliza sinais emitidos por satélites geo-estacionários, dá leituras de posição a qualquer momento, é extremamente preciso e de dimensões bastante reduzidas.

Graneleiro - Bulk Carrier : O mesmo que Navio Graneleiro.

Graneleiro Combinado - Ore-Oil Carrier : O mesmo que Navio Graneleiro Combinado.

Graneleiro Combinado Universal - Oil-Bulk-Ore Carrier : O mesmo que Navio Graneleiro Combinado Universal.

Graneleiro Universal - Oil-Ore Carrier, OBO Carrier : O mesmo que Navio Graneleiro Combinado Universal.

Grinalda - Taffrail : Parte superior do painel de popa ou moldura que o orna.

Grosso : 1)Diz-se das principais avarias do navio que precisam de reparação. 2) Diz-se do tempo em que há tormenta. 3) Diz-se da nau de alto bordo.

Grumete: Marinheiro de graduação inferior da armada.

Guarda-Costas - Coast Defense Ship : 1) Embarcação dotada de alta velocidade e grande mobilidade, destinada a patrulhar águas costeiras. 2) Navio destinado a percorrer a costa marítima de uma nação para evitar o contrabando. 3) Navio de guerra para a defesa costeira.

Guarda-Hélice - Propeller-Keeper : Armação que se projeta para fora do costado, na altura do hélice, para evitar que este bata de encontro ao cais ou a outra embarcação.

Guarda-Mancebo : Cada um dos cabos que servem de corrimão no gurupés e no pau de surriola.

Guardamoria : Repartição anexa às alfândegas, incumbida do policiamento fiscal nos portos e a bordo dos navios.

Guarnecer - To Commission : Preparar a embarcação e provê-la dos apetrechos necessários, equipar o pessoal.

Guia Lateral do Trilho de Lançamento - Launching Ribband : Dispositivo fixado dos lados do Trilho de Lançamento, para impedir o deslocamento lateral do Carro de Lançamento, durante o Lançamento.

Guinada - Turn : 1) Altura do mastro, do mataréu ou da vela. 2) Desvio que uma embarcação faz de seu rumo.

Guincho - Winch : Aparelho constituído por um ou dois tambores (saias), ligados a um eixo horizontal acionado por motor elétrico (com transmissão mecânica ou hidráulica), máquina a vapor ou manualmente, destinado a içar espias, movimentar aparelhos de carga.

Guinda - Height of a Mast : Altura de um Mastro ou Mastaréu, medida desde a Linha de Flutuação até o Tope do Mastro ou Mastaréu.

Guindaste - Crane : Também chamado 'guindaste de cais', este equipamento é geralmente usado para a movimentação de carga geral. Há muitos tipos de guindastes; este é dividido em: fixo e móvel. Alguns deles dispõem do movimento da lança vertical e horizontal, outros tão-somente vertical, dependendo de a que se destinam.

Guindaste de Bordo - Ship's Crane : Guindastes existentes no próprio navio.

Guindaste de Torre Móvel - Mobile Tower Crane : Equipamento utilizado no manuseio de cargas pesadas (transporte de painéis, blocos, equipamentos, etc.).

Gurupés : Mastro que sai por fora da proa com uma inclinação de cerca de 35º relativamente ao plano horizontal.


H

H : Bandeira HOTEL. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Tenho prático a bordo".

HOTEL

Habita - Riding Bitt, Mooring Bitt : O mesmo que Abita.

Hangar : 1) Compartimento situado nas imediações da área de pouso dos helicópteros, nos navios capacitados para receber tal aeronave, onde esta é estacionada e submetida a manutenção e reparo. 2) Diz-se da primeira coberta abaixo do convés de vão dos navios aeródromos, onde os aviões estão estacionados para manutenção e reparo.

Haste da Âncora - Anchor Shank : Parte da âncora que se une à face interior dos barcos por uma das extremidades e ao anete pela outra.

Hastear : Içar, arvorar, fazer subir.

Hastilha - Floor, Floor Plate : Chapas colocadas verticalmente no fundo do navio, em cada caverna, aumentando a altura destas na parte que se estende da quilha ao bojo.

Hastilha Aberta - Open Floor : Hastilhas constituídas de Cantoneiras periféricas, com Borboletas de reforço, alternadas com Hastilhas Sólidas no Fundo do navio.

Hastilha Alta - Deep Floor : Hastilhas de maior altura que a normal, colocada nas regiões extremas do navio, a fim de aumentar a resistência do Fundo contra impactos provocados por Caturros e Arfagens. O mesmo que Caverna Alta.

Hastilha de Chapa - Plating Floor : O mesmo que Hastilha.

Hastilha Completa - Solid Floor : O mesmo que Hastilha Sólida.

Hastilha Estanque - Watertight Floor : Hastilha Sólida sem Furos de Alívio, de construção estanque, que delimita os Tanques do Duplo-Fundo ou compõe a subdivisão estanque do navio.

Hastilha Sólida - Solid Floor : Hastilha formada por uma chapa com ou sem Furos de Alívio. O mesmo que Hastilha Completa, Hastilha de Chapa, Chapa-Hastilha, ou Chapa Caverna.

Hélice - Propeller : O Hélice é um aparelho de propulsão consistindo de um bosso com pás no sentido radial, cujas faces posteriores são superfícies aproximadamente helicoidais. O Hélice é colocado geralmente na Popa.

Hélice Preso : Diz-se quando um cabo, arame, rede etc. enrola no hélice.

Hinterlândia : 1) Diz-se da cidade ou localidade onde se localiza o porto. 2) Região do país servida por meio ou vias de transportes terrestres, fluviais ou lacustres para a qual se encaminharam de forma direta as mercadorias desembarcadas no porto ou da qual procedem mercadorias para embarque no mesmo porto. 3) São as faixas litorâneas ou marginais, "contíguas às instalações do porto, ou a baía ou a enseada em que elas se encontrem..."

Homem do Leme : Timoneiro ou Skipper. Governa o leme e normalmente assume a direcção da tripulação.

Horas Paralisadas : Considera-se a quantidade de horas de paralisação verificada durante a operação de embarque ou desembarque à mercadorias no porto. Tal ocorrência, para fins de controle operacional, deverá registrar o motivo na ordem de serviço ou em boletim.

Horas Requisitadas : Considera-se a quantidade de horas solicitadas pelo armador ou seu preposto, objetivando a realização da operação de embarque ou desembarque de mercadorias no porto.

Horas Utilizadas : Refere-se ao somatório das horas utilizadas no mês, por cada tipo de equipamento, excluindo-se, entretanto, as horas da paralisação registradas por qualquer motivo.

Hydrolift - Hydrolift Elevator : Elevador destinado ao lançamento de pequenas embarcações na água.

 


I

I : Bandeira INDIA. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Estou guinando para Bombordo".

INDIA

Iate : 1) Navio ou pequena embarcação de recreio, de cerimônia ou de aparato, de pequena lotação, com dois mastros e um gurupés. 2) Embarcação a vela ou a motor, de recreio ou competição.

Iata de Regreio : Navio fino e ligeiro construído e armado com dois ou três mastros, ou por sistema misto, usado para passeio ou competições desportivas.

Iatismo : Prática esportiva da navegação em embarcações à vela ou a motor.

Içar : Suspender qualquer objeto por meio de cabos ou aparelhos.

Iceberg : Grande bloco de gelo que se desprende, por acúmulo, das regiões polares e fica à deriva pêlos mares, nas zonas de altas latitudes.

Igaraté : Grande canoa de um mastro e boca larga, medindo de 2,2 a 3,3 metros, usada nas costas do Maranhão, Pará e Amapá.

Ilha : Extensão de terra menor que os continentes e cercada de água por todos os lados.

Ilha Flutuante : Construção flutuante em alto-mar para servir de escala a navegação aérea.

Imersão : Distância medida verticalmente entre a pane superior da quilha e o plano de flutuação.

Importação : Diz-se da introdução de mercadorias, de que necessita o país para o consumo interno, procedentes de outro país.

Imposto de Tonelagem : Imposto pago por um navio nos portos, em proporção com o número de toneladas que representa.

Inavegabilidade do Navio : É o estado do navio em que não se pode continuar a navegação, quer por ser irreparável - inavegabilidade absoluta -, quer por motivo de a reparação do navio ser muito cara, ou dificuldade dos meios de reparação.

Indicação de Posição : Um dos meios utilizados para a busca e salvamento. Os comandantes devem, portanto, fazer o pleno uso dos sistemas e dispositivos de indicação de posição, onde quer que eles existam.

Indicador Náutico : Instrumento com que se determinam a latitude, a longitude e a variação da bússola no mar.

Índice de Rotatividade : Relação entre o tempo de singradura e o tempo total gasto numa viagem redonda, ou seja: K = Índice de rotatividade =  Tm. Onde: Tm = Tempo total em dias despendidos no mar (singradura). TP = Tempo total em dias despendidos nos portos. Tm + TP.

Inscrição : Requisito necessário no Brasil para utilizar barcos de esporte e recreio. A inscrição pode ser feita nas capitanias, delegacias ou agências dos portos da circunscrição em que for domiciliado o proprietário do barco ou seu representante legal.

Inspetor : Denominação dada ao chefe de inspetoria, cuja chefia se encontra subordinada à diretoria de operações de determinada companhia que administra o porto. A sua função é controlar e organizar os serviços realizados na parte externa dos armazéns, compreendidos nos limites de sua jurisdição.

Inspetoria : Divisão administrativa da diretoria de operações de determinada administração do porto, responsável por determinado número de armazéns ou outras instalações portuárias.

Instalação de Alto-Mar : Qualquer estrutura de alto-mar, tais como plataforma de perfuração, de produção etc., que possa representar um perigo à navegação.

Instalações Portuárias : De acordo com o decreto n° 24.447, de 22 de junho de 1934, as instalações portuárias nos portos organizados compreende: Os ancoradouros, as docas ou os trechos de rios, em que as embarcações sejam autorizadas a afundear, ou a efetuar operações de carregamento ou de descarga; as vias de acesso aos ancoradouros, às docas, aos cais, ou às pontes de acostagem, desde que tenham sido construídas ou melhoradas, ou que devam ser mantidas pelas administrações dos portos; os cais, pontes de acostagem, guia-correntes ou quebra-mares construídos para atracação de embarcações ou para tranquilidade e profundidade de águas, nos portos, ou nas respectivas vias de acesso; as áreas de terreno, os armazéns e outros edifícios, as vias férreas e as ruas, bem como todo o aparelhamento de que os portos disponham, para atender às necessidades do respectivo tráfego e à reparação e conservação das próprias instalações portuárias, que tenham sido adquiridas, criadas, construídas ou estabelecidas, com autorização do governo federal. Podem ser contínuas ou localizadas em pontos diferentes do mesmo porto, mas devem estar sempre sujeitas à mesma administração do porto.

Instalações Rudimentares : De acordo com o decreto-lei nº 4.460, de 02 de maio de 1944; lei n° 3.108, de 10 de março de 1957, e decreto-lei n° 5, de 4.4.66, "é a instalação portuária construída, nas cidades e localidades, pêlos municípios e/ou estados, ou pela União que, no caso, a entrega a um município, a quem cabe explorá-la e conservá-la, devendo, além disso, não acusar movimentação de mercadorias, em dois anos consecutivos, superior a 150 mil toneladas anuais". A instalação rudimentar que ultrapassar o limite de movimentação fixado anteriormente passa ao regime de Porto Organizado.

Intercâmbio : Importação recíproca ou permuta de produtos comerciais, entre países diferentes, sob o regime de livre-comércio.

Intercostal - Intercostal : Diz-se da viga estrutural formada por seções interrompidas por outras vigas, estas sendo contínuas.

INTERCO : Abreviatura do Código Internacional de Sinais.

Interface : Denominação dada ao contato entre duas modalidades de transporte (rodovia-ferrovia). Diz-se que a interligação dos sistemas de transportes é feita nos interfaces e terminais.

Iole : Embarcação de recreio de dois mastros. Ao contrário do ketch a roda de leme fica à frente da catita ou mezena.

IOR : Sigla da Internacional Offshore Ruie, uma fórmula em vigor desde 1970 e destinada a estabelecer o deslocamento de regata raíing dos barcos de competição oceânica.

Ir de Proa a : Diz-se quando uma embarcação dirige-se para algum lugar.

IRF : Sigla da Inspetoria da Receita Federal, órgão do Ministério da Fazenda.

Ir a Pique - To Sink : Afundar, soçobrar.

Ir Roda-a-Roda : Diz-se quando o navio bate o seu costado contra outra embarcação.

Isocarenas - Equal Displacement Conditions : Diz-se de duas ou mais condições de flutuação de uma embarcação, que deslocam o mesmo volume de água. É o caso de flutuações de um navio que se inclina lateralmente em consequência de uma movimentação de pesos a bordo, sem ter havido a retirada ou acréscimo de nenhum peso.

Isotérmica : Linha de carta náutica que une os pontos de igual temperatura.

Istmo : Faixa estreita de terra que liga duas ilhas entre si, uma península a um continente, ou dois continentes. Origina-se de erosão marinha ou de rupturas incompletas em terrenos vulcânicos.


J

J : Bandeira JULIETT. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Mantenha-se bem afastado de mim. Tenho incêndio a bordo e tenho carga perigosa a bordo ou estou com vazamento de carga perigosa".

JULIETT

Jangada : Embarcação achatada, empregada para a pesca nas costas do Nordeste brasileiro, principalmente nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas.

Jangada do Alto : Jangada própria para a navegação até a distância de oitenta quilômetros da costa.

Jardim : Corredor da popa de uma embarcação.

Jardim de Popa : Espécie de sacada na popa dos navios de guerra de grande porte, comunicando-se por meio de portas com as acomodações do comandante.

Jarra : Depósito de água para a ração diária da marinhagem.

Jazente - Support, Frame, Foundation : Peça de ferro fundido ou armação reforçada de chapas e cantoneiras, rigidamente presa à estrutura da embarcação, destinada a suportar uma máquina, aparelho, torre ou canhão.

Jazida : Estância de embarcações num porto.

Joanete : Vela que fica por cima da gávea. Consoante o mastro, assim tem os nomes (de proa, grande e sobregata).

Jogo - Rolling : Balanço da embarcação. O mesmo que balanço transversal.

Jornal de Bordo : Registro em que o oficial de quarto anota a posição da embarcação, as condições atmosféricas ou do mar, a direção e a velocidade da navegação, os diversos incidentes ocorridos durante o dia etc.

Jusante : Vazante de mar; sentido assumido pela corrente de maré. A jusante, para o lado em que vaza a maré; o contrário é a montante.


K

K : Bandeira KILO. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Desejo comunicar-me com você".

KILO

Ketch : Tipo de veleiro caracterizado por dois mastros com velas triangulares e eventualmente dotado de velas de entremastros, de estai e de gurupés. Ao lado das armações e sloop, a estrutura do ketch é uma das mais constantes nos grandes veleiros de cruzeiro ou de regata oceânica.


L

L : Bandeira LIMA. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Pare imediatamente o seu navio".

LIMA

Laçada : Nó direito de marinheiro, dado em algum cabo.

Laguna : Canal ou braço de mar, pouco profundo, entre ilhas ou bancos de areia.

Lais - Yard's End : 1) Cada uma das duas extremidades de uma Verga; 2) Extremidade oposta ao pé, num Pau de Surriola.

Lambareiro - Fish Tackle : Gato do aparelho que aguenta, em um Turco próprio o (Turco do Lambareiro), uma Âncora Almirantado, a fim de levá-la a apoiar-se na Raposa.

Lameiro - Hopper : Tipo de embarcação de ferro, com caixas de ar nas extremidades e portas no fundo, destinada a transportar a lama proveniente de uma draga.

Lança - Boom : 1) As lanças ou paus de cargas são vergas de madeira ou de aço instaladas nos navios mercantes para a carga e descarga de mercadorias. Ocasionalmente, alguns navios de guerra também empregam paus de carga para a manobra de embarcações, aviões, torpedos etc. 2) Verga de um guindaste, que tem uma extremidade apoiada na sua coluna e a outra servindo de ponto de aplicação para o aparelho de içar.

Lançamento - Launching : Ato de transferir o navio do local de construção do casco, fazendo-o flutuar. O lançamento pode ser feito por deslizamento em carreira ou por alagamento do dique de construção.

Lançamento Lateral - Side Launching : Ato de fazer o navio deslizar na carreira em direção à água, em sentido perpendicular ao plano diametral do navio.

Lançamento Longitudinal - End Launching : Ato de fazer o navio deslizar na carreira em direção à água, num sentido paralelo ao plano diametral do navio.

Lança-Minas - Minelayer : O mesmo que Navio Mineiro.

Lançante - Head Line : Toda espia lançada em direção para fora de uma embarcação para a sua atracação.

Lançar a Âncora : Ato ou ação de ancorar uma embarcação.

Lancha: Embarcação de pequeno porte de propulsão a motor usada para navegação costeira de recreio, ou no transporte de pessoas e/ou objetos e para outros serviços dentro dos portos. A maior das embarcações miúdas empregadas em serviços a bordo dos grandes navios, usada para transportar objetos e pessoal do navio para o porto e vice-versa, espiar os ferros e outras atividades. Qualquer embarcação miúda com propulsão a motor.

Lancha Torpedeira - Torpedo Boat, PT Boat : Embarcação de combate de pequeno porte (vinte a cinquenta toneladas de deslocamento), de alta velocidade e grande mobilidade, armada com tubos de torpedo. Destina-se a patrulhar águas costeiras, podendo atacar navios maiores com torpedos lançados a curta distância.

Largada : 1) Ato de desatracar. Suspender a âncora ou desamarrar a embarcação da bóia, para navegar. 2) Saída do barco da bóia, da praia ou do cais. 3) Saída para uma regata.

Largar - To Drop, To Dump, To Cast Off, To Cast Loose, To Get Underway, To Sail Out, To Loose, To Unfurl, To Trip, To Release, To Turn Out : Largar o cabo, desatracar, iniciar viagem.

Largar o Ferro - To Drop the Anchor : Soltar o ferro do escovém e deixá-lo cair para o fundo, ficando ligado ao navio pela amarra.

Largo : 1) Mar alto. 2) Toda porção de mar que está fora da vista da terra. Diz-se que uma embarcação nessa situação está ao largo.

Lastrar - To Ballast : Lastrar ou fazer o lastro de um navio é colocar um certo peso no fundo do casco para aumentar a estabilidade ou trazê-lo à posição de flutuação direita, melhorando as condições de navegabilidade.

Lastro - Ballast : Tudo o que se coloca no fundo dos porões de um navio para lhe dar estabilidade, geralmente, quando este estiver vazio. Lastro é o peso que lastra o navio. É comum em navios de carga, que ao saírem de um porto leves, usarem lastrear a fim de torna-lo mais pesado, para melhorar sua estabilidade.

Lata - Beam : Peça semelhante ao Vau, que se coloca entre estes e também com eles serve de apoio aos Pavimentos. A Lata tem seção mais reduzida que a dos Vaus. O mesmo que vau incompleto. Nota: alguns chamam erradamente de Lata ao Meio Vau.

Latitude Estimada : A latitude do ponto onde se encontra o navio, avião etc., determinada pela estimativa.

Légua Marítima : Antiga medida náutica, equivalente a 5.555,5 metros e que corresponde à vigésima parte do grande meridiano terrestre.

Leme - Rudder : É o aparelho destinado ao governo de uma embarcação. O leme é constituído, no mínimo, pelas seguintes partes: madre, cabeça e porta do leme.

Leme à Mão - Hand Steering Gear : Aparelho de governo mais simples, empregado comumente nas embarcações pequenas. Consta da roda do leme, cuja manobra é feita pelo esforço muscular do timoneiro, sem ajuda do servo-motor.

Leme Apoiado - Supported Rudder : Leme preso ao Cadaste por meio de Governaduras.

Leme Compensado - Balanced Rudder : Leme cuja Porta fica, parte de um lado e parte de outro do seu eixo de rotação.

Leme Horizontal - Elevator : Leme destinado a governar o submarino em profundidade.

Leme Não-Compensado - Unbalanced Rudder : Leme cuja Porta não fica toda situada por ante-a-ré do seu eixo de rotação.

Leme Ordinário - Ordinary Unbalanced Rudder : Leme Apoiado e Não-Compensado.

Leme Semi-Compensado - Semi-Balanced Rudder : Leme cuja parte interior da Porta se estende por ante-a-vante do seu eixo de rotação.

Leme Suspenso - Underhung Rudder, Spade Type Rudder : Leme preso ao Balanço de Popa apenas pela Madre (sem Governadura).

Leva : 1) O levantar da âncora para zarpar. 2) Cabo delgado que passa por uma abertura no costado da embarcação e vai prender-se no sapatilho dos arganéus das portas.

LH - Line Handling : Embarcação utilizada no manuseio de espias (cabos de amarração) Normalmente tem cerca de 35 metros de comprimento e potência entre 1.200 e 2.500 BHP.

Liame : 1) Cordame de barco a vela. 2) Madeira das curvas com que se ligam e se atam as peças do costado dos navios.

Libra : Unidade de medida inglesa, equivalente a 453,6 g.

Licença : Documento necessário ao uso da embarcação. É expedido pela Diretoria de Portos e Costas do Ministério da Marinha, por intermédio das capitanias, delegacias e agências que fazem parte de sua rede administrativa. As embarcações de esporte e recreio de mais de duas toneladas de arqueação bruta empregadas barra afora (classe D) são isentas de licença de tráfego, mas sujeitas a duas vistorias anuais. As demais embarcações de esporte e recreio com menos de vinte toneladas de arqueação bruta e não empregadas barra afora - não estão sujeitas à vistoria e têm licença de tráfego expedida quando inscritas numa das repartições subordinadas à Diretoria de Portos e Costas, como é o caso das Capitanias dos Portos.

Lift-Van : Tipo de embalagem, considerada especial, para cargas em formato assemelhado ao do container.

Ligação Provisória - Temporary Device, Temporary Fitting, Temporary Attachment : Qualquer peça auxiliar utilizada durante a montagem ou a edificação do navio, para facilitar a colocação de outras peças ou unidades e que é, posteriormente, removida.

Limpeza de Contornos - Removal of Slag Bead : Operações de retirar as rebarbas e à oxidação que se formam nos contornos das peças, causadas pelo Corte à Maçarico.

Linga : Aparelho feito de varão de ferro, corrente ou cabo, com que se prendem objetos pesados que se queira içar ou arriar.

Lingada : A porção de objetos que é içada ou arriada de uma só vez, conduzida em cada movimento do guindaste ou equipamentos de idênticas funções, a exemplo: ponte rolante, cábrea, pau de carga etc. A porção de objetos é geralmente de forma homogênea.

Lingar : Operação que consiste em amarrar a carga para possibilitar a sua movimentação pelo guindaste.

Linha d'Água - Waterline : É uma faixa pintada com tinta especial no casco dos navios, de proa a popa, sua aresta superior corresponde a linha de flutuação leve (Normalmente usada desse modo em navios de guerra). São as intersecções do casco por planos horizontais. Elas aparecem em verdadeira grandeza no plano de linhas d'água e são usualmente denominadas de acordo com a sua altura acima do plano da base.

Linha d'Água de Projeto - Designed Waterline : Linha de Flutuação estabelecida pelo projetista, utilizada no estabelecimento das linhas da embarcação. Corresponde geralmente à Flutuação em Plena Carga nos navios mercantes e à Flutuação Normal nos navios de guerra.

Linha da Vida : Cabo que se fixa ao arnez e a um ponto da embarcação de modo a que um tripulante não seja levado pelo mar.

Linhas de Balizas : São as intersecções do casco por planos verticais transversais. Elas aparecem em verdadeira grandeza no plano de balizas e são numeradas normalmente seguidamente de vante para ré. Para isso, a linha de base é dividida em 10, 20 ou 40 partes iguais, conforme o tamanho do navio e a precisão desejada, e por cada divisão é traçada uma baliza. Geralmente nos dois intervalos de vante e de ré traçam-se balizas intermediárias. A baliza de número zero coincide com a perpendicular de vante.

Linha de Base - Base Line : Intersecção do plano da base moldada por qualquer dos outros dois planos de referência.

Linha de Base Moldada - Moulded Base Line : O mesmo que Linha de Base e Linha de Construção.

Linha de Bolina - Layline : É a linha para lá da qual não é necessário navegar para alcançar um destino à bolina.

Linha de Carga Máxima - Load Line : Linha de flutuação correspondente ao deslocamento máximo da embarcação. Essa linha varia conforme a estação climática e a salinidade do meio em que a embarcação vai navegar.

Linha de Centro - Center Line : Linha determinada pela interseção do plano diametral da embarcação com qualquer plano horizontal ou transversal.

Linha de Construção - Base Line : O mesmo que Linha de Base e Linha de Base Moldada.

Linha de Fé - 1) Head Line; 2) Reference Line : 1) Linha virtual projetada do centro da tela do Radar para a marcação 000º. 2) Cada uma das linhas traçadas nas peças estruturais durante a fase de Marcação, que são utilizadas para verificação de empeno após a Pré-Montagem e a colocação em posição durante a Montagem das Unidades Estruturais.

Linha de Flutuação - Waterline : São as linhas em que o navio flutua. Linha de flutuação, ou simplesmente flutuação, é a intersecção da superfície da água com o contorno exterior do navio. Um navio a plena carga define uma linha de flutuação carregada ou flutuação em plena carga. Um navio leve define uma flutuação leve e um navio no deslocamento normal define uma flutuação normal. Em muitas vezes não são paralelas às linhas d'água referentes aquelas do plano de linhas d'água, devido a distribuição das cargas a bordo. A linha de flutuação correspondente ao calado para o qual o navio foi projetado, coincide com a chamada linha d'água projetada.

Linha de Fundo - Line of Maximum Draft : Linha que passa pêlos pontos extremos inferiores do casco (leme, pé do cadaste, domo do sonar etc.), traçando o contorno do fundo da embarcação.

Linha de Navegação : Serviço regular de navios ou de aviões por itinerário fixo.

Linha Marginal - Marginal Line : Linha situada a uma distância não inferior a três polegadas do convés das anteparas ao lado, que define a mais alta posição admissível do plano de flutuação, em caso de avaria, na condição final de afundamento, compasso e banda.

Linhas do Alto - Buttock Line : São as intersecções do casco por planos verticais longitudinais, ou planos do alto. Elas aparecem em verdadeira grandeza no plano de linhas do alto e são denominadas de acordo com seu afastamento do plano diametral. Há geralmente quatro destas linhas espaçadas igualmente, a partir do plano diametral, o qual determina a linha zero.

Linhas do Navio - Ship's Lines : Nome genérico das linhas-d'água, linhas do alto e linhas de baliza, no plano de linhas de um navio.

Livre Câmbio : Princípio segundo o qual o comércio internacional deve ser livre, isento de impostos aduaneiros e proibições para as mercadorias que constituem objeto de permuta.

Livre pela Popa : Situação de manobra entre dois barcos, quando um deles, com seu casco e equipamento em posição normal, está por ante-a-ré de uma linha imaginária projetada pelo través do ponto mais a ré do casco e equipamento em posição normal de outro barco.

Livro de Bordo : Registro onde se anotam com minúcias as ocorrências diárias a bordo de uma embarcação.

Livro de Manifesto : Aquele onde se anotam as fazendas e mercadorias em geral que os navios carregam ou descarregam.

Local de Atracação : Aquele definido pelo berço do cais, píer, dolfim ou qualquer estrutura flutuante do porto, ocupado pela embarcação. O berço é definido pela seção de cais contígua a um armazém, píer, pátio ou outra referência, suficiente para a atracação de uma embarcação média - varia com o tamanho da embarcação, entre cem a duzentos metros e é uma espécie para cada porto.

Longarina - Girder, Keelson : Peça colocada de proa a popa, na parte interna das cavernas, ligando-as entre si.

Longarina do Bojo - Bilge Girder : Longarina situada na altura do Bojo da embarcação.

Longitudinal - Longitudinal : Designação genérica das vigas estruturais da embarcação, dispostas no sentido longitudinal. Mais empregadas quando o navio é construído no sistema longitudinal.

Longo-Curso : Diz-se da navegação que proporciona contato entre países. Por isso, costuma-se dizer: mercadorias de longo curso, tarifas de longo curso, transporte de longo curso etc.

Loran, Decca e Omega: Sistemas de navegação que funcionam usando sinais de rádio emitidos por estações. Diferenciam-se pela freqüência. Utilizados principalmente na navegação oceânica. Atualmente estão sendo substituídos por sistemas orientados por satélites.

Lubrificante do Trilho - Greasing : Camadas de cera, graxa e óleo colocadas entre o Trilho de Lançamento e o Carro de Lançamento, para diminuir o atrito e permitir o deslizamento necessário ao Lançamento do navio.

 


M

M : Bandeira MIKE. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "O meu navio está parado e sem seguimento".

MIKE

Maça : Malho de ferro usado pêlos carpinteiros para bater cavilhas, cunhas e tábuas do navio.

Macaco : O mesmo que esticador.

Machadinha : Pequeno machado de um só gume usado a bordo para, em caso de incêndio, se cortarem os cabos.

Madre do Leme - Rudderstock : Eixo que penetra no casco do navio e que transmite movimento do leme.

Maior Calado Observado : Diz-se do maior calado observado quando da atracação e desatracação de uma embarcação.

Maior Calado Observado no Porto : O calado observado no porto é uma característica operacional da embarcação dependendo do seu carregamento, lastro e da densidade da água. Seu registro será feito após a observação das marcas de calado, que estão submersas no casco da embarcação, devendo-se registrar, em pés, o maior calado medido na entrada ou na saída.

Malagueta - Belaying Pin : Pino de madeira que fica em torno da roda do leme. E, também em determinados pontos dos antigos veleiros, para amarração de escotas e adriças.

Malhete - Stud : Travessão existente em cada elo da Amarra, destinado a aumentar-lhe a resistência, impedir que se deforme e reduzir a possibilidade de que a Amarra forme torções.

Manetes: Aceleram ou desaceleram os motores e revertem o sentido de rotação dos hélices.

Mangote : Componente dos equipamentos destinados aos serviços marítimos líquidos. E um tipo de mangueira.

Manifesto : Documento onde se encontram arroladas as cargas do navio.

Manilha - Shackle : 1) Peça de metal, dobrada em forma de -U-, tendo um pino com rosca atravessado por entre suas duas extremidades; 2) O mesmo que quartelada.

Manta : Termo usado pelos pescadores que significa cardume.

Máquina de Suspender - Windlass, Capstan : Nome dado aos cabrestantes e molinetes quando desenhados e construídos para suspender a âncora e sua amarra do um navio.

Máquina do Leme - Steering Gear : Máquina a vapor, elétrica ou eletro-hidráulica, destinada a movimentar o Leme sem que seja necessário grande esforço muscular do timoneiro, aplicado na Roda do Leme.

Mar - Sea : Massa de água salgada que cobre, aproximadamente, três quartos da superfície terrestre; cada uma das grandes partes em que se dividem os oceanos; maresias ou ondulações elevadas que se movem no mar com os ventos fortes ou tempestades. A princípio, designaram-se por 'mar' todas as grandes extensões de água salgada. Consagrou-se, porém, o uso do termo "oceano" para designar as extensões maiores, passando a palavra 'mar1 a aplicar-se, sobretudo, às extensões menores de água que dependem dos oceanos... Do ponto de vista do direito internacional, distinguem-se o alto-mar, o mar territorial, litoral ou jurisdicional, e os mares interiores ou fechados. O alto-mar não faz parte do território de qualquer Estado e a sua liberdade de navegação é completa para todos os povos. Essa liberdade tem sido respeitada, pelo menos em tempo de paz. O mar territorial, jurisdicional ou litoral é a porção de mar que cerca o território dos Estados. A maior parte das convenções internacionais fixa-o em três milhas de distância da costa, mas Estados diversos têm proclamado, ocasionalmente, sua soberania sobre extensões bem mais consideráveis de mar. Os Estados Marítimos têm direito a soberania e jurisdição sobre o mar territorial. Os mares interiores ou fechados ficam encravados no território de um Estado e não têm saída para o oceano, como é o caso do mar Arai, situado em território da URSS. Outros mares, geograficamente fechados, banham, porém, territórios de mais de um Estado, como é o caso do mar Cáspio. (prof. A. Alves de Almeida, Moderna enciclopédia de pesquisa Lisa, 1981).

Mar Alto : Ponto do mar donde já não se avista terra.

Mar Baixo : Mar que tem pouca profundidade.

Mar Banzeiro : Aquele cujas águas se movem e se agitam vaporosamente, sem levantar grandes vagas.

Mar Cavado : Mar de ondas grandes, altas, e espaços fundos entre elas. O mesmo que mar encapelado.

Mar Chão : O que está calmo, sossegado, manso.

Mar Crespo : O que está um tanto agitado e revolto.

Mar de Carneirada : Aquele cujas ondulações se apresentam espumantes, semelhantes a rebanho de carneiro.

Mar de Leite : O que está muito manso, sem ondas.

Mar de Leva : Mar agitado, a ponto de arrastar os banhistas ou embarcações.

Mar de Rebentação : O que apresenta ondulações que rebentam contra a praia ou umas contra as outras.

Mar de Rosas : O que está sereno e manso (daí o sentido figurado em português, significando "período de felicidade').

Mar Desencontrado : O que apresenta ondulações em duas direções contrárias.

Mar Desfeito : O que está muito agitado, muito tempestuoso.

Mar de Vaga Curta : O que se apresenta com ondas de pequena comprimento.

Mar Encapelado : O que se apresenta pouco tranquilo. O mesmo que mar cavado, mar crespo, mar grosso.

Mar Interior : O que se acha circundado de terras ou circunscrito em continente.

Mar Morto : O que não tem ondas, vento ou atividade, que permanece em calmaria.

Mar nos Queixos : O que bate pela proa do navio.

Mar Pequeno : O que se apresenta com poucas ondulações.

Mar Poleiro : Mar em que as ondas rolam.

Mar Travesso : O que corre contra a proa do navio ou contra o rim "da embarcação, batendo nos costados.

Marca : Termo geral para uma marca de auxílio à navegação, por exemplo, bóia, estrutura ou ponto topográfico que possa ser usado para determinar a posição do navio.

Marca de Porto : Marca usada para identificar o porto de descarga da mercadoria. Se for carga de transbordo, também deve constar o nome do porto ou local de destino, além do de descarga. Assim sendo, a 'marca de porto', nesse caso, compreende o porto de descarga e o de destino final.

Marca de Seguro - Load Line Mark : Designação imprópria de Marcas de Borda-Livre.

Marcação de Chapa - Plate Marking : Operação que consiste em desenhar sobre uma chapa as peças que dela serão tiradas e nela escrever todas as indicações que serão necessárias para a Pré-Montagem e para a Montagem na Unidade Estrutural.

Marcação de Painel - Panel Marking : Operação que consiste em desenhar sobre um Painel as posições dos Elementos Estruturais, aberturas, Margem de Material e as instruções necessárias para a Montagem.

Marcação Ótica - Optical Marking : Sistema de Marcação no qual as peças são marcadas na chapa com o auxílio da projeção ótica do dispositivo do Plano de Corte de Chapa.

Marcações : Sinais de identificação de embarcações, determinados pelas NORMAMs (Normas da Autoridade Marítima). Todos os barcos de menos de vinte toneladas de arqueação bruta devem trazer marcados, de modo visível e durável, seu nome, na popa e nos bordos da proa; sua classe, divisão e subdivisão, nos dois bordos do cadaste; número de inscrição e peso máximo de carga, em lugar conveniente a ré.

Marcar : Observar a direção do rumo de um objeto em relação ao navio.

Marcar Derrota : Indicar na carta marítima o rumo a seguir.

Marcas de Borda Livre - Load Line Marks : Marcas no costado de navios mercantes, em ambos os bordos, indicando as linhas de flutuação máximas permissíveis nas várias regiões navegadas. Tais marcas obedecem aos limites mínimos de borda-livre estabelecidos pela convenção internacional de linhas de carga e possuem os símbolos IAN - Inverno no Atlântico Norte; I - Inverno; V - Verão; T - Tropical; AD - Água Doce; e ADT - Água Doce Tropical. Também chamadas de marcas de Plimsoll ou, impropriamente, marcas do seguro.

Marcas de Calado - Draft marks : informações (pintadas e/ou soldadas) no casco para facilitar a leitura do calado da embarcação. Normalmente localizadas na proa (na perpendicular de vante), no centro (a meia-nau) e na popa (perpendicular de ré).

Marcas de Calado

Marcas de Plimsoll - Plimsoll Marks, Load Line Marks : O mesmo que Marcas de Borda-Livre.

Marchar : Velocidade progressiva de embarcação sob o impulso de remos, do vento ou do maquinismo.

Maré : Movimento periódico de elevação e queda do nível das águas do mar, gerado sobretudo pela atração do sol e, principalmente, da luz (que, por estar mais perto da Terra, exerce mais que o dobro da atração do sol, embora tenha uma massa incomparavelmente menor que a do astro. Durante um dia lunar (24 horas e cinquenta minutos), há duas marés altas e duas baixas e o horário em que ocorrem varia segundo a passagem da lua pelo meridiano correspondente, o que em geral ocorre cerca de cinquenta minutos mais tarde a cada dia.

Maré de Estofo : A que permanece tranquila, sem encher nem vazar.

Maré de Quadratura : Maré de pequena amplitude (preamares baixas e baixa-mares altas), quando o sol e a lua formam ângulo reto com a Terra e seus efeitos de atração se subtraem; maré de quarto.

Maré de Rosas : Diz-se do tempo bonançoso, propicio à navegação.

Maré de Sizígia : Maré de grande amplitude - com preamares mais altas e baixa-mares mais baixas -, típica da lua cheia e da lua nova, quando o sol e a lua estão do mesmo lado em relação à Terra, ou diametralmente opostos, e têm somados seus efeitos de atração; maré de lua.

Maré de Sorte : Diz-se do tempo propício.

Maré Vazia : Baixa-mar.

Mareação : Ato ou efeito de marear; conjunto das manobras náuticas; mareagem. As operações de mareação têm por fim colocar as velas de tal modo que obtenham o melhor efeito do vento, imprimindo-lhe a maior velocidade, sem que as condições de segurança da embarcação venham a sofrer o menor prejuízo.

Mareado : 1) Diz-se do navio bem manobrado; 2) Diz-se de qualquer objeto danificado pela água do mar; 3) Pessoa enjoada a bordo.

Mareagem : 1) Ato ou efeito de marear. 2) Conjunto de aparelhos com que se move o navio. 3) Direção do navio; roteiro; rumo.

Mareante : Navegante; marinheiro.

Marear : 1) Ato de orientar as velas de acordo com as condições do vento; 2) Manobrar ou governar o barco; 3) Enjoar a bordo.

Mareato : 1) Coleção de bandeirolas usadas na sinalização marítima. 2) Compartimento onde se guardam as mesmas.

Mareta : Agitação do mar formando um conjunto de vagas pequenas. Movimento das águas causado pela passagem de um barco. O mesmo que marola.

Margem de Material para Edificação - Gree, Steel Allowance : Material deixado em excesso nos contornos das unidades, para absorver desvios que ocorram durante a Edificação, facilitando a colocação em posição das Unidades Estruturais.

Marinha : 1) Arte de navegação no mar. 2) Serviço feito a bordo dos navios. 3) Conjunto de navios, principalmente de guerra, que compõem as forças navais de uma nação. 4) Lugar convenientemente disposto para se recolher a água do mar necessária para a fabricação do sal.

Marinha de Guerra - Navy : Potência naval pertencente ao país e que defende uma nação dotada de material e contingente a serviço dessa potência armada.

Marinha Mercante - Merchant Marine : Diz-se da totalidade de navios particulares a serviço do comércio internacional ou de um só país.

Marinhar : 1) Prover de marinhagens. 2) Dirigir um navio por meio de manobra. 3) Saber a arte náutica marinheirada. 4) Conjunto de marinheiros.

Marinheiro : 1) Diz-se de tudo que pertence à marinhagem e principalmente ao navio convenientemente preparado para navegar. 2) O que trabalha a bordo. 3) Indivíduo que conhece a arte de dirigir um navio ou que sabe aparelhá-lo e fazer todos os serviços de bordo. 4) Marujo.

Marinheiro de Água Doce : Diz-se do marinheiro inexperiente.

Marítimo : Aquele que exerce suas atividades a bordo de uma embarcação e cujas categorias são definidas em sua legislação específica.

Marola : 1) Mar banzeiro. 2) Onda impetuosa. 3) Agitação ordinária da água do mar.

Massame : 1) Conjunto dos cabos - fixos ou de laborar - de que dispõe uma embarcação. 2) Cordoalha.

Mastaréu - Top Mast, Upper Mast : Peça de seção normalmente circular que se fixa sobre um mastro real ou outro mastaréu para aumentar a altura total de um mastro.

Mastreação - Masting : Ato ou efeito de mastrear. O conjunto de mastros de uma embarcação. É o conjunto de mastros, mastaréus, vergas e antenas de um navio. Nos veleiros, os mastros têm a função primordial de suportar as velas (aparelho propulsor do navio) e, por isso, constituem partes vitais do navio. Nos navios de propulsão mecânica, os mastros têm diversas funções, servindo de suporte para: adriças e vergas de sinais, antenas de radar, ninhos de pega, paus de carga nos navios de carga, instrumentos de controle e postos de observação de tiro nos navios de guerra.

Mastrear : Colocar mastros em embarcação ou levantar os mastros da mesma.

Mastro - Mast : Peça de madeira ou metal, de seção circular, colocada no plano diametral, em direção vertical ou um pouco inclinada para a ré, que se arvora nos navios. Serve para que nele sejam envergadas as velas (nos navios de propulsão a vela) ou para agüentar as vergas, antenas, paus de carga, luzes indicadoras de posição ou de marcha, além de diversos outros acessórios (nos navios de propulsão a motor).

Mastro da Mezena : O que fica mais perto da popa do navio.

Mastro de Combate - Flagstaff : Pequeno mastro colocado na pane de ré da superestrutura central dos navios de guerra de pequeno porte, onde é içada a bandeira nacional, em viagem.

Mastro de Traquete : O que está a ré da roda de proa, a uma quinta parte do comprimento do navio.

Mastro Estrutural - Structural Mast : Torre de forma aproximadamente troncônica onde são instalados postos de direção de tiro e equipamentos diversos de artilharia e navegação, situada na altura do mastro de vante em alguns navios de combate de grande porte.

Mastro Grande : O maior mastro do navio, ou o que fica a ré quando o navio só tem dois.

Mastro Militar : Mastro dos modernos navios de guerra, feito de ferro oco e guarnecido de sinais, de armas etc.

Mastro Mocho - Mast Without Topmast : Mastro inteiriço, não suplementado por nenhum Mastaréu.

Mastro Principal - Main Mast : Mastro de maior guinda de uma embarcação. Nos navios de guerra costuma ser o mastro de vante e, nos navio; mercantes, o mastro de ré.

Mastro Real - Lower Mast : Seção inferior de um Mastro, fixada ao Casco da embarcação, ou Mastro propriamente dito, no caso de um Mastro com Mastaréu.

Mastro Telescópico - Telescopic Mast : Mastro que pode ser recolhido para o interior do casco, usado em submarinos (para diminuir a resistência ao avanço) e em alguns navios-aeródromos (para não interferir com a manobra dos aviões).

Mastro Trípode - Tripod Mast : Mastro constituído por um tubo vertical de grande diâmetro, escorado por dois outros de menor diâmetro, um em cada bordo, formando um tripé.

Mastro Tubular - Tubular Mast : Mastro formado por seções de tubo de aço, ou por chapas curvadas de aço, soldadas ou cravadas, de seção circular.

Mediania - Center Line, Middle Line : Intersecção de um Convés com o plano diametral do navio.

Meia-Laranja - Companionway : Armação de metal que se coloca numa Escotilha de passagem de pessoal, para sustentar uma cobertura de lona que serve de proteção contra a água. Veja Capuchana.

Meia-Nau - Midship : Zona a meia distância entre a Proa e a Popa da embarcação. Em seu significado original o termo referia-se à região próxima do Plano Diametral, isto é, equidistante das Bordas. Ainda hoje se diz assim em Portugal.

Meia-Volta : Modo especial de passar um cabo em um objeto, próprio dos marinheiros.

Meio-Fio : Anteparo que, no porão do navio, vai da popa à proa para equilibrar a carga, impedindo-a de ir de um lado para o outro.

Meio-Navio - Midship : Nome que se dava antigamente ao que hoje se denomina meia-nau.

Meio Vau - Beam in Way of Hatch : Vau que não é contínuo de BB a BE, colocado na altura de uma Escotilha, Enora, etc. entre os Vaus propriamente ditos. Os Meios Vaus ligam entre si os Chaços das Escotilhas ou as Sicordas às Balizas.

Mentir : Negar-se um navio a obedecer às manobras.

Mentir a Virar : Diz-se quando o navio se nega a virar, não obedecendo à manobra.

Mercadorias Avariadas : Aquelas que se avariam pelas mais diversas circunstâncias, tais como incêndio, umidade, calor, acidentes, choques entre veículos, inundações, fenómenos atmosféricos, inabilidades de manejos etc.

Mercadorias em Trânsito : Aquelas que se encontram manifestadas com esta declaração e que são descarregadas em porto diferente. As mercadorias podem estar em trânsito para baldeação, reexportação, reembarque e cabotagem, não ficando sujeitas a quaisquer direitos de reexportação ou de trânsito.

MERSAR : Abreviatura de Manual de Busca e Salvamento para navios mercantes.

Mesa de cartas - Chart Table : Meca grande com gavetas para o armazenamento das cartas náuticas.

Mesa de Cartas

Mestra : 1) Diz-se de duas das principais velas dos navios, a grande e a gávea. 2) Diz-se, também, da baliza que indica onde é maior a seção transversal do navio.

Mestre : Significa comandante de um barco. A palavra deriva do magister navis da Roma antiga. No Brasil a palavra mestre e capitão já significaram a mesma coisa. Porém, com o tempo, mestre ficou sendo o capitão de navios da pequena cabotagem e a palavra capitão para os que comandavam navios de longo-curso.

Mestre Amador : Categoria amadora que habilita, no Brasil, a conduzir barcos de esporte e recreio (a vela ou a propulsão mecânica), dentro dos limites da navegação costeira. O candidato deve ser maior de 18 anos e aprovado nos exames sobre navegação e governo de embarcações, realizados pelas Capitanias dos Portos ou Agências dos Portos. O candidato que já pertencer à categoria de arraes amador poderá fazer a prova de navegação, ficando dispensado do exame do governo de embarcações.

Metacentro - Metacentre : Ponto cuja posição determina a estabilidade dos corpos flutuantes. Em relação às embarcações é necessário definir 2 (dois) conceitos básicos de metacentro, o Metacentro transversal (M) e o Metacentro longitudinal (M'), que dizem respeito, respectivamente ao equilíbrio transversal e ao equilíbrio longitudinal de uma embarcação. No equilíbrio transversal de uma embarcação levamos em conta o centro de carena (C), O centro de gravidade (G), o centro de flutuação (O) e o plano diametral (K) (neste caso representado por uma linha vertical) e o metacentro transversal (M). Metacentro transversal é o encontro do eixo vertical que passa pelo centro de empuxo(C) e o eixo do plano diametral que passa pelo centro de flutuação (O) e o centro de gravidade (G). Quando estes dois eixos formam um ângulo igual a zero o metacentro é um ponto fixo, chamado metacentro inicial. Metacentro longitudinal é o encontro do eixo vertical que passa pelo centro de empuxo (C) e o eixo do plano transversal que passa pelo centro de flutuação (O) e o centro de gravidade (G).

Metacentro Inicial - Initial Metacentre : Ver Metacentro Transversal Inicial e Metacentro Longitudinal Inicial.

Metacentro Longitudinal - Longitudinal Metacentre : Ponto de interseção da linha de ação do empuxo, aplicado no Centro de Carena, com o plano transversal que passa no centro de gravidade da embarcação, para cada ângulo de inclinação longitudinal.

Metacentro Longitudinal Inicial - Initial Longitudinal Metacentre : Posição limite do ponto de interseção da linha de ação do empuxo da água com o plano transversal que passa pelo centro de gravidade da embarcação, quando o ângulo de inclinação longitudinal tende para zero. Também chamado de Metacentro Longitudinal.

Metacentro Transversal - Transverse Metacentre : Ponto do plano diametral do navio que representa a interseção com esse plano da linha de ação do empuxo, aplicado no Centro de Carena, para cada ângulo de inclinação transversal.

Metacentro Transversal Inicial - Initial Transverse Metacentre : Posição limite do ponto de interseção da linha de ação do empuxo da água com o plano diametral da embarcação, quando o ângulo de inclinação transversal tende para zero. Chamado, também, de Metacentro Transversal.

Meteorologia : Ciência que estuda os fenómenos atmosféricos.Tal ciência é de grande utilidade para o navegador, que a utiliza, sobretudo no que se refere à previsão do tempo. Para isso, emprega-se principalmente o barómetro, o anemómetro, a escala Beaufort e a observação direta das condições do mar, dos ventos e das nuvens.

Meter : 1) Fazer girar o leme para arribar. 2) Entrar pela água mais do que deve ser. 3) Desembocar num rio ou no mar.

Meter de Popa : Imergir o navio mais a popa.

Meter de Proa : Imergir o navio mais a proa.

Meter em Vento : Dispor as velas de uma embarcação de forma que ela tome o vento pela popa.

Meter-se ao Mar : Diz-se quando o navio entra no alto-mar.

Metido : Diz-se do navio que está mergulhado de popa a proa, além da flutuação normal.

Mezena : É um mastro de menor altura, situado à popa de um yawl ou ketch. Designação também conferida pelos pesquisadores da lagoa dos Patos ao mastro de popa de suas canoas.

Milha Marítima : A milha marítima é a unidade de distância equivalente ao comprimento de um arco de um minuto do meridiano terrestre. Seu valor, com ligeiro arredondamento, foi fixado em 1.852 metros pela Convenção Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar.

Milha Náutica : É o comprimento do arco de 01 (um) minuto do perímetro médio do globo terrestre. Como a terra não é rigorosamente esférica, seu valor varia se a medida for adotada num meridiano ou no equador. A milha náutica é igual a 1.853,55 metros, que é a média da medida de 01 (um) minuto no meridiano e 01 (um) minuto no equador.

Milha por Hora : Nó - medida de velocidade.

Modelo : Embarcação em ponto pequeno, que o construtor executa para ser examinada e submetida a aprovação superior.

Módulo de Seção Mestra - Longitudinal Modules : Movimento de inércia da Seção Mestra em relação ao seu eixo neutro, dividido pela distância entre o eixo neutro e a parte superior do Vau do Convés Resistente junto ao Costado, calculado na região onde houver aberturas.

Moega : Denominação dada a uma instalação portuária especialmente aparelhada para a movimentação de determinados graneis sólidos. A moega tem um formato próprio para receber e destinar graneis sólidos a correias transportadoras, vagões ou caminhões.

Moitão : Caixa de madeira ovalada, onde se localiza uma roldana, conhecida por gorne, por onde passam adriças, escotas e outros cabos.

Moldada - Moulded : 1) Intersecção do Casco por plano paralelo ao Plano de Base Moldada. As Linhas d'Águas são designadas de acordo com as suas cotas; assim diz-se: Linha d'Água de 1, 2, 3, etc., metros, segundo as suas distâncias ao Plano de Base Moldada forem de 1, 2, 3, etc. 2) Qualquer dimensão tomada com relação à face externa do Cavername da embarcação, excluindo nesta medida o valor da espessura dos Forros do Costado e do Convés.

Molde - Template : Contorno de uma peça feita de madeira ou metal, confeccionado na Sala de Risco e utilizado para Marcação da peça em uma chapa.

Molinete - Windlass: Coroa de Barbotin, saia ou ambos, montados num eixo horizontal comandado à mão, máquina ou ambos. Geralmente é duplo, isto é, tem duas coroas e duas saias; assim um guincho pode atender a duas amarras.

Molinete

Monção : 1) Sistema de ventos periódicos. 2) Época favorável à navegação.

Monitor - Monitor : Navio de combate de calado reduzido armado com canhões de calibre médio ou grande, para bombardeio de costa ou para emprego fluvial. Caindo em desuso.

Monotipo : Categoria de barcos a vela, em geral destinados à competição, construídos segundo um mesmo modelo (one design). Para cada classe de monotipo se especificam, além das medidas - comprimento, largura, peso, superfície vélica, área imersa do casco -, indicações de equipamentos obrigatórios e diretrizes de construção.

Montagem de Unidade - Unit Assembly : Operação que consiste em colocar chapas, painéis, peças pré-montadas e demais peças nos seus devidos lugares, soldando-as de maneira conveniente, de modo a obter uma Unidade Estrutural completa, pronta para Edificação.

Mordedor : Aparelho que pode impedir um cabo de correr.

Mordente Chain Stopper : Aparelho fixado no convés e colocado na linha de trabalho da amarra, entre o molinete e o escovém. Tem por fim aguentar ou suster a amarra.

Mordente

Morrer o Mar : Diz-se quando o mar se toma manso, brando.

Morrer o Vento : Diz-se quando o vento se suaviza.

Mortona : Conjunto de cabos e engrenagens para puxar uma embarcação da água para cima de uma carreira em um estaleiro de reparo.

Mosquetão : Peça metálica de abertura rápida aplicada nos chicotes dos cabos, para que estes se possam fixar nos punhos das velas ou a tralha da bandeira.

Motivo de Espera : Razão pela qual a embarcação deixou de atracar no porto na hora planejada. Os diversos motivos de espera se encontram relacionados na tabela "motivo de espera'. Para fins de estatística portuária, o motivo de espera somente é considerado quando a espera for igual ou superior a duas horas, contadas a partir da hora de entrada da embarcação no porto, até a hora da sua atracação.

Motor de Popa : Motor aplicado junto à popa da embarcação, especialmente de recreio, fazendo mover um hélice propulsor no dispositivo de transmissão que ultrapassa a borda do barco.

Movimento de um Porto : Número de navios que entram e saem do porto.

MPSV - Multi-Purpose Supply Vessel : Navio multitarefa, suprimento (cimento, tubos, lama, salmoura, água doce, óleo e granéis) e manuseio de âncoras.

Muralha : Invólucro interior do navio.

 


N

N : Bandeira NOVEMBER. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Não (resposta negativa ou "O significado do grupo anterior deve ser interpretado na forma negativa")".

NOVEMBER

Nacionalidade : Qualificação jurídica da embarcação, segundo a qual sua condução se sujeita a um país e a suas leis. Para a atribuição de nacionalidade considera-se geralmente a nacionalidade do proprietário ou sócio maior da embarcação. Segundo o regulamento do tráfego marítimo, aplicado pelas Capitanias dos Portos do Brasil, a transferência de propriedade de uma embarcação que implique a perda da nacionalidade brasileira só poderá ser feita mediante requerimento deferido pela capitania, que cancelará a inscrição do barco após a venda.

Nada Mais! : Ordem que se dá ao homem do leme para que, depois de ter feito várias manobras, conserve o barco no rumo que está.

Nadir : Ponto onde a vertical que passa por um lugar na terra encontra a esfera celeste no lado oposto ao zénite.

Nau ou Nave: 1) Antigo barco de guerra, de alto porte, com três mastros, de duas e meia e três laterais com sessenta bocas-de-fogo, pelo menos. 2) Embarcação mercante de grande lote, de alto bordo. 3.)Qualquer navio ou embarcação.

Nau Alterosa : A que tem bordos altos.

Nau de Espécie : A que se destina a reconhecer e observar os movimentos de forças navais inimigas. O mesmo que espia.

Naufragar: Ir a pique, soçobrar (a embarcação). Sofrer naufrágio (os tripulantes e/ou os passageiros).

Naufrágio: Ato ou efeito de naufragar. Perda de uma embarcação em virtude de encalhe ou de outro acidente marítimo.

Naufragoso : Lugar onde se verificam muitos naufrágios.

Nauta: Aquele que navega; navegador, marinheiro.

Náutica: Arte ou ciência de navegar. A ciência da navegação depende de uma série de conhecimentos físicos e astronômicos. O desenvolvimento da náutica depende da evolução das ciências. Por outro lado, porém, a necessidade de melhorar os processos náuticos constitui verdadeiro estímulo à pesquisa nesses campos. A náutica divide-se, essencialmente, em estudo dos navios considerados estaticamente e manobra naval, ou estudo do comportamento dinâmico dos navios.

Náutico : Relativo a náutica ou navegação. Diz-se do indivíduo versado em náutica.

Nauto : Termo de composição que se usa como prefixo com o significado de nauta, navegação, como em nautografia etc.

Naval: Relativo a navio ou a navegação.

Navegabilidade : Qualidade ou condição de navegável.

Navegação : Ato ou efeito de navegar. Arte de conduzir com segurança uma embarcação, no mar; em lagos ou lagoas; em rios ou canais, de um ponto a outro da superfície do globo terrestre. Viagem por mar.

Navegação Costeira : É a que se faz tomando pontos em terra como guia, faróis, torres, picos, ilhas, pontas e outras referências geográficas, constantes das cartas náuticas.

Navegação de Alto-Mar : Aquela realizada para fins especiais, fora da visibilidade da costa.

Navegação de Cabotagem : É a navegação mercante realizada em águas costeiras de um só pais, ou em águas marítimas limitadas.

Navegação de Longo-Curso : É a navegação mercante realizada em alto mar, através dos oceanos, unindo portos de diversos países e continentes.

Navegação de Travessia : A que se faz quer nas águas fluviais e lacustres, quer nas interiores marítimas. Caracterizam-se como navegação de travessia as seguintes: a) quando transversalmente ao curso dos rios e canais; b) quando ligando dois pontos das margens em lagos, lagoas, baías, angras e enseadas; c) quando entre ilhas e margens de rios, de lagos, em extensão inferior a vinte quilómetros; d) quando realizada dentro da área portuária nos portos, baías, enseadas, angras, canais, rios e lagoas, em atendimento às atividades específicas do porto e em trechos nunca excedentes aos limites dos portos marítimos e interiores essa é considerada travessia do porto; e) quando é realizada ao longo do litoral brasileiro, dentro dos limites de visibilidade da costa - es; é considerada travessia costeira.

Navegação fluvial: É a que se faz em rios e canais interiores.

Navegação interior: É a que se efetua no interior dos continentes, utilizando-se rios, lagos e canais interiores, e compreende a navegação fluvial e a navegação lacustre.

Navegação lacustre: É a que se faz em lagos, lagoas e represas.

Navegação marítima: É a que se faz nos mares e oceanos.

Navegação Submarina : A que se faz abaixo da superfície à águas.

Navegador: Que navega. Que sabe navegar. Perito ou encarregado, numa aeronave ou navio, dos cálculos de navegação.

Navegar: 1) Viajar por mar ou por grandes rios; transportar-se em embarcação. Andar em grande mar ou em grande rio - o navio. 2) Dirigir a embarcação no mar. 3) Dedicar-se à navegação. 4) Atravessar ou percorrer o mar, conduzir ou transportar em navio.

Navegar à Popa : Navegar na direção do vento, com o vento à popa.

Navegar Cochado : Navegar junto às costas.

Navegar de Conversa Com : Navegar em companhia de um ou mais navios.

Navegar nas Águas de : Ter um navio o mesmo rumo de outro barco, seguir na popa deste.

Naveta : Navio ou embarcação pequena.

Navio - Vessel, Ship : Construção de grande porte, feita em materiais apropriados de modo à flutuar e destinada a transportar pela água pessoas e coisas.

Navio

Navio-Aeródromo - Aircraft Carrier : Base aérea flutuante com propulsão própria, capaz de reabastecer, municiar, alojar, reparar e operar aviões e suas equipagens aéreas, e de defender-se, dentro de certos limites, de ataques aéreos e de superfície. Seu armamento principal é o avião.

Navio-Aeródromo de Helicópteros de Assalto - Amphibious Assault Ship : Navio de guerra dotado de armamento de defesa e normalmente para apoio de fogo naval contra alvos terrestres, dispondo de pistas para pouso de helicópteros. Transporta unidades do corpo de fuzileiros navais, equipamentos e suprimentos diversos que poderão ser desembarcados em terra, em vagas de assalto, transportados pêlos helicópteros embarcados a bordo.

Navio Auxiliar - Auxiliary Ship, Auxiliary Vessel : Navio de guerra destinado a executar missões de apoio logístico.

Navio a Vela : Designa todo navio navegando a vela, desde que a máquina propulsora, se existir, não esteja sendo utilizada.

Navio Cargueiro : Aquele que se destina apenas ao transporte de cargas.

Navio Carvoeiro - Coaler : Navio mercante apropriado ou simplesmente usado para transportar carvão a granel.

Navio Cerra-Fila : Embarção que navega na retaguarda de outras.

Navio Cruzado : Diz-se de um navio cruzando um canal, via de tráfego ou rota.

Navio-Curral - Cattle-Carruing Ship : Navio destinado ao transporte de gado em pé, possuindo, para tanto, currais no convés principal e plataforma para o embarque e desembarque do gado.

Navio de Alto-Bordo : 1) Navio de grande tonelagem. 2) Navio de guerra com diversas pontes. 3) Navio cujo bordo se ergue muito acima da linha-d'água.

Navio de Carga - Cargo Ship : Navio mercante destinado exclusiva ou principalmente ao transporte de mercadorias e cargas.

Navio de Carga Geral - General Cargo Ship, Freighter : Navio mercante construído especialmente para o transporte de cargas embaladas ou produtos manufaturados, que não sejam a granel, além de ser dotado de guindaste ou paus de carga para manuseio da carga.

Navio de Carreira : Navio mercante que faz viagens ligando periodicamente uma terra à outra.

Navio de Combate - Warship : Navio de guerra destinado a executar missões de combate.

Navio de Convés de Abrigo - Shelter-Deck Ship : Navio construído com Escantilhões mais reduzidos que os dos Navios de Escantilhão Completo, o que o leva a ter Calados reduzidos. Destina-se ao transporte de cargas leves, onde o volume de espaço disponível é mais importante que o peso.

Navio de Convés de Abrigo Aberto - Open Shelter-Deck Ship : Navio de Convés de Abrigo, ao qual uma Escotilha de Tonelagem, aberta no Convés Superior, torna-o tecnicamente não-estanque, isentando desta forma, no cálculo da Tonelagem Bruta, os espaços entre aquele Convés e o Convés imediatamente inferior.

Navio de Convés de Abrigo Fechado - Closed Shelter-Deck Ship : Navio de Convés de Abrigo sem Escotilha de Tonelagem. Neste caso a Borda livre é medida partir do Convés Superior, porém é maior que nos Navios de Escantilhão Completo, por serem os Escantilhões reduzidos.

Navio de Convés Completo - Full Deck Vessel : O mesmo que Navio de Escantilhão Completo.

Navio de Convés Corrido - Flush Deck Vessel : Tipo antigo de navio, que possuía um Convés leve acima do Convés Principal, sem nenhuma construção acima daquele. A necessidade de uma maior robustez do Casco e as modificações das leis de tonelagem fizeram com que este tipo desaparecesse.

Navio de Convés de Toldo Parcial - Partial Awning Deck Vessel : Navio que tem, acima do Convés Principal, um Convés Corrido que se estende do Bico de Proa até a ré de meio-navio, assemelhando-se a um grande Castelo. Pode ter Tombadilho ou Poço, a ré.

Navio de Convés Ligeiro - Spardeck Vessel : Tipo já em desuso. Navio, cujo Convés Resistente era o segundo ou terceiro, sendo o Convés Principal de construção leve. As Anteparas Estruturais estendiam-se até o Convés Resistente.

Navio de Convés Subido a Ré - Raised Quarter Deck Vessel : Tipo de navio em que o Convés Principal é mais elevado a ré que a vante, para aumentar a capacidade dos Porões de ré. Usado, principalmente, na Inglaterra, em cabotagem, para transporte de carvão e de madeira.

Navio de Desembarque - Landing Ship : Embarcação de desembarque de porte alentado, capaz de transportar tropa, carga e viaturas, desde o porto de embarque até a praia invadida ou até as proximidades desta. Normalmente utilizado em operações anfíbias.

Navio de Desembarque de Carros de Combate - Tank Landing Ship : Navio construído especialmente para o transporte e desembarque de carros de combate em praias, sendo para isto dotado de uma porta e uma rampa na proa. Normalmente utilizado em operações anfíbias.

Navio de Desembarque Doca - Landing Ship Dock : Navio semelhante a um dique flutuante com propulsão própria. Em seu porão, que é alagável, transporta embarcações de desembarque que se retiram por seus próprios meios, após a abertura da porta existente na popa do navio.

Navio de Desembarque Doca Porta-Helicóptero - Landing Ship Dock : Navio de características semelhantes às do navio de desembarque doca, possuindo, também, pista para operações com helicópteros.

Navio de Duas Pontes : Navio de duas laterais cobertas.

Navio de Escantilhão Completo - Full Scantling Ship : Navio de construção robusta, utilizando Escantilhões grandes, de modo a obter o maior Calado legalmente possível. É projetado para o transporte de cargas pesadas, como o minério, máquinas, etc., onde o peso é predominante sobre o volume.

Navio de Estrutura Normal - Full Scantling Ship : O mesmo que Navio de Escantilhão Completo.

Navio de Guerra - Naval Vessel, Naval Ship, Warship : 1) Navio construído e armado para entrar em combate, ou destinado a serviço de comissões militares. 2) Qualquer navio pertencente à marinha de guerra. Pode ser navio de combate ou navio auxiliar. 3) Belonave.

Navio de Pesca - Fishing Vessel : O mesmo que Navio Pesqueiro.

Navio de Poço - Well Deck Vessel : Navio em que a estrutura do Tombadilho é ligada a Superestrutura Central, havendo um só Poço, a vante.

Navio de Propulsão Mecânica : Designa todo navio movido por máquina.

Navio de Roda : Embarcação que se movimenta pelo impulso propulsor de uma roda na popa ou de duas rodas laterais.

Navio de Superestrutura Completa - Complete Superstructure Ship : O mesmo que Navio de Convés de Abrigo Aberto. Este nome se origina do fato de neste tipo de navio a Borda-Livre é medida a partir do segundo Convés e a parte da estrutura acima deste torna-se, tecnicamente, uma Superestrutura.

Navio de Superestrutura Parcial - Partial Superstructure Vessel : O mesmo que Navio de Três Superestruturas.

Navio de Tombadilho Corrido - Shade Deck Vessel : Tipo de navio que possui um Tombadilho corrido, isto é, um pavimento muito ligeiro, aberto lateralmente, em toda a extensão do navio. Distingue-se do Navio de Convés de Abrigo pelas aberturas laterais e pela estrutura mais leve.

Navio de Torre - Turret Deck Vessel : Tipo de navio em desuso, semelhante ao Navio Tronco. A ossada da torre era constituída pelas próprias Cavernas que, na altura do Convés, se curvaram para dentro.

Navio de Transporte : Barco destinado ao transporte de mercadorias ou de munições bélicas.

Navio de Três Superestruturas - Three Island Vessel : Tipo de navio que possui Castelo, Superestrutura Central e Tombadilho, nos quais as aberturas tem dispositivo de fechamento estanque. O Castelo, permanentemente fechado, aumenta a flutuabilidade a vante, impedindo ou reduzindo os efeitos do mar.

Navio de Tronco - Trunk Deck Vessel : Navio de Escantilhão Completo que tem sobre o Convés Principal, uma Superestrutura contínua chamada tronco, de largura igual a pouco mais da metade da Boca e da mesma altura do Castelo. Em desuso.

Navio-Escola - Training Ship : Navio destinado a prover treinamento a futuros tripulantes de navios de guerra ou mercantes.

Navio Ferry - Ferry Ship : Navio de porte reduzido, utilizado no transporte de passageiros, geralmente em viagens de turismo, transportando também os automóveis dos próprios passageiros.

Navio Fruteiro - Fruiter : Navio construído especialmente para o transporte de frutas, tendo, geralmente, os porões refrigerados. O mesmo que Fruteiro.

Navio Reserva : Aquele que acompanha outro para socorrê-lo ou auxiliá-lo em caso de necessidade.

Navio Desgovernado : Designa todo navio que, por circunstâncias excepcionais, não está em condições de poder manobrar de acordo com as regras constantes do regulamento internacional para evitar abalroamento no mar, e não pode, portanto, afastar-se do caminho de outro navio.

Navio em Faina de Pesca : Expressão que designa todo navio que esteja a pescar com redes, linhas, arrasto ou outras artes de pesca que reduzem a sua capacidade de manobra.

Navio em Lastro : Aquele que está sem carga útil a bordo.

Navio Embandeirado : 1) Aquele cuja nacionalidade é reconhecida por documento autêntico. 2) Embarcação que, em tempo de guerra, navega com a bandeira de algum país neutro e com os documentos necessários para escapar dos beligerantes.

Navio Entrando : Diz-se de um navio navegando do mar para um porto ou local de atracação.

Navio-Escola : 1) Embarcação destinada a completar a formação profissional dos quadros da marinha. 2) Navio destinado a prover treinamento a futuros tripulantes de navios de guerra ou mercantes.

Navio Espalmado : Embarcação que tem o casco limpo de limos.

Navio Estivado : 1) Aquele que só tem a primeira estiva. 2) Embarcação carregada e equilibrada por igual.

Navio Ferry : Navio de porte reduzido, utilizado no transporte de passageiros, geralmente em viagens de turismo, transportando também os automóveis dos próprios passageiros.

Navio Fruteiro : Navio construído especialmente para o transporte de frutas, tendo, geralmente, os porões refrigerados. O mesmo que fruteiro.

Navio Graneleiro - Bulk Carrier : Navio de construção especial, adequado para transporte de carga a granel, não possuindo, assim, guindastes ou paus de carga. Possui características estruturais diferentes, conforme destine ao transporte de graneis pesados (minérios, por exemplo) de granéis leves (cereais, por exemplo).

Navio Graneleiro Combinado - Ore-Oil Carrier : Navio graneleiro destinado 3 transporte de graneis sólidos e líquidos, a fim de evitar viagens m lastro. Possui, em adição às instalações do graneleiro comum, um sistema de bombas e respectivas redes para o trato de carga líquida, bem como um sistema adequado para a limpeza e desgaseificação dos tanques.

Navio Graneleiro Combinado Universal - Oil-Ore Carrier, OBO Carrier : Navio graneleiro que pode transportar minério, granéis líquidos e graneis sólidos leves.

Navio Guinando : Diz-se de um navio fazendo uma grande mudança de rumo, tal como aproando à corrente quando fundeado ou para entrar ou sair após deixar o ancoradouro ou cais de atracação.

Navio Hidrográfico - Surveying Ship : Navio destinado a fazer levantamentos hidrográficos, sendo para tanto dotado de equipamentos especiais para coleta e análise de dados necessários à confecção de cartas náuticas.

Navio LASH - Lash Ship, Lash type Barge Carrying Ship : O mesmo que navio porta-barcaças. O nome LASH provém das iniciais da expressão inglesa lighter aboard ship.

Navio Lento : Aquele que obedece mal ou morosamente à ação do leme.

Navio Mercante - Merchant Ship, Merchant Vessel : 1) Denominação dada a qualquer navio empregado no comércio marítimo, isto é, aquele que transporta carga ou passageiros a frete. 2) Aquele que é empregado na marinha mercante.

Navio Mexeriqueiro : Embarcação que, em tempo de guerra, espiona os movimentos da esquadra adversária.

Navio Mineiro - Minelayer : Navio de combate destinado a semear campos de minas ofensivos, em águas dominadas pelo inimigo, ou defensivos, em águas próprias. O mesmo que Lança Minas.

Navio Mineraleiro - Ore Carrier : Navio graneleiro projetado especificamente para o transporte de minérios. Possui, normalmente, porões de carga centrais e tanques de lastro laterais que se estendem ao nível do convés até o fundo do navio.

Navio Misto - Cargo-Passenger Ship : Navio destinado ao transporte simultâneo de carga e passageiros.

Navio Negreiro : Navio que era empregado no transporte dos negros que iam ser vendidos como escravos.

Navio Neutro : O que pertence a um estado neutro, em período de guerra.

Navio Oceanográfico : Navio adequadamente equipado para efetuar pesquisas no mar e no leito submarino.

Navio Oficina - Tender : Navio auxiliar destinado a apoiar navios de combate, proporcionando-lhes meios de reparos, aprovisionamento etc.

Navio Patrulha Costeiro - Coastal Patrol Boat : Navio de combate pequeno, com armamento leve e raio de ação limitado, destinado a patrulha próxima da costa, repressão ao contrabando etc.

Navio Pesqueiro - Fishing Vessel : Navio especialmente aparelhado para a pesca em alto-mar, podendo ou não ser dotado de câmara frigorífica para conservação do pescado.

Navio Petroleiro - Oil Tanker : Denominação dada ao navio-tanque de construção especial, adequada ao transporte de petróleo bruto ou refinado. É também chamado simplesmente de petroleiro.

Navio Porta-Barcaças - Light-Type Ship : Navio especial que possui guindastes para o embarque e desembarque de barcaças pela popa. Tal sistema permite que a estadia do navio no porto seja mínima, pois não precisa atracar: as barcaças são arriadas e rebocadas para o porto e outras barcaças, já carregadas, são então içadas para bordo. O mesmo que navio lash.

Navio Porta-Carretas - Roll-on-Roll-off : Navio especialmente construído para transportar veículos, que são embarcados utilizando seu próprio motor, através de uma porta e rampa, situadas na popa do navio.

Navio Porta-Contêineres - Container Ship : Navio construído especialmente para o transporte de carga em contentores, existindo dois tipos principais: um, com convés corrido, para embarque de contentores por rolamento, através das suas extremidades, e outro do tipo celular, com vários porões, para embarque mediante guindaste de pórtico do navio ou guindastes do porto.

Navio Porta-Contentores - Container Ship : O mesmo que Navio Porta-Contêineres.

Navio Quebra-Gelo - Ice Breaker : Navio de construção robusta e proa reforçada, capaz de romper os campos de gelo de pequena espessura que se formam sobre as águas, nas regiões geladas.

Navio Raso : 1) O que tem quilha pequena, demandando, por isso, pouco fundo. 2) Barco sem mastreação ou obras altas.

Navio Redondo : Aquele cuja proa é arredondada.

Navio Rumendo para o Mar : Diz-se de um navio que está navegando do porto ou fundeadouro para o mar.

Navio Sea-Bee : Navio que transporta barcaças, diferindo dos sistemas Ïash quanto ao embarque das mesmas. Neste tipo, as barcaças são arriadas ou içadas para bordo através de uma plataforma situada na popa, que substitui o guindaste dos navios lash.

Navios em Rumos Cruzados : Diz-se quando dois navios de propulsão mecânica navegam em rumos que se cruzam, de tal forma que exista risco de abalroamento. O navio que vê outro por boreste deve afastar-se do caminho deste e, se as circunstâncias o permitirem, evitar cortar-lhe a proa.

Navio-Tanque - Tanker : Navio de construção especial, adequado ao transporte de carga líquida, que pode ser petróleo bruto, óleo combustível, gasolina, vinho etc.

Navio Transportador de Gases Liqüefeitos de Petróleo - Liquefied Petroleum Gas Carrier, LPG Carrier : Navio de construção especial, adequado ao transporte de gases liquefeitos de petróleo - metano, propano, butano, propileno, butileno etc. Existem dois tipos principais: os que transportam gases à temperatura ambiente e sob pressão atmosférica, e a baixa temperatura.

Navio Transportador de Gases Naturais Liqüefeitos : Navio de construção especial, adequado ao transporte de gases naturais liquefeitos obtidos de fontes naturais, isto é, os que são obtidos pela refinação de petróleo.

Navio-Varredor : Navio de guerra de construção especial, dotado de equipamentos específicos e que, através de técnicas adequadas, retira, desativa ou faz explodir minas lançadas em águas pouco profundas, abrindo canais seguros à navegação através daquelas águas.

Nervura - Bulb : Engrossamento existente na aresta de alguns Perfis Laminados com a finalidade de aumentar-lhes o momento de inércia.

Ninho de Pega - Crown's Nest : Plataforma circundada por Balaustrada ou por chapa fina (Pavês), instalada no Calcês do Mastro de vante, destinado a receber um Vigia ou qualquer homem que tenha de trabalhar no Mastro.

Nó (unidade): 1) Medida de velocidade equivalente a uma milha marítima (1.852 metros) por hora. 2) Trabalho de marinheiro, feito à mão e passível de ser desfeito a qualquer momento, destinado a unir dois cabos entre si, ou um cabo a um objeto - pelo chicote ou pelo seio -, ou ainda, a unir dois chicotes de um mesmo cabo.

Noz : Parte superior da haste da âncora, abaixo do anete.

Número de Embarcações : Diz-se do número de embarcações que atracaram no porto durante o mês. No caso das embarcações que operam ao largo, é considerada a data de entrada.

Número de Equipamento : Para efeito de controle operacional, é o código que registra o equipamento utilizado na operação de embarque e descarga de mercadorias.

Número de Homens-Hora : Corresponde ao somatório do produto do número de trabalhadores de capatazia pelo número de homens do período, incluindo todos os ternos que foram registrados.

 

 


 

O

O : Bandeira OSCAR. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Homem ao mar".

OSCAR

Obras : Designação genérica de todos os cabos do aparelho fixo e de laborar.

Obras de Abrigos nos Portos : Obras feitas para proporcionar a tranquilidade das águas na bacia de evolução e junto ao berço de atracação. Ex.: os molhes, os espigões, guias-correntes, quebra-mares etc.

Obras de Marinheiro : 1) Trabalhos como nós, falcaças, voltas, estropos e coxins, entre outros, realizados com os cabos de bordo. 2) Trabalho de marinheiros.

Obras Mortas - Upper Works : Parte do Casco da embarcação situada acima do Plano de Flutuação com o navio na situação de Deslocamento em Plena Carga.

Obras Vivas - Quick Works : Parte do Casco da embarcação situada abaixo do Plano de Flutuação com o navio na situação de Deslocamento em Plena Carga. O mesmo que Carena.

Oceânico : Relativo ao oceano.

Oceanismo : 1) Predomínio dos caracteres oceânicos, como fatos geográficos. 2) Gosto pelas coisas marítimas ou oceânicas. 3) Visão especial do mundo, tomando como fator principal os fenómenos econômicos e políticos derivados da existência dos oceanos.

Oceano : Um oceano ("Okeanos" em grego) é um corpo principal da água salina, e um componente principal da hidrosfera. Aproximadamente 71% da superfície de Terra (uma área de uns 361 milhões de quilômetros quadrados) é coberta pelo oceano, um corpo de água contínuo que geralmente é dividido em diversos oceanos principais e mares menores. Mais do que a metade desta área está sob mais 3.000 metros (9.800 pés) de profundidade. Quase três quartos (71%) da superfície da Terra é coberta pelo oceano (Cerca de 61% do Hemisfério Norte e de 81% do Hemisfério Sul). Este oceano global interconectado de água salgada é dividido pelos continentes e grandes arquipélagos em cinco oceanos, como segue: a) Oceano Pacífico; b) Oceano Atlântico; c) Oceano Índico; d) Oceano Glacial Ártico; e) Oceano Glacial Antártico - definido em 2000 pela Organização Hidrográfica Internacional, da qual Brasil e Portugal são membros. As fronteiras entre os oceanos são estabelecidas pela Organização Hidrográfica Internacional. Regiões menores dos oceanos são conhecidas como mares, golfos, estreitos, etc.

Oceanografia : Ciência que estuda e descreve o oceano e seus animais, produtos e vegetais.

Oceanógrafo : O que é perito em oceanografia.

Óculo : Abertura circular que existe nas portinholas dos navios e por onde se enfia o cano das peças de artilharia.

Odômetro - Log : Aparelho que indica a distância aproximada percorrida pela embarcação, considerando-se as frações, unidades ou dezenas de milhas marítimas. Há dois tipos principais de odômetro: o de fundo, cujo registro se baseia na pressão hidrostática e hidrodinâmica registrada no percurso, e o de superfície, com registro baseado no movimento de um hélice.

Oficina de Fabricação Estrutural - Structural Fabrication Shop : Local do estaleiro, em geral coberto, no qual são executadas todas as operações da construção estrutural, desde a marcação até a montagem das unidades estruturais.

Ofício Naval : Profissão de marinheiro, trabalhos de navegação.

Oleado : Denominação dada aos antigos abrigos dos navegadores feitos de lona e impregnados de óleo ou tinta a base de óleo.

Olhal - Cunningham : Abertura, como um anel costurado em uma vela ou lona, por onde passam cabos.

Olhal - Eye, Ring : Acessório soldado ou aparafusado no convés utilizado para a fixação de macacos ou manilhas.

Olho de Boi - Deck Light: 1) Abertura praticada em um convés ou antepara, fechada com vidro grosso, para dar claridade a um compartimento. 2) Buraco na parte anterior do navio por onde passam os cabos. OMCI. Sigla da Organização Marítima de Consultas Intergovernamentais, órgão especializado da ONU, Organização das Nações Unidas, para assuntos marítimos.

Onda : 1) Porção de água do mar, lago ou rio, que se eleva e se desloca.  2) Cada uma das elevações sucessivas da água do mar, produzidas em geral pela ação do vento. A parte mais elevada de uma onda é chamada de crista e a mais baixa, que se interpõe a suas ondas consecutivas, cavado.

Onda-Maré : Onda decorrente do fenômeno geral da maré, e que em alto-mar se desloca de leste para oeste a uma velocidade estimada em 864 nós, circundando a terra em 24 horas.

Onda-Marinheira : Onda mais alta do mar, em enchente e vazante.

Orça Fechada : Velejar o mais próximo possível da linha do vento em direção contrária a este.

Orça Folgada : Velejar num ponto entre a orça e o través.

Orçar : 1) Obrigar o navio a aproximar-se da linha do vento. 2) Margem. Beira. 3) Bainha em redor das velas de um navio.

Orelha - 1) Lug; 2) Fluke : 1) Qualquer extremidade usinada para receber parafuso, pino ou cavirão; 2) Vértices da Pata da Âncora que ladeiam a Unha.

OSV - Offshore Supply Vessel : Embarcação de apoio às plataformas de petróleo menor que um PSV.

OSRV - Oil Spill Recovery Vessel : Embarcação utilizada no combate ao derramamento de óleo dotado de especificações que permitem trabalhar na mancha de óleo, em atmosfera onde a evaporação do petróleo produz gás natural, por isso é dotado de sistemas elétricos blindados.

Ossada - Ribs, Skeleton : Conjunto de peças estruturais que dão forma e resistência ao casco. O mesmo que esqueleto.

Outhaul : Cabo usado para tensionar a parte de baixo da testa da vela.

Ovém : Cabo que aguenta a mastreação para um e outro bordo. O conjunto de ovéns forma a enxárcia.


P

P : Bandeira PAPA. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "No porto: Todas as pessoas embarcadas devem regressar a bordo porque o navio vai sair. No mar: As minhas redes estão presas em uma obstrução.".

PAPA

Pá Carregadeira : Equipamento mecânico utilizado na área portuária, destinado a carregar caminhões ou vagões com graneis sólidos e empurrar ou rechegar porções.

Painel de Chapas - Plate Panel : Conjunto de chapas unidas entre si por meio de Soldagem Automática, Soldagem Manual ou Rebites.

Painel de Popa - Counter, Upper Stern : Parte do Costado do navio, situada na Popa, entre as Alhetas.

Paióis: Compartimentos situados geralmente nos porões, onde são guardados mantimentos, material de sobressalente ou consumo, etc.

Paiol da Amarra: Compartimento na proa, por ante-a-ré da antepara de colisão, para a colocação, por gravidade, das amarras das âncoras.

Paiol do Mestre : Compartimento situado na proa do navio, onde são guardados cabos, lonas etc., enfim, todo o material destinado aos trabalhos de marinheiro.

Palamenta : Conjunto de objetos acessórios que são considerados indispensáveis à navegação, devendo ter presença obrigatória a bordo. Abrange, entre outras peças, o leme, a cana-do-leme, as bandeiras e paus de bandeira, os estropos, os salva-vidas, os ancorotes, as defensas, as lanternas e os cabos de atracação.

Pallets : 1) Denominação dada a um estrado de madeira usado na movimentação e empilhamento de mercadorias; tabuleiro. Caracteriza-se também como um acessório de dimensões definidas, dotado de dispositivo de apoio para o garfo das empilhadeiras e conexão com os lingados, utilizado para o acondicionamento de diversos tipos de cargas, possibilitando o seu manuseio de forma unitizada; 2) São os grãos ou pedacinhos de produtos de qualquer natureza, tais como: palieis de minério, de minerais etc.

Palmatória - Screw Plate, Davit Keeper, Davit Collar : Castanha superior de sustentação dos Turcos. Braçadeira no Costado, numa Antepara, Pé de Carneiro, etc., ou Gola num Pavimento para a passagem dos Turcos do tipo rotativo.

Panejar : Movimento da vela de balançar irregularmente quando se solta demais a escota ou quando a proa do barco aponta para a linha do vento num ângulo menor do que a orça fechada.

Pano : 1) Designação genérica das velas de uma embarcação. 2) Cada uma das tiras de tecidos que, justapostas e cosidas, compõem as velas. A expressão "a todo o pano’’ quer dizer: navegando com todas as velas abertas.

Paquete : 1) Navio grande, geralmente movido a vapor, para transporte de passageiros (turismo), correspondência e mercadorias. 2) Tipo de embarcação a vela, do alto São Francisco, para transporte de passageiros e cargas. 3) Antigo veleiro de pequenas dimensões que transportava mercadorias, passageiros e, principalmente, correspondência.

Paquete

Paralisação : Tempo de interrupção da operação portuária por um motivo determinado. A paralisação pode ser: l. por conta do agente-espera de atracação; de estiva; de caminhões; caçambas; espera de carga; de vagões; abertura e fechamento de porões, à disposição de bordo; do requisitante (quando a turma de capatazia for requisitada e no horário da operação); mudança de porão; remoção de guindaste no porão ou convés; de guindaste para mudança de porão; manobra de embarque para mudança de berço; de alvarenga-to/z; defeito do equipamento de bordo; colocação de material de apoio a bordo; colocação ou retirada de empilhadeira; retirada de volume já embarcado e avariado a bordo; lingando mangote; falta de material e acessórios para estiva; falta de documentos ou despachos; arqueação; preparativos em terra para colocação do mangote; defeito de eclusa; defeito no moinho; dispensa de turma sob conciliação da operação; defeito na rampa do navio; rechego etc.; 2. por conta do porto - remoção de guindaste; defeito no guindaste; na ponte rolante; na empilhadeira, na empilhadeira de containers; no guindaste sob rodas; no grab, da cábrea; no sugador; no readier, espera do guindasteiro; do operador de empilhadeiras; espera do pessoal da oficina; falta de energia etc.; 3. por conta mútua - chuva; agitação das águas; falta de energia etc.

Parcel : 1) Banco de areia encoberto a pequena altura pela água do rio ou do mar. 2) Recife.

Parede : Local ou ponto, na extremidade do cais, onde são recrutados os estivadores para entrarem em serviço.

Parelha : Denominação dada pelos pescadores a um barco equipado para a pesca.

Parque : Parte das salinas onde se recolhe a água do mar para extrair o sal.

Parte : Denominação dada ao usuário do porto.

Pata - Fluke, Palm : Parte triangular, ou aproximadamente triangular da extremidade do Braço da Âncora.

Patacho : É um barco a velas, de dois mastros tendo, a vela de proa redonda e a de ré do tipo latina. Começou a ser utilizado no final do século XVI. Com deslocamento variaando entre 40 e 100 ton, o barco era utilizado para o transporte de cargas e reconhecimento.

Patacho

Patilhão - Centerboard : Acréscimo aplicado na quilha para aumentar a estabilidade e a resistência ao abatimento numa embarcação à vela. Diferentemente da bolina, o patilhão fica instalado na borda.

Patim - Skate : 1) Pequena Plataforma ou patamar, disparado para fora do Costado ou de uma Superestrutura; 2) Patamar inferior e superior da Escada de Portaló.

Pátio de Estocagem : São as áreas descobertas que se encontram localizadas na área de um porto, intercaladas aos armazéns ou isoladas, destinadas ao recebimento de cargas pesadas ou de natureza especial.

Patola - Claw : Equipamento usado para a movimentação das bobinas de papel, ou cargas com embalagens assemelhadas.

Patola - Devil's Claw : Gato de Escape que aboça (segura) a Amarras, permitindo libertá-Ia rapidamente. Veja Mordente.

Patrão : Denominação dada a um comandante de barco pesqueiro. Também para quem está no comando de um barco a remos, de onde possivelmente derive o termo para o mundo pesqueiro do Sul do Brasil.

Pau : Nome genérico dos mastros, hastes ou antenas da embarcação.

Pau da Bandeira - Flagstaff : Pequeno mastro colocado no painel de popa dos navios, onde se iça a bandeira nacional. Nos navios de guerra, a bandeira só é içada no pau da bandeira quando o navio estiver fundeado ou atracado.

Pau da Bandeira do Cruzeiro - Jackstaff : Pequeno mastro colocado no bico de proa, onde se iça, quando o navio está fundeado ou atracado, a bandeira do Cruzeiro, distintivo dos navios de guerra brasileiros.

Pau de Carga - Cargo Boom : Denominação dada a um aparelhamento de bordo, com função semelhante à do guindaste de terra, utilizado geralmente para retirar a carga do porão e colocá-la no convés.

Pau de Palanque : Vara onde amura o balão.

Pau de Spi : O mesmo que pau de palanque.

Pau de Surriola - Lower Boom : Verga colocada horizontalmente no Costado de um navio de guerra, podendo ser disparada perpendicularmente ao Costado, destinada a amarração das embarcações miúdas arriadas para o serviço do navio, quando este se encontra no porto. O mesmo que Surriola.

Pau do Jack - Jackstaff : O mesmo que Pau da Bandeira de Cruzeiro.

Pau Real - Jumbo Derrick : Pau de carga com capacidade para operar com grandes pesos, geralmente acima de vinte toneladas. Normalmente denominado de Pau para Grandes Pesos.

Pavés - Top Nettings : Balaustrada ou chapa fina existente no Ninho de Pega para proteção ao pessoal.

Pavimento - Deck : O mesmo que convés.

Pé : 1) Unidade de medida linear anglo-saxônica equivalente a 12 polegadas ou a 30,48 centímetros. 2) Parte inferior do leme, dos mastros e mastaréus ou dos paus de cutelo.

Pé de Carneiro Stanchion : Coluna destinada a suportar um Vau ou a aumentar a rigidez de uma estrutura, quando o espaço entre as Anteparas Estruturais é grande ou quando se deseja distribuir um esforço local por uma maior extensão do Casco. O mesmo que Pilar.

Pé de Galinha - 1) Strut; 2) Spider : 1) Suporte externo do veio do Hélice de alguns navios; 2) Nome genérico dado aos suportes do Patim superior da Escada de Portaló, das Vergas, das Dalas, etc..

Pé do Mastro : O mesmo que base do mastro.

Pedestal - Carriage : Base sobre a qual assentam peças ou engenhos que são móveis em torno de um eixo vertical tais como canhões, metralhadoras. Cabrestantes, tubos de torpedo, etc.

Peia : Designação genérica dos cabos usados para prender (pear) quaisquer objetos de bordo, evitando que se desloquem com o balanço da embarcação.

Peias de Balanço : Peças fictícias do aparelho náutico que, por brincadeira, se manda buscar por marujo ou aspirante novato.

Pelotas : São os grãos ou pedacinhos de produtos de qualquer natureza, tais como: palieis de minério, de minerais etc.

Península : Porção de terra cercada de água por todos os lados, à exceção do trecho (istmo) que a liga a um território mais vasto.

Perau : 1) Declive abrupto do fundo, junto à costa, com tendência ao rápido aprofundamento. 2) Depressão da areia escavada pela arrebentação.

Percha : Cada uma das molduras colocadas como enfeite na proa do navio.

Perfil - Angle, Bar Beam : Peça de metal laminada, cuja seção reta tem forma especial (L, T, duplo T, I, U, Z). O mesmo que Perfil Laminado.

Perfil Laminado - Laminated Angle, Laminated Iron, Laminated Beam : O mesmo que Perfil.

Pernada : Um dos cordões de um cabo.

Perpendicular - Perpendicular : Reta normal à Linha D'Água de Projeto, contida no plano diametral e traçada a partir de pontos específicos situados na Proa ou na Popa do navio.

Perpendicular a Ré - After Perpendicular : Perpendicular à Linha D'Água de Projeto, contida no plano diametral do navio e que passa pelo ponto de interseção da Linha D'Água de Projeto, com a parte de ré do Cadaste Exterior ou simplesmente do Cadaste, no caso deste ser formado por uma só peça.

Perpendicular a Vante - Forward Perpendicular : É a vertical que passa pela intersecção da linha d'água de projeto com o contorno

Período Contínuo : Refere-se a operações que são realizadas sem interrupções para refeições ou mudança de turnos, com a movimentação por sugadores, correias transportadoras ou oleodutos. Este período tem precedência sobre os domingos e feriados. da roda de proa.

Permanente : Tripulantes de alguns navios a vela que sobem aos mastros para realizar movimentos de velame.

Perpendicular a Ré : Perpendicular à Linha d'Água de Projeto, contida no plano diametral do navio e que passa pelo ponto de interseção da Linha d'Água de Projeto, com a parte de ré do Cadaste Exterior ou simplesmente do Cadaste, no caso deste ser formado por uma só peça.

Perpendicular a Vante : Perpendicular à Linha d'Água de Projeto, contida no plano diametral do navio e que passa pelo ponto de interseção da Linha d'Água de Projeto com a Roda de Proa.

Pesagem : Serviço especial que o porto presta aos seus usuários, que consiste na pesagem de volumes por unidade ou de carga a granel, transportados por caminhões ou vagões.

Pescador - 1) Fisherman; 2) Kingpost, Samson Post : 1) É aquele que exerce a profissão de pesca; 2) O mesmo que Toco.

Pescar de Luva : Ato ou efeito de ficar o barco a receber o vento pelo bordo oposto àquele por onde vai amurado, passando com a popa pela linha do vento, devido ao mau tempo ou à imperícia do timoneiro.

Pescaria de Poita : Pesca que se realiza com o barco fundeado no ancoradouro.

Pescoço de Ganso - Gooseneck : Tubo de ventilação vertical. Sua extremidade livre faz uma curva de 180 graus em relação ao eixo do seu corpo. Sua boca pode ser fechada com uma tampa ou com tela. Veja Cogumelo e Cachimbo.

Peso Morto - Deadweight : Diferença em peso entre o deslocamento máximo e o deslocamento mínimo de um navio de guerra, tais como: o peso da munição, do combustível, da água de reserva das caldeiras, da água potável e para banho e sanitários; dos mantimentos, do material de consumo e das guarnições e seus pertences. Nome pelo qual, em navios mercantes, se designa, impropriamente, o porte bruto.

Peso Movimentado com a Participação do Porto : Designa a tonelagem da carga movimentada no cais, inventada da tonelagem movimentada nos terminais privativos, mesmo que localizados no próprio cais.

Peso Morto Movimentado sem a Participação do Porto : Designa a tonelagem da carga movimentada nos terminais privativos localizados no âmbito da área de administração ou jurisdição do porto, abrangendo aqueles situados no próprio cais.

Pesqueiro : 1) Pesqueiro é o termo utilizado para descrever um local que possibilita a pesca. Podem ser considerados pesqueiros: rios, mares, lagos (naturais ou artificiais), represas e etc. 2) Pesqueiro também é um termo utilizado pelos cidadãos brasileiros para descrever uma pescaria em locais onde o peixe foi criado em cativeiro e que normalmente paga-se uma taxa de entrada para poder entrar e pescar. É uma forma de prestação de serviço na área de lazer relativamente nova, criada para possibilitar que diversos pescadores das cidades grandes tenham diversão sem precisar de um deslocamento longo. Os pesqueiros começaram suas atividades com pesque-pague (paga-se o quilo do peixe pescado) , pague-pesque (paga-se uma taxa de entrada e o peixe pescado pode ser solto ou abatido) e agora, muito comum.

Pesqueiro de Arrasto : Navio pesqueiro que opera arrastando uma rede para a captura do pescado.

Pestana - 1) Short Stock; 2) Brow : 1) Cada uma das extremidades dos braços de uma âncora; 2) Pequena calha fixada sobre uma Vigia, no lado externo do Costado, para impedir que a água da chuva ou das baldeações escorra sobre a Vigia.

Piano : Aparelho múltiplo que impede um conjunto de cabos de correr. Permite um esforço maior que um mordedor.

Picadeiro - Block : Armação de madeira ou aço que apóia pontos do fundo do navio, durante a construção ou reparo.

Picadeiro Centra - Keel Blockl : Picadeiro colocado sob a quilha, suportando todo o peso do navio, durante a construção ou reparo em seco.

Picadeiro de Areia - Sand Kell Block : Cada um dos Picadeiros desmontáveis, que substituem alguns dos Picadeiros Sólidos pouco tempo antes do Lançamento do navio e que facilitam a transferência do seu peso dos Picadeiros Sólidos para o Carro de Lançamento, por ocasião do Lançamento.

Picadeiro Lateral - Bilge Block : Picadeiro colocado sob o fundo do navio, afastado da quilha, para dar estabilidade ao navio durante a construção ou reparo em seco.

Picadeiro Sólido - Solid Block : O mesmo que Picadeiro.

Píer : Plataforma enraizada em terra, ou em um quebra-mar, acostável em um ou em ambos os lados, para funcionar como cais. É um cais, não paralelo à linha de costa, mas a ela perpendicular, ou com ela formando um ângulo, oferecendo a vantagem de permitir atracação pelos dois lados (Daltro Barbosa Leite).

Pilar - Pillar : O mesmo que Pé de Carneiro.

Pivotamento - Pivoting : Situação durante o lançamento em que o navio adquire flutuabilidade positiva e apoia-se, em terra, somente sobre o pródigo de vante do carro de lançamento. Também chamado de giro.

Planar : Ato ou efeito de o barco deslizar à flor d'água em alta velocidade. Esse movimento está ligado ao perfil da carena e a seu atrito com o ar e a água.

Plano - Drawing : Desenho técnico representando uma peça, conjunto de peças ou instalação, indicando suas dimensões, tolerâncias, material para confecção, dados de montagem, etc.

Plano da Base Moldada: Plano Horizontal tangente à parte inferior da superfície moldada. É a origem de todas as distâncias verticais, que se chamam alturas.

Plano de Arranjo Geral - General Arrangement Plan : Plano mostrando a subdivisão interna do navio, tendo para isto representados todos os pavimentos com as subdivisões neles existentes, os nomes dos compartimentos e a localização dos acessos.

Plano de Balizas - Body Plan : Desenho que mostra as interseções da Superfícies Moldada do Casco da embarcação com planos verticais transversais. Mostra o Corpo de Proa à direita da linha de centro do desenho e o Corpo de Popa à esquerda. Faz parte do Plano de Linhas.

Plano de Capacidade - Capacity Plan : Plano contendo as informações importantes para a estiva e manuseio da carga a bordo, tais como: desenhos mostrando os compartimentos do navio; cubagem de todos os compartimentos de carga e tanques; capacidade de carga no convés; tabela mostrando os efeitos de variações longitudinais de peso sobre o compasso; escala de deslocamento, mostrando no mínimo a inter-relação entre calado, deslocamento e porte bruto; capacidade e arranjo dos aparelhos de manuseio de carga.

Plano de Corte de Chapa - Plate Subdivision Chart, Layout Drawing : Plano desenhado na Sala de Risco mostrando o arranjo das peças a serem cortadas de uma chapa. É utilizado na marcação desta ou para servir de guia, no caso de Corte Automático de chapas. O mesmo que Folha de Corte de Chapa.

Plano de Flutuação - Waterplane : Plano horizontal pelo qual o casco é cortado pela superfície do mar. Este plano corta o costado segundo uma linha que se chama linha de flutuação ou linha-d’água.

Plano de Linhas, Desenho de Linhas ou Plano de Construção - Line Plan : Representação da forma e dimensões do casco de um navio por projeções de certas linhas em três planos ortogonais de referência.

Plano de Linhas d'Água - Half-Breadth Plan : Desenho que mostra as intersecções da Superfície Moldada do Casco da embarcação com planos horizontais. Faz parte do Plano de Linhas.

Plano de Meia-Nau - Midship Plan : Plano vertical transversal a meio comprimento do navio.

Plano de Perfil - Profile Plan, Sheer Plan : Desenho que mostra as intersecções da Superfície Moldada do Casco da embarcação com planos verticais longitudinais. Faz parte do Plano de Linhas.

Plano de Seção Mestra - Midship Section : Desenho mostrando uma seção transversal típica do navio a Meia-Nau, indicando os Escantilhões das principais peças estruturais.

Plano Diametral : Plano vertical longitudinal de simetria do casco. É a origem de todas as distâncias transversais horizontais, que se chamam afastamentos, meias-larguras ou meias-ordenadas.

Plano do Alto - Buttock Plane : Planos longitudinais verticais paralelos ao plano diametral. Os Planos do Alto interceptam a Superfície Moldada do Casco formando as Linhas do Alto.

Plano Inclinado : Obra de madeira destinada a construção e consertos de embarcações.

Plataforma - Platform : O pavimento mais elevado de qualquer superestrutura e, de modo geral, qualquer pavimento parcial elevado e descoberto, que recebe nome conforme sua utilização: plataforma dos holofotes, plataforma de sinais etc. Diz-se também plataforma de um navio, para indicar suas condições de calado e de inclinação para determinado deslocamento; assim, estabelecer a plataforma de um navio é calcular suas condições de equilíbrio.

Plataforma Externa : Faixa de calçada, do lado da rua, em toda a extensão e ao nível do chão do armazém do porto, onde são entregues ou recebidas as mercadorias.

Plataforma Interna : Faixa de calçada, dentro do cais, em toda a extensão e ao nível do chão do armazém do porto, onde é manipulada a carga destinada ao embarque ou recebimento, na descarga. É o local em que o guindaste apanha ou deixa a lingada.

Plimsoll - Plimsoll : Nome do congressista inglês que, entre 1873 e 1876, provocou no Parlamento Britânico discussões que levaram à aprovação de leis e convenções destinadas a impedir a sobrecarga perigosa dos navios mercantes. Daí se originaram os termos ’’Disco de Plimsoll" e "Marcas de Plimsoll".

Pluma : Denominação de diversos cabos náuticos.

Poço - Well : Espaço entre o castelo, ou o tombadilho, e a superestrutura central, num navio mercante; este espaço é limitado inferiormente pelo convés principal, e lateralmente pelas amuradas e pelas anteparas frontais do castelo, ou do tombadilho, e as superestruturas centrais.

Poder de Flutuação : Qualidade que o navio tem de poder sustentar-se mais ou menos tempo sobre a água, quando com água aberta.

Poder de Giro : Facilidade que o navio tem de obedecer à ação do leme ou dos hélices, descrevendo curvas com raio e rapidez diversos.

Polaca : Vela latina triangular que se enverga à proa em ocasiões de mau tempo.

Poleame - Blocks : Conjunto de peças que servem para fixar ou dar retorno aos cabos do Aparelho do Navio.

Polegada : Unidade de medida inglesa equivalente a 25.3995 milímetros ou, por aproximação, a 25,4 milímetros.

Ponta : Porção de terra que se estende mar adentro, tendo, contudo, menor extensão que um cabo.

Pontal - Depth : 1) Distância vertical que separa a quilha do convés principal ou da primeira coberta de baixo para cima; é medida à meia-nau. 2) Ponta arenosa ou rochosa que se projeta para o mar a partir da costa.

Pontal Moldado - Moulded Depth : Pontal moldado ou simplesmente pontal, é a distância vertical medida sobre o plano diametral e a meia-nau entre a linha reta do vau do convés principal e a linha da base moldada. O pontal pode ainda ser referido a outro pavimento da embarcação, neste caso toma o nome do pavimento que foi medido (pontal da primeira coberta, pontal da segunda coberta, assim por diante).

Pontalete - Shore : Escora vertical ajustável, usada para dar apoio a uma unidade durante a Montagem.

Pontão : 1) Navio que não pode mais navegar, utilizado como depósito, hospital, escola etc. 2) Tipo de plataforma flutuante, sem propulsão própria, destinada aos mais diversos serviços portuários. O mesmo que flutuante.

Ponte - Bridge : É qualquer construção ligeira, acima do convés principal, servindo apenas de passagem entre o convés do castelo ou o convés do tombadilho e uma superestrutura, ou ainda entre duas superestruturas.

Ponte de Comando - Bridge : O mesmo que passadiço.

Ponte Rolante - Overhead Travelling Crane : Equipamento instalado nos armazéns, com a finalidade de movimentar as cargas no seu interior, empregado nos serviços de empilhamento, desempilhamento e remoção de volumes.

Ponteamento - Tack Weld : Soldagem provisória e intermitente entre duas peças, para auxiliar a sua colocação em posição e mantê-las nos seus lugares até a soldagem definitiva.

Ponto : Cálculo da latitude e da longitude que determina o local do globo onde se encontra uma embarcação.

Ponto de Chamada : Marca ou local a que o navio é exigido se reportar para estabelecer sua posição (também conhecido como ponto para informações ou posição de chamada). Sinónimo de ponto de reportagem.

Ponto de Recebimento : Marca, posição ou local no qual um navio passa a efetuar procedimento obrigatório de entrada, trânsito ou escolta, tais como: entrada de porto, trânsito em canal ou auxílio de quebra-gelo.

Popa - Stern : É a extremidade posterior de um navio. A poa do navio deverá ter a forma adequada a facilitar a passagem da água que preencherá o vazio gerado pelo movimento do mesmo, de maneira a tornar mais eficiente a ação tanto do hélice quanto do leme. As palavras Popa, Proa e Meia nau não definem uma parte determinada do casco, mas sim uma região do mesmo.

Popa em Balanço - Overhanging Stern : Popa cuja estrutura não fica diretamente em cima da Quilha, prolongando-se acentuadamente para ré dela.

Popa Rasa : Velejar com o vento soprando na mesma direção da embarcação.

Por Ante-A-Vante : Expressão comparativa de localização pela qual se faz referência a um objeto situado mais próximo da proa que outro.

Porão - Hold : É o espaço entre o convés mais abaixo e o teto do duplo-fundo, ou entre o convés mais baixo e o fundo se o navio não for dotado de duplo-fundo. Num navio mercante destinado ao transporte de mercadorias, porão é todo o compartimento estanque onde se acondiciona a carga; estes porões são numerados seguidamente de vante para a ré e debaixo para cima.

 

Porão

Porções de Popa : Parte do forro exterior que reveste o esqueleto da popa do navio e é suportada pelo cadaste.

Porta - Door : Abertura que dá passagem franca a um homem de um Compartimento para outro, num mesmo Convés. (Recebe a denominação do Compartimento a que serve como, Porta da lavanderia, ou do fim a que se destina, como Porta de comunicação, Porta de inspeção, etc.).

Porta-Aviões : Navio de construção especial, que tem a finalidade de transportar aviões, para que os mesmos sejam operacionais de forma integral, quando se fizerem exigidos. O mesmo que navio-aeródromo.

Porta-Contêiner ou Portêiner : Denomina-se um equipamento utilizado na área portuária, destinado à operação de embarque e desembarque de container.

Porta de Batente - Hinged Watertight Door : Porta que possui gonzos, sendo fechada por meio de atracadores que deslizam em uma superfície metálica inclinada, para dar o máximo de aperto. O mesmo que Porta de Charneira.

Porta de Charneira - Hinged Watertight Door : O mesmo que Porta de Batente.

Porta de Corrediça - Sliding Door : Porta cujo movimento se faz paralelamente a uma Antepara, horizontal ou verticalmente, sendo guiada e suportada por trilhos.

Porta de Fechamento Rápido - Quick-Acting Door : Porta Estanque na qual se abrem ou fecham, simultaneamente, todos os atracadores, manobrados por um só volante ou alavanca.

Porta de Mar : Porta móvel ao redor do eixo horizontal, abrindo de dentro para fora, através da qual se descarregam as massas de água que enchem a embarcação quando navega em mar grosso.

Porta de Visita - Manhole : Abertura que dá passagem para um homem, feita em Tanques ou no Teto do Duplo-Fundo, a fim de permitir a inspeção, limpeza e tratamento desses espaços.

Porta do Leme - Rudder Plate : é o conjunto do chapeamento que forma a superfície do leme, e a armação que suporta este chapeamento. É sobre esta parte do leme que age a pressão da água quando na ação de mudar o rumo do navio.

Porta Estanque - Tight Door : Portas de fechamento estanque, que estabelecem ou interceptam as comunicações através das anteparas estanques.

Porta Estanque à Água - Watertight Door : Porta destinada a vedar a passagem da água por uma abertura feita em uma Antepara. Também chamada simplesmente, de Porta Estanque.

Porta Estanque a Gases - Gastight Door : Porta destinada a vedar a passagem de gases por uma abertura feita em uma Antepara.

Porta Estanque ao Tempo - Weathertight Door : Porta que comunica um compartimento interno com o exterior e que se destina a impedir a passagem de água da chuva ou de borrifos do mar.

Portaló - Gangway : 1) Lugar onde se entra numa embarcação, ou por onde se embarca ou se recebe carga. 2) É a denominação dada à entrada oficial do navio. É o acesso principal do navio. 3) Abertura feita na borda, ou passagem nas balaustradas ou, ainda, abertura nos costados dos navios mercantes de grande porte, por onde entra e sai do navio, ou por onde passa, a carga leve. Há um portaló de bombordo (BB) e um de boreste (BE), sendo o último considerado o portaló de honra nos navios de guerra. Liga-se freqüentemente a uma escada.

Portar : Puxar um cabo, espia, amarra etc.

Porte - Gross Deadweight : O mesmo que Porte Bruto.

Porte Bruto - Deadweight, Gross Deadweight : Diferença entre o deslocamento totalmente carregado e o deslocamento leve. Compreende, portanto, os pesos do combustível, lubrificantes, aguada, água de alimentação, sobressalentes, tripulação e seus pertences, mantimentos, carga e lastro, passageiros e bagagens. O porte bruto é muito conhecido pêlos termos ingleses deadweight ou gross deadweight = carga bruta.

Porte Comerciável - Negotiable Deadweight : O mesmo que Porte Negociável.

Porte Líquido - Net Deadweight : Parcela do porte comercialmente utilizável. Compreende, portanto, o peso da carga, passageiros e suas bagagens, mala de correio e outros itens sobre os quais é possível cobrar frete ou passagem; é também chamado porte útil = ato ou ação do peso - carga, da sobrecarga.

Porte Negociável - Negotiable Deadweight : Parcela do porte ainda disponível para levar o navio mercante da linha de flutuação em que se encontra até a linha de flutuação em plena carga. É a quantidade de carga à espera de transporte que ainda se pode negociar na praça. Diz-se, também, porte comercial.

Porte Útil - Net Deadweight : O mesmo que porte líquido.

Portêiner : Equipamento básico de todos os portos destinado a atender as frotas internacionais especializadas, nas quais o tempo de atracação deve ser o mais reduzido possível. O portêiner é usado na movimentação de contêiner.

Pórtico - Gantry Crane : Equipamento destinado à utilização para arrumação de containers no pátio de estocagem. O seu deslocamento é realizado através de trilhos ou sobre pneus.

Portinhola - Port Flap, Port Lid : Aba que fecha o portaló ou qualquer outra passagem na borda.

Porto - Port : Lugar abrigado contra os ventos e contra as ondas, com instalações suficientes para apoiar a navegação e realizar operações de caga e descarga de mercadorias, embarque e desembarque de passageiros etc. É o elo de ligação entre os transportes aquáticos e terrestres, onde se encontram todas as instalações portuárias para carga e descarga, pátios, armazéns etc. A área onde os navios ficam fundeados, aguardando oportunidade para atracação ou aguardando berço no cais, é o que se denomina de anteporto. O corredor de ligação entre o alto-mar e as instalações do porto é o que se denomina canal de acesso de um porto.

Portos Artificiais : Aqueles que exigem obras de abrigo para que tenham condições de funcionar.

Portos Carvoeiros e de Minérios : Aqueles que exigem amplas profundidades e instalações mecânicas especiais, para carga e descarga, a exemplo das esteiras transportadoras.

Portos Comerciais : Os que estão convenientemente aparelhados para operações de carga e descarga de navios mercantes. Diz-se, também, portos de amarração.

Portos de Carga Geral : Aqueles que se encontram instalados em caráter geral, movimentando sacarias, fardos, caixarias, além de possuírem armazéns e pátios de estocagem.

Portos de Pesca : Aqueles que podem ser de pequena profundidade, mas de amplas instalações de cais acostável. São portos que exigem tendais para redes, depósitos frigoríficos, fábrica de gelo etc.

Portos Externos : Aqueles situados junto ao mar.

Portos Flúvio-Marítimos : Aqueles que se encontram situados em trechos de rios sujeitos às marés.

Portos Internos : Aqueles situados no interior de uma baía, rio ete.

Portos Lacustres : Aqueles situados à margem de um lago ou lagoa.

Portos Militares : Aqueles que devem dispor de amplos ancoradouros para abrigar os navios de guerra. As entradas e saídas do porto devem ser definidas militarmente pelo comando terrestre. O cais de um porto militar pode ser de pequeno comprimento.

Portos Naturais : Aqueles instalados em locais naturalmente abrigados.

Portos Organizados : Todos aqueles que tenham sido melhorados ou aparelhados, atendendo às necessidades da navegação, da movimentação e guarda de mercadorias e cujo tráfego se realiza sob a direção de uma administração do porto.

Portos Petroleiros : Aqueles que devem possuir grandes profundidades. Sua principal característica é não exigir cais corrido para as operações de carga e descarga. São ospiers que, em síntese, são pontes mais leves, porém capazes de suportar as tubulações de escoamento dos produtos. Nesses portos as medidas de segurança devem ser extremas.

Portuário : 1) De, ou relativo a porto. 2) Indivíduo que trabalha no porto. 3) Estivador.

Portuguesa : Nó ou amarração feita de um cabo, a fim de segurar as antenas da cabrilha.

Posição de Chamada : Posição na qual o navio deve reportá-la.

Posição de Fundeio : Posição onde um determinado navio está fundeado ou deverá fundear.

Poste de Guarda-Mancebo : Poste vertical que suporta cabos de aço ao longo da borda da embarcação.

Postigo : Tampa que fecha vigias, gateiras e demais aberturas de bordo.

Posto : Lugar destinado a um navio de uma esquadra.

Praça - Spare Capacity : Nome genérico dado aos espaços de um navio mercante destinados ao transporte de carga.

Praça D'Armas : Compartimento que serve de refeitório e sala de estar para oficiais, nos navios de guerra.

Praça de Caldeiras : Compartimento onde são instaladas as caldeiras principais do navio.

Praça de Máquinas: Compartimento onde ficam situadas as máquinas principais e auxiliares.

Prancha : 1) Espécie de ponte, geralmente de madeira, que se prende no capelo e se estende entre duas embarcações ou entre a embarcação e o local de fundeio, para o trânsito da tripulação. 2) Canoa de dois mastros e velas triangulares, frequente no baixo rio Paraíba do Sul, onde também é conhecida como chata. 3) Barco usado no transporte fluvial de carga na região mato-grossense da bacia do Paraguai; tem proa saliente, costado bojudo e cobertura de tábuas, e é propelido com varas ou velas.

Pré-Lingada - Pre-Sling : Denominação dada a uma rede especial, fabricada com fios de poliester ou similar, suficientemente resistente, de forma a constituir um elemento adequado à unitização de mercadorias ensacadas, empacotadas ou condicionadas de outras formas semelhantes.

Pré-Montagem - Pre-Assembly : Operação que consiste em agrupar diversas peças de uma unidade, de modo a obter um conjunto soldado que simplificará a Montagem da unidade.

Preamar : 1) Nível mais alto alcançado pelas águas em seu movimento de subida após cada baixa-mar. 2) Maré alta.

Pregueiro : 1) Embarcação de grande calado. 2) Barco que demanda muita água ou de grande quilha.

Preguiçoso : Barco vagaroso, sobretudo na manobra de virar de bordo.

Preparação de Contornos - Edge Preparation : Operação que consiste em abrir chanfro nos contornos de peças ou de chapas, a fim de prepará-las para a soldagem a outras chapas ou peças.

Pressão Específica - Specific Pressure : Pressão que atua sobre o lubrificante do Trilho de Lançamento, devido aos pesos do navio e do Carro de Lançamento.

Proa - Bow : É a extremidade anterior de um navio. A proa do navio deverá ter a forma adequada a fender a água quando do movimento do mesmo. As palavras Popa, Proa e Meia nau não definem uma parte determinada do casco, mas sim uma região do mesmo.

Proa Bulbosa - Bulbous Bow : Proa dotada de bulbo.

Proa Bulbosa

Proa Lançada - Racked Bow : Proa que tem a roda de proa reta e o bico de proa mais avançado que o pé da roda de proa.

Proa Talhante : Proa de embarcação armada de talha-mar.

Proa Tipo Clipper - Clipper-Type Bow : Proa que tem a roda de proa côncava e o bico de proa mais avançado que o pé da roda de proa.

Proa Vertical - Plumb Bow : Proa que tem a Roda de Proa reta e vertical.

Pródigo - Poppet : Cada um dos madeiros verticais e oblíquos que reforçam o costado e o fundo da embarcação.

Pródigo de Popa - Stern Poppet : Estrutura construída sob a popa do navio, compondo a parte de ré do carro de lançamento, que impede o deslocamento para ré do navio, quando em cima do carro de lançamento.

Pródigo de Vante - Bow Poppet : Estrutura construída sob a proa do navio, compondo a parte de vante do carro de lançamento, resistente o suficiente para suportar os esforços que ocorrem no pivotamento.

Proeiro : Significa tripulante. Denominação mais usualmente conferida àqueles que tripulam barcos de pesca artesanal.

Prolongar : 1) Colocar o barco em posição paralela e muito próximo a outro em um cais etc. 2) Atracar.

Pronto a Virar! : Voz que se emprega antes da manobra de virar a roda.

Propulsão - Propulsion : Ato ou efeito de propulsar, impelir para diante um veículo.

Proteção - Protection : Compreende os dispositivos empregados para neutralizar ou reduzir ao mínimo os efeitos das armas inimigas e, com outros fatores como a velocidade, define a capacidade defensiva do navio.

Proteção Catódica : A proteção catódica é um método de combate a corrosão que consiste na transformação da estrutura para proteger o catodo de uma célula eletroquímica ou eletrolítica. É empregado para resguardar estruturas enterradas ou submersas tais como dutos, tanques, pés-de-torre, navios e plataformas. Existem a proteção catódica terrestre e a proteção catódica marítima, que usam sistemas galvânicos e por corrente impressa para promover a proteção da estrutura.

Proteção Estrutural - Structural Protection : Conjunto de arranjos estruturais destinados a reduzir os efeitos dos acertos de projéteis, mísseis, torpedos e minas nas obras vivas dos navios de combate.

Prumo - Stiffener : Dispositivo para determinar a profundidade da água onde está a embarcação e, às vezes, a natureza do fundo. O manual é denominado Prumo de Mão.

Prumo da Bomba : Régua de ferro graduada, estreita, que serve para medir a altura da água no porão do barco ou a quantidade de água que o navio faz a cada hora.

PSV - Platform Supply Vessel : Embarcação utilizada no apoio às plataformas de petróleo, transportando material de suprimento: cimento, tubos, lama, salmoura, água doce, óleo, granéis. Mede de 60 a 100 metros de comprimento. Possui impelidores laterais (thrusters).

Púlpito : Armação de tubos usada para proteger o velejador durante as operações na proa da embarcação.

Punho da Adriça : Topo da vela (Local onde é presa a adriça).

Punho da Amura : canto da vela que fica inferiormente junto ao mastro ou ao estai.

Punho da Boca : numa vela quadrangular, é o punho superior situado junto ao mastro.

Punho da Escota : canto da vela onde fixa a escota.

Punho do Gurutil : nas velas redondas fica nos extremos do gurutil.

Punho da Pena : nas velas triangulares é o punho pelo qual é içada a vela. Nas quadrangulares é o punho superior e exterior.


Q

Q : Bandeira QUEBEC. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "O estado sanitário do meu navio é bom e peço livre prática".

QUEBEC

Qualidades Essenciais - Essencial Properties : Características que deve apresentar o casco de todo navio: solidez, flutuabilidade, estanqueidade.

Qualidades Militares - Military Properties : Características que devem apresentar os navios de combate potência ofensiva, proteção, velocidade e autonomia.

Qualidades Náuticas - Nautical Properties : Conjunto de requisitos técnicos que a embarcação deve ter como garantia de uma navegação segura e eficiente.

Qualidades Técnicas - Technical Properties : Nome genérico que abrange as qualidades essenciais e as qualidades náuticas de um navio.

Quartel - Cover, Grating : Cada uma das seções desmontáveis de um assoalho, Estrado ou cobertura qualquer. Veja Quartel da Amarra.

Quartel de Amarra - Cable's Length : Cada uma das seções em que se subdividem as amarras de bitola grossa, e cujo o comprimento é, em geral, de 12,5 braças ou 22,9 metros (medida inglesa) e 15 braças ou 27,5 metros (medida americana). Uma braça corresponde a 6 pés ingleses e equivale a 1,83 metros.

Quartelada - Shackle : Medida da extensão das amarras, ou 15 braças.

Quebra de Espaço - Broken Stowage : O mesmo que Quebra de Estiva.

Quebra de Estiva - Broken Stowage : Espaço do porão não ocupado pela carga, por ser inadequado ao tipo de embalagem, ou por ser necessário à ventilação ou à separação da carga. Diz-se, também, quebra de espaço e vãos de carga.

Quebra-Gelo : Navio aparelhado para abrir caminho nos mares glaciais.

Quebra-Mar - Breakwater : 1) Chapa ou tábua vertical, ou pouco inclinada para vante, colocada sobre o convés, na proa, a fim de diminuir a violência das águas e impedir sua passagem para ré; 2) Construção artificial para reduzir os efeitos das ondes sobre  uma região a permanecer com suas águas protegidas.

Querena - Bottom : O mesmo que Carena.

Quilha - Keel : Peça disposta em todo o comprimento do casco no plano diametral e na parte mais baixa do navio: constitui a "espinha dorsal" e é a parte mais importante do navio, a que suporta os maiores esforços.

Quilha de Balanço - Bilge Keel : Chapas ou estruturas planas colocadas perpendicularmente em relação ao forro exterior, na altura da curva do bojo, no sentido longitudinal, uma em cada bordo das embarcações de modo a amortecer a amplitude dos balanços. As bolinas são empregadas em navios modernos de qualquer classe, são mais efetivas nos navios que tem pequena amplitude de balanço, pode-se dizer que diminuem de metade a amplitude das oscilações do navio. Bolina é também o nome da chapa plana e resistente, em forma de faca, colocada verticalmente por baixo da quilha das embarcações de pequeno porte de propulsão a vela e servem para reduzir a inclinação e o abatimento da mesma quando navegando a vela.

Quilha Chata - Flat Keel : Tipo de quilha preferido para os barcos modernos de qualquer classe. O mesmo que Chapa Quilha.

Quilha Lateral - Keelson : Chapa colocada perpendicularmente ao Chapeamento do Fundo, no lado interno deste, em ambos os Bordos, e a uma certa distância da Quilha Vertical.

Quilha Vertical - Vertical Keel : Quilha constituída por uma peça saliente que se projeta abaixo ou acima do Forro do Fundo da embarcação.

Quina - Knuckle : Qualquer mudança brusca de direção na superfície externa do casco, num chapeamento, numa antepara, numa caverna ou de outra peça qualquer da estrutura do navio.

 


R

R : Bandeira ROMEO. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Não tem significado isoladamente".

ROMEO

Rabanada : Vento forte, de início repentino, e, em geral, de curta duração, que, às vezes, pode ser acompanhado de chuva ou granizo; pé-de-vento.

Rabear : Mover-se horizontalmente a popa da embarcação para um e outro bordo, quando o barco muda de remo.

Radiofarol : Estação transmissora de sinais especiais de radiotelegrafia emitidos a intervalos regulares em Código Morse, que ajudam os navegantes a determinarem a posição da embarcação. Os tipos de radiofaróis utilizados em emissões dirigidas à navegação são os rotativos e os circulares; estes, também, chamados marítimos ou unidirecionais, são utilizados na costa brasileira.

Radiogoniômetro - Radio Direction Finder : Indica a direção de uma estação radiotransmissora. Utilizado na navegação costeira.

Raia : Local de um corpo aquático onde se desenvolvem competições de barcos de recreio.

Raio de Ação - Steaming Radius : Maior distância que um navio pode navegar com a sua capacidade de combustível.

Raio Metacêntrico - Metacentric Radius : Distância do Centro de Carena ao Metacentro. Pode ser longitudinal ou transversal, caso se refira, respectivamente, ao Metacentro Longitudinal ou ao Transversal. Quando não for feita referência a nenhum destes, entende-se por Raio Metacêntrico Transversal.

Raio Metacêntrico Longitudinal - Longitudinal Metacentric Radius : Distância do Centro de Carena ao Metacentro Longitudinal.

Raio Metacêntrico Transversal - Transverse Metacentric Radius : Distância do Centro de Carena ao Metacentro Transversal.

Rajada : O aumento momentâneo da velocidade do vento.

Rancho : 1) Lugar na proa da embarcação onde dormem os marinheiros; 2) Refeitório de bordo; 3) Gêneros alimentícios, de limpeza e de uso geral (consumíveis) de bordo.

Raposa - Billboard : 1) Cada uma das peças maciças salientes do Costado, nos navios antigos que usavam Âncoras Almirantado, sobre as quais descansavam as Unhas dessas Âncoras. 2) Recesso feito no Costado de alguns navios modernos, junto ao Escovém.

RCC : Abreviatura do centro de coordenação das operações de salvamento.

Ré - Aft, After, Back : Metade posterior da embarcação. O termo não é usado isoladamente, mas nas locuções: a ré - na metade traseira da embarcação; de ré de trás, traseira; por ante a ré - pela retaguarda, considerando-se como sentido de referenciai, que aponta para a proa da embarcação. O mesmo que popa.

Reatracação : Ato ou efeito de se realizar nova atracação de uma embarcação, por qualquer fato ou motivo, sem que para isso tenha saído da área de administração do porto.

Rebentação : Quebra da crista das ondas, principalmente diante de obstáculos que se opõem a seu deslocamento, o que é muito comum na costa e em pequenas profundidades. O mesmo que arrebentação.

Rebitagem - Riveting : O mesmo que Cravação.

Rebitamento - Riveting : O mesmo que Cravação.

Rebite - Rivet : Cilindro de metal dotado com cabeça em uma de suas extremidades, destinado a ligar de maneira permanente e definitiva duas chapas ou peças de metal.

Rebocador : Denominação dada ao pequeno navio de grande robustez, alta potência mecânica e boa mobilidade, destinado a rebocar outras embarcações.

Rebocador de Alto-Mar : Rebocador de maior porte que os comuns de grande raio de ação, destinado a prestar socorro marítimo em alto-mar.

Rebocador de Porto : Pequeno rebocador destinado a auxiliar a manobra de atracar e desatracar navios, ou a rebocar embarcações na área portuária.

Reboque : Ação de rebocar. É o serviço que a administração do porto pode realizar com seus rebocadores para auxiliar os navios em sua atracação, ou desatracação, para conduzi-los de um ponto para outro no porto, ou ainda para trazê-los para dentro, ou levá-los para fora deste.

Recesso - Recess : Concavidade feita numa Antepara, a fim de alojar um equipamento num compartimento, ou para neste obter um melhor arranjo.

Rechego : Serviço de junção dos detritos de carga e granel, de modo a facilitar sua remoção ou arrumação.

Recife : Rochedos de constituição arenítica ou coralínea, situados a pequena profundidade, perto da costa ou a ela diretamente ligados.

Reclamo - Clamp, Sheave Hole : Peça metálica, de forma curva, aberta na parte superior, fixada nos Mastros ou em partes altas da estrutura, para servir de guia. a cabos do Aparelho do Navio.

Rede : Espécie de cesto de dimensões avantajadas, confeccionado de cordame ou outro material flexível, em forma de malha, utilizado no carregamento de pequenos volumes, difíceis de serem amarrados em lingadas.

Redler : Equipamento transportador de corrente, muito utilizado nos portos para a movimentação de graneis sólidos.

Reembarque : Diz-se do ato ou efeito de embarcar de novo, em qualquer veículo ou para qualquer destino, as mercadorias que foram descarregadas em trânsito.

Reensacamento : Serviço de acondicionamento em sacos, de cargas a granel, descarregadas dessa forma, ou derramadas durante a operação.

Reexportação : Ato ou efeito de reexportar uma mercadoria para o país de origem com processo regular e autorização da autoridade aduaneira.

Refrega : Vento tempestuoso ou que sopra às lufadas, sendo, porém, mais fraco que a rajada.

Regata : Competição que coloca em confronto dois ou mais barcos que se desenvolvem em um percurso perfeitamente delimitado e sinalizado por bóias. As regatas podem ser: de triângulo - adotada nas Olimpíadas, costeiras, oceânicas e transoceânicas.

Regeira : Espia passada por um dos chicotes numa bóia ou ancorete fundeado, e alada pelo outro, por um cabrestante a bordo, para auxiliar a embarcação em manobras difíceis.

Registro de Estoque : Registro que tem por fim dar uma idéia permanente das entradas e saídas dos produtos. É um registro muito importante nas grandes organizações, de modo que o estoque possa ser controlado por produtos e valores, pela própria seção de contabilidade, sem prejuízo de um outro controle de uso do próprio armazém.

Registro de Navio : Registro que deve ser feito por todo proprietário de navio que esteja destinado à navegação em alto-mar. O referido registro é obrigatório e deve ser feito na Capitania dos Portos em cuja circunscrição o proprietário tiver domicílio.

Regularidade de Oscilação : Propriedade de arfar e balançar suavemente e sem choques a embarcação, pois isso é prejudicial ao casco, ao aparelho, à carga e ao pessoal.

Reimportado : Retornado ao porto de origem.

Relação de Acréscimo : Documento necessário à identificação da entidade responsável pela falta existente do volume ou mercadoria que descarregue no porto e apurada sobre a faixa do cais ou plataforma do armazém, no momento de descarga, mesmo quando diretamente para veículos rodoviários ou ferroviários.

Relógio Náutico: Relógio preciso com erro conhecido. Utilizado na navegação astronômica.

Remo : Haste de madeira leve que movimenta a embarcação e é impulsionada por um tripulante - o remador.

Remo de Esparrela : Remo disposto na popa como para gingar, mas utilizado para governar a embarcação em lugar do leme. Especialmente com o mau tempo, os barcos se governam melhor com o remo do que com o próprio leme.

Remoção : Operação que consiste em transportar a carga do depósito interno para o exterior.

Remos N'Água! : Voz de manobra que manda contrariar a marcha por meio de remos.

Rendimento : Relação entre o total de carga transportada e o somatório dos produtos dos comprimentos das embarcações pelos tempos atracados.

Reparo - Mount : Unidade constituída de todas as partes necessárias para alojar e manejar um canhão, metralhadora, lançador de mísseis ou outro armamento não-portátil.

Repontar : Quando a maré estaciona pouco antes da enchente ou da vazante.

Resbordo - 1) Garboard, Garboard Strake; 2) Port : 1) Primeira fiada de chapas do Forro Exterior do Fundo, de ambos os lados da Chapa-Quilha. (Garboard, Garboard Strake); 2) Abertura, geralmente com porta estanque, praticada no Costado, para entrada de carga, mantimentos, munição, óleo, aguada.

Reserva de Flutuabilidade - Reserve of Buoyancy : Volume da parte do navio acima da linha de flutuação em plena carga, que pode ser tomado à água.

Reserva de Flutuação - Reserve of Buoyancy : Poder de flutuação de todos os espaços estanques acima da linha-d’água.

Reserva de Velocidade - Reserve of Speed : Diferença entre a velocidade máxima que o navio está preparado para desenvolver em um dado momento e a velocidade que está realmente desenvolvendo.

Resistência : Denominação usual que identifica o pessoal do Sindicato dos Arrumadores, entidade que atua nos serviços da capatazia na orla portuária.

Resistência Mínima à Propulsão : Propriedade pela qual o navio pode percorrer o máximo de percurso horário, com um mínimo de potência propulsiva.

Ressaca : 1) Refluxo de uma vaga após se espraiar ou encontrar um obstáculo que a impede de avançar livremente. 2) Investida vigorosa contra o litoral, das vagas do mar muito agitado.

Retinida : Determinada peça, cabo de pequena bitola, que os atracadores lançam de terra para o navio ou vice-versa, quando em manobra de atracação. O cabo é puxado por intermédio dessa peça, sendo que, posteriormente, será amarrado no cabeço do cais.

Retorno : Designa qualquer peça que serve para mudar a direção de um cabo sem permitir atrito forte.

Retranca : Verga de madeira ou metálica onde está presa a parte inferior de uma vela.

Risco Marítimo : Diz-se dos perigos a que se acham expostas as embarcações e mercadorias por danos que lhes possam sobrevir, em consequência de acidentes no mar. O mesmo que fortuna do mar.

Rizar : Significa diminuir a área vélica, enrolando-se a vela na retranca. A redução da vela é técnica de velejar usada para assegurar melhor governo do barco, em decorrência de ventos demasiadamente fortes.

Rize : Cabo que ajuda a manter o pano reduzido.

Robalete - Bilge Keel : O mesmo que Bolina.

Roda de Conchas: Vide Coroa de Barbotin.

Roda de Proa - Bow : Peça robusta que, em prolongamento da quilha, na direção vertical ou quase vertical, forma o extremo do navio a vante.

Roda do leme - Steering Wheel : A roda de leme é uma roda de madeira ou de metal, montada num eixo horizontal situado no plano diametral do navio. Em seu contorno exterior há usualmente vários punhos chamados malaguetas, por meio das quais os timoneiros lhe imprimem o movimento de rotação. O mesmo que timão.

Rodetes: Peças de aço compostas de roldana, montadas sobre pequena estrutura em forma de coluna; servem para mudar ou alinhar cabos e espias com diversos equipamentos.

Rol de Equipagem : Documento útil para garantir os direitos e condições do contrato dos tripulantes. Nas embarcações empregadas na navegação interior e subjurisdição da mesma capitania, na navegação do porto e no serviço de pesca, exceto na pesca em alto-mar, o rol de equipagem é substituído pelo rol portuário.

Rolamento : Diz-se dos perigos a que se acham expostas as embarcações e mercadorias por danos que lhes possam sobrevir, em consequência de acidentes no mar. O mesmo que fortuna do mar.

Rolha - Pad : O mesmo que Batoque.

Rosa dos Ventos : Mostrador da bússola em que aparecem marcados os pontos cardeais (norte, sul, leste, oeste), os pontos quadrantais ou colaterais (nordeste, sudoeste, noroeste), e os setores intermediários, divididos em quartas e quartos, formando um total de 128 divisões.

ROVSV - ROV Support Vessel : Embarcação de apoio especializada em operação de ROV (Remote Operate Vehicle), pequeno veículo operado do navio e que atua no fundo do mar através de braços mecânicos, luzes e lentes no manuseio e montagem de equipamentos submarinos offshore.

Rota : 1) Caminho seguido por uma embarcação. 2) Direção que a embarcação assume em relação a um ponto fixo da superfície terrestre. Raramente coincide com a direção da proa, devido à ação do vento e da corrente, que gera abatimento e deriva. 3) Rumo.

Rota Profunda : Rota em determinada área, dentro de limites definidos, na qual foi realizado um levantamento preciso para verificação de que o fundo do mar está safo e livre de obstáculos submersos para um mínimo indicado de profundidade da água.

RSV - Research Support Vessel : Embarcação de apoio à pesquisa e coleta de dados sísmicos.

RSV - ROV Support Vessel : Embarcação de apoio especializada em operação de ROV (Remote Operate Vehicle), pequeno veículo operado do navio e que atua no fundo do mar através de braços mecânicos, luzes e lentes no manuseio e montagem de equipamentos submarinos offshore.

 


S

S : Bandeira SIERRA. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Minhas máquinas estão dando atrás".

SIERRA

Saca : Diz-se da onda que avança sobre a praia.

Safar : 1) Desembaraçar a embarcação encalhada, recolocando-a em navegação. 2) Colher os cabos depois de uma manobra, deixando-os prontos para o uso da manobra seguinte. 3) Deixar os cabos claros à manobra.

Safrão : Diz-se da porta do leme.

Saia: Acessório presente na maioria das máquinas de suspender, são tambores de aço fundido e servem para as manobras das espias de amarração.

Saída d'Água - Freeing Port : Abertura feita na parte mais baixa da borda falsa, para permitir o escoamento da água que se acumula no convés. Algumas possuem tampas articuladas para evitar a entrada de água do mar, só permitindo a passagem de água num sentido.

Sala de Risco - Mould Loft : Local no qual é traçado, em escala natural, o Plano de Linhas do Navios e confeccionados os Moldes das peças e os Planos de Corte de Chapas.

Salsa-Proa - Flat Stem : Proa que tem a Roda de Proa côncava e o pé da Roda de Proa mais avançado que o Bico de Proa.

Salva-Vidas : 1) Coletes ou bóias de material flutuante, preferivelmente cortiça. Conforme recomenda o Regulamento para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar, o salva-vidas deve ser maciço, nunca granulado ou em fitas; e a sua flutuabilidade não deve depender de compartimentagem de ar e sim do próprio material que o constitui. 2) Embarcação especial para operações de salvamento e resgate de náufragos. Dispõe de caixas de ar e quilha lastrada com chumbo, que lhe permitem flutuar mesmo cheio de água e endireitar-se sob o maior ângulo de inclinação.

Salvatagem: Operação de abandono de uma embarcação ou resgate de sobreviventes.

Sapatilho : Peça para reforçar a alça de um cabo.

Sarreta - Cargo Batten : Cada uma das tábuas de madeira que forram os lados dos Porões de carga, com a finalidade de impedir o contato da carga com o Chapeamento.

Sarrilho: Tambor horizontal manobrado à mão, no qual dão volta as espias para se conservarem colhidas e bem acondicionadas.

Sat Nav: Sistema de navegação que utiliza sinais emitidos por satélites. Bastante preciso e de dimensões reduzidas. Fornece leituras de posição aproximadamente de hora em hora. Atualmente sendo substituído pelo GPS.

Saveiro: Embarcação de fundo chato, de forma semelhante à meia-lua de proa mais elevada que a popa, e usada especialmente para conduzir as redes que se lançam em frente à praia. Embarcações robustas, construídas em madeira ou metal, de fundo chato. São empregadas para desembarque ou transbordo de carga, nos portos. Podem ser cobertas ou abertas.

Seção a Meia-Nau: Seção transversal do casco tirada a meio comprimento entre as perpendiculares de vante e de ré.

Seção Mestra - Midship Section : Chama-se seção mestra a maior das seções transversais de um casco. A seção mestra se situa coincidentemente com a seção a meia nau, ou muito próximo desta, na maioria dos navios modernos, qualquer que seja o tipo. Em muitos navios modernos, e particularmente nos navios mercantes de carga, certo comprimento da região central do casco é constituído por seções iguais à seção mestra numa distância apreciável, quer para vante, quer para ré da seção a meia-nau ou seção mestra; diz-se então que o navio têm formas cheias. Nos navios que têm formas finas, a forma das seções transversais varia muito em todo o comprimento do navio a vante e a ré da seção mestra.

Seção Transversal - Cross Section : Chama-se seção transversal qualquer seção que seja determinada, por um plano transversal, no casco de uma embarcação.

Seguir : 1) Diz-se da movimentação de uma embarcação para a frente; andar; navegar. 2) Diz-se também quando a embarcação está em marcha ou em seguimento.

Segurança no Mar : Conjunto de procedimentos, conhecimentos que se destinam a garantir a integridade física dos navegantes. Compreendem, genericamente, a conservação de um equipamento mínimo a bordo; a prática de manobras próprias para a navegação, em caso de mau tempo, emborcamento, encalhe, abalroamento etc.; os conhecimentos que antecipam a necessidade de realizar essas manobras, como os que se referem à meteorologia e à previsão do tempo; a capacidade de determinar a própria localização, mediante o uso de cartas náuticas, de conhecimentos de navegação astronómica etc.; a comunicação, por meio de sinalização ótica e visual e do uso de aparelhos radiotelegráficos. Essas medidas são recomendadas ou, simplesmente, difundidas por autoridades internacionais - geralmente com base em regulamentação mundial, como a Convenção Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar - ou por entidades internacionais esportivas.

Seio : Área central de uma vela ou cabo.

Sem Compasso - Even Keel : Diz-se do navio que tem o mesmo calado a vante e a ré, isto é, que tem quilha paralela a um plano horizontal. Diz-se, também, sem diferença, ou em águas parelhas.

Sem Diferença - Even Keel : O mesmo que Sem Compasso.

Semicabinado : Embarcação a vela ou a motor dotada de uma cobertura pequena e baixa, que abrange mais ou menos a metade da extensão do poço, estendendo-se sobre uma pequena cabina fechada ou, simplesmente, sobre um espaço não compartimentado.

Separação - Dunnage : Material usado para separar os volumes da carga entre si e da Estrutura do navio.

Separação de Volumes : Operação que consiste na triagem de determinadas cargas, com o objetivo de separar, dentro de uma partida numerosa, pequenos lotes classificados por importador, por marcas ou por rótulos.

Separador - Crease Iron : Cada uma das peças de aço ou madeira colocadas entre o Trilho e o Carro de Lançamento, destinadas a impedir que o peso do navio expila o lubrificante do Trilho, antes do Lançamento. Os Separadores são removidos instantes antes do Lançamento do navio.

Sequência de Edificação - Erection Sequence : Ordem na qual as Unidades Estruturais são colocadas em posição, umas em relação às outras, no local de construção do Casco do navio.

Sequência de Soldagem - Welding Sequence : Ordem na qual deve se executada a soldagem durante a Pré-Montagem, a Montagem e a Edificação do Casco, para minimizar os empenos e distorções.

Série : Um grupo (flight) de regatas (matches).

Serviços Acessórios : Aqueles considerados serviços especiais de interesse do comércio da navegação, que possam ser prestados pela administração do porto, através do seu pessoal ou seu equipamento. São, por exemplo: verificação de peso; remoção de volumes; abertura de volumes para vistoria; repesagem de mercadorias; marcação e remarcação de volumes; empilhamento ou arrumação de mercadorias nos armazéns; operação adicional de carregamento, ou de descarga de vagões ou outros veículos estranhos ao porto, nas dependências portuárias; suprimento de energia elétrica às embarcações ou consumidor instalado nas dependências portuárias etc.

Serviços Conexos de um Porto : Serviços de entrada e saída de cargas nos armazéns/pátios, envolvendo também ovação.

Serviços Internos de um Porto :Serviços internos de porto, inclusive plantões.

Seteira - Loop Hole : Pequena abertura praticada em Torre ou Passadiço com o fim de permitir a observação do exterior.

Sextante : Instrumento de navegação, usado para medir o ângulo entre uma reta que passa pelo observador e um astro, e a linha horizontal; ou o ângulo horizontal entre dois pontos de referência.

Sicordas: Peças colocadas de proa a popa num convés ou numa coberta, ligando os vaus entre si.

Simular Bandeira : Navegar com a bandeira de outra nacionalidade para gozar das mesmas vantagens dos barcos da bandeira que arvora.

Sinalização : Conjunto dos símbolos ou sinais e dos equipamentos visuais, sonoros ou eletrônicos que os transmitem, destinado a veicular mensagens indicativas de emergência, de percurso, de orientação, de previsões meteorológicas etc. que garantem a segurança da navegação. Compreende bóias, bandeiras, lanternas, faróis, radiofaróis e buzinas, entre outros elementos.

Singradura : 1) Jornada de navegação marcada das 12 horas de um dia às 12 horas do dia seguinte, para facilitar nos cálculos astronômicos; dia de mar. 2) Tempo total em dias despendidos no mar.

Sistema de Transferência - Weight Transfer System : Sistema utilizado para movimentar blocos através de uma malha de trilhos e vagonetas pelo pátio do estaleiro saindo das oficinas até a carreira ou dique.

Sloop : Barco à vela de um mastro com apenas uma vela de proa.

Sobrequilha: É uma peça semelhante à quilha assentada sobre as cavernas. Colocada em cima da quilha em todo o seu comprimento, servindo como reforço da estrutura do navio. A sobrequilha prolonga-se de proa a popa, por sobre as hastilhas e concorre com a quilha para resistir aos esforços longitudinais e além disso tem por finalidade manter as cavernas em sua posição.

Socar : Apertar com força um nó ou uma volta de cabo.

Soçobrar - To Sink : Afundar.

Soldagem a Feição - Flat Position Welding : Posição de soldagem na qual a solda é feita pela parte superior da união e a face do soldador fica aproximadamente, na horizontal e voltada para baixo.

Soldagem Automática - Automatic Welding : Soldagem na qual a alimentação do arame do eletrodo e a movimentação da máquina de solda ao longo da união a ser soldada se processam automaticamente.

Soldagem de Bujão - Plug Welding, Slot Welding : Soldagem que se executa apoiando-se uma peça sobre a outra, abrindo neles orifícios perpendiculares à interface, os quais são enchidos, total ou parcialmente, com solda. O mesmo que Soldagem de Tampão.

Soldagem de Filete - Fillet Welding : Soldagem feita para unir duas peças em ângulo próximo de 90°, formando um T ou um L, sendo a seção transversal da solda, aproximadamente, triangular.

Soldagem de Tampão - Plug Welding, Slot Welding : O mesmo que Soldagem de Bujão.

Soldagem de Topo - Butt Welding : Soldagem entre duas peças ou chapas que estejam, aproximadamente, no mesmo plano.

Soldagem Fora da Posição - Out of Position Welding : Qualquer posição de soldagem diferente da Soldagem a Feição.

Soldagem Manual - Manual Welding : Soldagem na qual todas as operações são efetuadas manualmente.

Soldagem Semi-Automática - Semi-Automatic Welding : Soldagem na qual a alimentação do arame do eletrodo à zona de soldagem se processa automaticamente, mas a movimentação da máquina de solda, ao longo da união soldada, é feita manualmente.

Soldagem Sobre Cabeça - Overhead Position Welding : Posição de soldagem na qual a solda é executada pela parte interior da união e a face do soldador fica voltada para cima.

Soldagem Sobreposta - Lap Welding : Soldagem entre duas peças ou chapas que se superpõem, na região da união.

Soldagem Vertical - Vertical Position Welding : Posição de soldagem na qual o eixo da solda é aproximadamente vertical.

Soleira - Sill : Contorno inferior da Clara do Hélice.

Solidez : 1) Propriedade do navio que deve ter toda a estrutura a fim de resistir aos esforços produzidos pelas vagas no balanço e na arfagem, pelos pesos transportados a bordo e pela propulsão. 2.)Resistência ao alquebramento e embates do mar agitado.

Solitária : Diz-se da navegação na qual a pilotagem de um barco é feita por uma só pessoa, em recreio ou em competição, cumprindo percurso oceânico.

Solteiro : Denominação dada a um barco a bordo sem destinação especial, podendo ter múltiplos fins.

Soluçar : Movimento longitudinal da embarcação ao levantar e mergulhar alternadamente a proa e a popa. O mesmo que arfar. (V. arfagem a arfante).

Soluço : 1) Movimento do navio metendo a proa ou arfando. 2) O arfar do mar.

Sonar : Dispositivo com que se detectam e localizam, mediante o eco de ultra-sons, objetos no seio do mar. É constituído por uma fonte de ultra-sons que emite pulsos convenientemente dirigidos. O eco da onda sonora é recebido e registrado, possibilitando a localização do objeto refletor. O espectro do pulso emitido pelo dispositivo está na maior parte na região dos ultra-sons, pois em geral opera-se numa faixa de frequência entre 5.000Hz e 50.000Hz.

Sonda : Instrumento usado para medir a profundidade das águas ou reconhecer a natureza do fundo, e que em geral consta de um peso de chumbo preso a uma linha.

Sotavento : O ponto ou bordo do navio para onde sopra o vento. O lado oposto ao de barlavento. A sua sigla é SV.

Spi : Ou spinaker, o mesmo que vela de balão.

Spinnaker ou Balão : Vela de Proa muito leve e grande usada com ventos de popa até o través.

Storm-Jib : Pequena vela de proa, muito resistente, usada com ventos muito fortes.

Straddle Carrier : Equipamento utilizado para estocagem dos contêiners no parque de estocagem, possibilitando a superposição de três containers. O straddle carrier é um equipamento com boa modalidade, mas requer pavimentação especial na área em que tiver que operar.

Submarino : 1) Embarcação capaz de navegar inteiramente imersa na água, e geralmente empregada como arma de guerra, para lançamento de torpedos, minas etc., e como meio de transporte de espiões. 2) É o tipo de navio de guerra destinado a operar submerso.

Submergir : 1) Cobrir de água, mergulhar inteiramente em água, fazer sumir completamente na água, afundar. 2) Ir ao fundo.

Submersão : O abatimento do casco de cavalgadura, em resultado de pancada.

Sugador : Também chamado sugador-chupa, é a denominação dada ao aparelho de sugador de cereais destinados aos moinhos. É um equipamento mecânico utilizado na movimentação de graneis sólidos e dotado de sucção pneumática.

Sulcar : Ato ou efeito de cortar as águas, navegando.

Superestrutura - Superstructure : Construção feita sobre o Convés Principal, estendendo-se ou não de um Bordo a outro da embarcação e cuja cobertura é, normalmente, também um Convés.

Superestrutura Central - Bridge : Superestrutura situada na região central do navio.

Superestrutura Estrutural - Structural Superstructure : Superestrutura que concorre para resistência do Casco da embarcação. Ex.: Castelo, Tombadilho.

Superestrutura Lateral - Island : Superestrutura situada em um dos Bordos do navio, como é o caso do Navio-Aeródromo.

Superestrutura Leve - Light Superstructure : Superestrutura que não concorre para a resistência estrutural do Casco da embarcação, sendo por isso construída com Perfis e chapas mais leves que a do Casco.

Superfície de Flutuação : Plano horizontal que contém a superfície da água em que o barco flutua. É delimitada pela linha de flutuação - interseção entre a superfície da água e o contorno do casco - e perpendicular ao plano diametral do barco aprumado. O mesmo que plano de flutuação.

Superfície Moldada - Moulded Surface : Superfície contínua imaginária que passa pela face externa do Cavername da embarcação, não abrangendo a espessura do chapeamento do Costado e do Convés.

Superfície Molhada - Wetted Surface : Área total do Casco do navio que fica em contato com a água, ou seja, a soma das áreas da Carena e de todos os Apêndices nela fixados.

Surgir : 1) Aparecer na superfície da água. 2) Emergir.

Surgidouro : 1) Local onde ancoram os barcos. 2) Fundeadouro. 3) Ancoradouro.

Surriada : Respingos de água provocados pelo choque da vaga contra o costado das embarcações, pelo rebentar do mar no largo ou por efeito do vento. Esses respingos são transportados em gotas muito pequenas, semelhantes ao vapor de água.

Surriola - Lower Boom : O mesmo que Pau de Surriola.

Suspender - To Heave, To Rise Up, To Weigh : 1) Içar a âncora, recolhendo a amarra, para o navio se mover ou navegar. 2) Arrancar o ferro do fundo e trazer a âncora para cima.

Suspender Pelos Cabelos - To Cockbill : Içar a âncora deixando sua cruz (base) próxima da superfície.

Suspiro - Vent, Air Vent : 1) Acessório instalado em uma canalização, compartimento, recipiente ou tanque de uma embarcação para permitir a drenagem de ar ou gases. 2) Acessórios instalados na parte superior de um tanque para permitir a saída do ar, quando o tanque da embarcação é cheio com líquido.

SV - Supply Vessel: Embarcação de apoio às plataformas de petróleo menor que um PSV.

 


T

T : Bandeira TANGO. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Mantenha-se afastado; estou arrastando rede em paralelo".

TANGO

Tabuado do Convés - Deck Planking : Conjunto de tábuas de madeira e de juntas calafetadas, que revestem parte dos Conveses expostos ao tempo.

Tábuas Náuticas - Nautical Tables : Tábuas com auxílio das quais se calcula a posição do navio no mar, resolvendo determinadas fórmulas trigonométricas do triângulo da posição.

Tala : Tira de plástico ou madeira que atua enrijecendo a vela e mantendo uma forma desejada. Contribui também para evitar o panejamento da valuma.

Talabardão - Rough-Tree Rail : Ponte que se estende junto à Borda.

Talar as Ondas : Ato ou ação de navegar.

Talhamar - Cutwater : 1) Aresta externa da Proa da embarcação, utilizada para fender as águas. 2) Peça que constitui essa aresta, fixada externamente à Roda da Proa.

Talingar : 1) Amarrar, prender ou ligar a amarra ao ferro. Fixar uma anete. 2) Manobrar a âncora.

Tamanca - Roller Chock: Peça de aço fundido composta de rodete, usada na borda falsa e dimensionada de acordo com as espias.

Tambor - Drum : Peça em forma de cilindro ou quase cilíndrica, na qual, labora uma Amarra, espia, cabo ou fio.

Tampa de Combate - Deadlight : Tampa metálica com que se fecha uma vigia, quando o navio se prepara para o combate ou quando navega em regime de blackout.

Tanque - Tank : 1) Compartimento estanque de uma embarcação destinado a armazenar fluidos. 2) Depósito das tinas de baldeação.

Tanque de Colisão - Collision Tank : Compartimentos extremos à vante ou à ré, limitados pelas anteparas que lhe dão a propriedade de serem estanques, ou seja, não permitem que a água que porventura venha a inundá-lo, passe para os compartimentos vizinhos. São 2 (dois) os tanques de colisão, um a vante e um a ré, também chamados de pique-tanque de vante e pique -tanque de ré, respectivamente. Estes compartimentos devem, quando possível, ser conservados vazios.

Tanque de Lastro - Ballast Tank : 1) Compartimento especial dos navios, que se enche de água para lastrear a embarcação, quando sua carga é muito leve. 2) Nos submarinos, são depósitos que se enchem de água para facilitar a imersão do barco.

Tanque de Provas - Towing Tank, Model Basin : Tanque de grandes dimensões em comprimento, dotado de trilhos nas bordas, sobre os quais se movimenta um carro que reboca o modelo em escala do casco de uma embarcação, a fim de que seja estudada a sua resistência à propulsão.

Tanque de Verão : Tanques existentes em alguns petroleiros que, quando cheios, levam o navio da linha de flutuação tropical para a de verão.

Tanque Lateral : Tanque situado em um dos bordos da embarcação.

Tapa-Junta - Butt-Strap : Pedaço de chapa em Cantoneira que serve para unir a topo duas chapas ou Cantoneiras.

Tara : Peso correspondente à embalagem de uma mercadoria ou o peso do veículo.

Tarifa Portuária - Port Tax : Pauta de preços pela qual a administração do porto cobre os serviços prestados aos usuários.

Taxa de Ocupação do Cais : Relação entre o somatório dos produtos dos comprimentos das embarcações pelo tempo de atracação de cada embarcação e o produto do comprimento do cais pelo número de dias do mês da operação.

TD (Tonnage Deadweight) : Significa o peso total ou capacidade de carga que o navio pode deslocar, incluindo cargas, combustíveis, passageiros, provisões etc.

Terço - Sling : Parte média da Verga.

Teredo : Genero de moluscos aquáticos vermiformes que se alimentam de madeira, cavando galerias em cascos de embarcações, pilares de embarcadouros e outras estruturas mergulhadas na água.

Termo de Conferência : Documento em que se declara que foi realizado um confronto entre o rol de equipagem e as cadernetas de inscrição de tripulantes.

Termo de Distrato : Documento onde se declara a alteração relativa a um tripulante constante do rol de equipagem.

Termo de Falta e Avarias : Documento em que são registradas as faltas e/ou avarias de mercadorias, constatadas no transcurso de operação portuária.

Terno : Diz-se de uma turma de trabalhadores de diversas categorias portuárias, destinada à operação de capatazia.

Testa : Nas velas latinas é o bordo que encosta ao mastro e nas redondas os lados que ficam de cima para baixo. (ver esteira e valuma).

Teto do Fundo-Duplo - Inner Bottom : O mesmo que Forro Interior do Fundo.

Tiburgueiro : Denominação dada em São Lourenço do Sul ao pescador pobre, de poucas redes, que usa uma pequena canoa e pesca próximo aos juncais ou a banhados que se ligam à Lagoa dos Patos.

Timão - Wheel : Aciona o leme, dando dirigibilidade à embarcação. Pode ter acionamento mecânico, hidráulico ou por ar comprimido. Em pequenas embarcações de recreio ou pesca é, algumas vezes, substituído pela cana de leme que é ligada diretamente ao eixo do leme.

Timoneiro : Membro da tripulação responsável pela manobra do leme, pelo governo da embarcação. O timoneiro é também chamado de 'homem do leme' nas embarcações miúdas, o timoneiro atua diretamente na cana do leme; contudo, nos navios em movimento, o esforço necessário para girar o leme é muito grande. Há, então, necessidade de se instalar um aparelho de governo que permite a um só homem governar o navio com facilidade.

Tina : Tipo de recipiente de metal reforçado, usado na movimentação de determinados granéis, tais como: sal, carvão e outros.

TLR : Sigla de tonelagem líquida de registro.

Toa : 1) Cabo de reboque. 2) Cabo com que uma embarcação reboca outra.

Tocar : 1) Bater a embarcação indo de encontro a um baixio ou cais. 2) Roçar a quilha no fundo. 3. Entrar no porto.

Tocar à Leva : Ato ou ação de levantar o ferro da embarcação.

Toco - Kingpost, Samson Post : Coluna vertical que sustenta o pau de carga, quando este não é armado junto ao mastro. O mesmo que pescador.

Tolda : 1) Convés superior. 2) Espaço do convés superior entre o mastro grande e a popa, ou o tombadilho, destinado aos oficiais.

Toldado : Diz-se do céu encoberto.

Toldo - Awning : Cobertura de lona fina, estendida sobre as partes de um convés ou de uma superestrutura descoberta, para servir de abrigo contra o sol e a chuva. Nos navios de guerra, o toldo, que é geralmente de lona ou de fibra sintética, pode ser retirado. Nos navios mercantes, são usados, modernamente, toldos permanentes de alumínio corrugado, plástico reforçado, folha de amianto comprimido etc.

Tolerâncias Estruturais - Structural Tolerances : Divergências em formas e dimensões aceitáveis entre o que foi construído e o que consta dos planos estruturais do navio.

Tombadilho - Aft Castle Deck, Poop : Superestrutura na parte extrema da popa, acompanhada de elevação da borda.

Tonelada - Ton : Peso de mil quilogramas, também conhecido como tonelada métrica; no sistema inglês, medida de peso correspondente a 1.016.046 quilos; antigo peso de 793.218 quilos, equivalente a 13 quantais e meio. Medida para calcular o porte e o frete das embarcações; medida dos navios ou a quantidade de mercadorias ou cargas que podem transportar.

Tonelada de Arqueação - Ton : Unidade de volume convencionalmente fixada em 100 pés cúbicos (2,832 m³). Empregada para exprimir a Tonelagem de Arqueação.

Tonelada Longa - Long Ton : Unidade de peso do sistema inglês de medidas, equivalente ao peso de 2.240 libras ou 1.016 quilos.

Tonelada Medida - Measured Ton : Unidade de volume igual a quarenta pés cúbicos, usada exclusivamente no cálculo de frete de cargas embarcadas.

Tonelagem - Tonnage : Volume de todos os espaços internos do navio, expresso em Toneladas de Arqueação. O mesmo que Tonelagem de Arqueação e Arqueação. Adimensional.

Tonelagem Bruta - Gross Tonnage : Soma de todos os volumes dos espaços cobertos, fechados de modo permanente e estanques à água que não estejam sob pressão. Os Espaços Isentos, não entram no cálculo da Tonelagem Bruta. O mesmo que Arqueação Bruta. Cf. Espaços Isentos e Espaços Deduzidos.

Tonelagem de Arqueação - Tonnage : O mesmo que Tonelagem.

Tonelagem de Registro - Register Tonnage, Net Register Tonnage : Tonelagem que consta dos documentos de registro fornecidos a cada navio mercante pelas autoridades competentes de seu país. Geralmente corresponde à Tonelagem Líquida. O mesmo que Arqueação de Registro.

Tonelagem Especial - Special Tonnage : Tonelagem resultante de Arqueação feita por regras especiais, para pagamento de taxas de passagem em certos canais. Como exemplo a Tonelagem do Canal do Panamá e a Tonelagem do Canal de Suez.

Tonelagem Líquida - Net Tonnage : Medida que exprime o volume de todos os espaços internos, utilizáveis comercialmente, de um navio mercante. É igual à Tonelagem Bruta menos os Espaços Deduzidos, seu cálculo varia de acordo com a legislação de cada país.

Tope - Mast Head : Extremidade superior de um Mastro ou Mastaréu.

Tornel - Swivel : Peça formada por um olhal, um parafuso com olhal, porca cilíndrica e um contrapino. O parafuso constitui um eixo em torno do qual gira o olhal. Permite à amarra girar em relação à âncora.

Torre - Tower : Espécie de torre de ferro, fortemente blindada, que serve de brigo a peças de artilharia de grande calibre, girando horizontalmente sobre si mesma para permitir o funcionamento dos canhões em várias direções. Diz-se, também, torre giratória.

Torre de comando: É o abrigo encouraçado dos navios de guerra de grande porte, situado em posição tal que de seu interior se domine com a vista um grande campo do horizonte, destinado ao comandante. Ai estão protegidos os aparelhos para governo do navio e comunicação das ordens do comando. Pode ser também chamado de Torreão de comando.

Torreão de Comando : Abrigo encouraçado dos navios de guerra de grande porte, situado em posição tal que de seu interior se domine com a vista um grande campo no horizonte; é destinado ao comandante e também pode ser denominado de "torre de comando'.

Tosamento - Sheer : Curvatura da quilha de uma embarcação, por construção ou devido a esforços excessivos, ficando a meia-nau mais baixa que a proa e a popa.

Tosamento Natural - Sheer : Curvatura, com a concavidade para cima, que apresenta o Cintado de uma embarcação quando projetado sobre um plano vertical longitudinal: determina a configuração do Convés Principal e do limite superior do Costado.

Trabalhador Portuário : Categoria de empregado portuário destinada a executar os serviços de capatazias, conexos e internos, na faixa do cais.

Tráfego - Traffic : Diz-se do movimento dos navios.

Tralha : Parte da rede de pesca, onde a malha é costurada a uma corda contínua.

Tramontana : Denomina-se um vento do norte.

Transferência de Carga - Cargo Transfer : Consiste basicamente na utilização de supernavios, mesmo com calado maior do que o admissível nos portos de destino, que pode levar as vantagens econômicas substanciais nas principais rotas do globo. Para isso faz-se necessária a construção de terminais de transferência, passando o produto para navios menores com calado adequado à profundidade dos portos receptores.

Trânsito de Unidade - Unit Transit : Ação de transportar a Unidade Estrutural da área de Montagem para a área de armazenamento ou de Edificação.

Transporte Internacional - International Transport : Aquele em que o ponto de embarque das mercadorias e o seu destino está situado em países diferentes.

Transporte Multimodal - Multimodal Transport : Conexão sistemática que se utiliza dos vários sistemas de transporte existentes, procurando reunir as vantagens operacionais de cada um os modos de transporte, aliando-se a outras de origem institucional, visando bem servir ao usuário quando este necessita deslocar sua carga de porta-a-porta.

Transporte Nacional - National Transportation : Aquele em que o ponto de embarque das mercadorias e o destino das mesmas estão localizados em território brasileiro. Quanto à forma, o transporte pode ser: 1. modal - quando a mercadoria é transportada utilizando-se apenas um meio de transporte; 2. segmentado - quando se utilizam veículos diferentes e são contratados separadamente os vários serviços e os diferentes transportadores, que terão a seu cargo a condução de mercadorias do ponto de expedição até o destino final; 3. sucessivo - quando a mercadoria, para alcançar o destino final, necessita ser transportada para prosseguimento em veículo da mesma modalidade de transporte; 4. intermodal - quando a mercadoria é transportada utilizando-se duas ou mais modalidades de transporte.

Transtêiner - Transtainer : Equipamento utilizado no parque de estocagem, tendo como chassi ou vagões, no caso do mesmo ser assentado em linhas férreas, bem como empilhar os containers até uma altura máxima de quatro unidades. No caso de haver insuficiência de área de estocagem, o transtainer é aconselhável, uma vez que possibilita melhor utilização da área disponível, objetivando o encaminhamento ao descarregamento ou estocagem.

Transversal - Web Frame : O mesmo que Caverna Gigante.

Travessa - Horizontal Stiffener : Perfil disposto horizontalmente em uma Antepara a fim de reforçá-la.

Traquete : Designação do primeiro mastro, de proa a popa, de uma embarcação de dois ou mais mastros.

Través - Abeam, Across, Athwart : 1) Direção normal ao plano longitudinal do navio. 2) Posição relacionada a uma parte do navio. Tal posição é a perpendicular à linha popa-proa, aproximadamente a meia-nau; 3) Nome do cabo de atracação que sai paralelo à linha bombordo-boreste.

Través Folgado ou Alheta : Velejar num ponto entre o Través e a Popa Rasa.

Trazer Navios no Mar : Diz-se do ato ou ação de exercer comércio marítimo armando navios por conta própria.

Tribunal Marítimo : Colegiado que tem jurisdição em todo o território nacional, sendo um órgão auxiliar do Poder Judiciário, vinculado ao Comando da Marinha, no que se refere ao provimento de pessoal militar e de recursos orçamentários para pessoal e material destinados ao seu funcionamento, tendo como atribuições julgar os acidentes e fatos de navegação marítima, fluvial e lacustre, bem como as questões relacionadas com tal atividade, especificadas em lei.

Trilho de Lançamento - Lauching Way : Guias fixas à Carreira, sobre as quais deslizam o Carro de Lançamento e o navio durante o seu Lançamento.

Trilho Submerso - Submerse Way : Guias fixas à parte submersa da Carreira, sobre as quais deslizam o Carro de Lançamento e o navio durante o Lançamento.

Trim - Trim : Valor da diferença entre os Calados a Vante e a Ré. Se o Calado a Vante é maior o navio é dito estar com Trim pela Proa. Se o Calado a Ré é maior, é dito estar com Trim pela Popa. O mesmo que Compasso.

Trim de Projeto - Drag : Excesso de Calado, geralmente na Popa, medido a partir da Linha D'Água de Projeto. O navio é projetado nessa situação a fim de permitir uma maior imersão dos Hélices nas condições normais de operação. O mesmo que Compasso de Projeto.

Trincaniz - Deck Stringer : Peça estrutural no sentido longitudinal da embarcação ligando o Convés à Borda.

Tripulação - Crew : Conjunto de homens que trabalham em um navio, executando manobras e demais serviços de bordo.

Tripulante - Crew Member : Todo marítimo embarcado mediante contrato firmado com o comandante, no rol de equipagem, ou com o armador, no rol portuário. O comandante da embarcação e preposto de armador não se consideram tripulantes.

TS - Towing and Supply : Embarcação utilizada no suprimento e como rebocador junto às plataformas.

Tubo Acústico : Sistema de comunicação que independe de corrente elétrica.

Tubo Telescópico - Stern Tube : Tubo que faz parte da estrutura do navio e através do qual passa o eixo propulsor. E dotado de mancais de sustentação e de uma bucha que impede a entrada da água no interior da embarcação.

Tubulão do Leme - Rudder Trunk : Tubo por onde a Madre do Leme atravessa o Casco do navio.

Túnel de Expansão - Expansion Trunk : Parte superior dos Tanques principais de um Navio-Tanque, de seção menor que a do resto do Tanque. Destina-se à atender às variações de nivel do líquido em conseqüência das variações de temperatura e, simultaneamente, reduzir a superfície livre do líquido.

Túnel do Eixo - Shaft Alley : Compartimento estanque que envolve cada eixo propulsor do navio, desde a Praça de Máquinas até a bucha do eixo. Deve ter dimensões suficientes para dar passagem a um homem, a fim de permitir a inspeção do eixo e dos mancais.

Turco - Davit : Coluna metálica, normalmente giratória, tendo a parte superior recurvada para receber um aparelho de içar ou arriar. Serve para içar e arriar embarcações miúdas e outros pesos.

Turco Comum - Radial Davit : Turco constituído por um ferro redondo (maciço), ou tubo, recurvado na parte superior, que gira em torno do seu próprio eixo vertical.

Turco de Rebater - Pivot Type Davit : Turco de forma semelhante à do Turco comum, mas que em vez de girar em torno de seu eixo vertical, é rebatido para dentro da Borda, girando em torno de um eixo paralelo a esta, situado no pé do Turco.

Turco do Ferro - Cat Davit, Anchor Davit : O mesmo que Turco do Lambareiro.

Turco do Lambareiro - Cat Davit, Anchor Davit, Fish Davit : Turco situado no Castelo de alguns navios para auxiliar a manobra das Âncoras. O mesmo que Turco do Ferro.

Turco Quadrantal - Quadrant Davit : Turco constituído de uma viga ou perfil em I, cujo pé é fixado a um setor dentado que engraza (corre) em uma cremalheira.

Turco Rolante - Rolling Davit : Turco constituído por uma armação em C, que corre sobre um trilho encurvado.

 


U

U : Bandeira UNIFORM. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Você se dirige para um perigo".

UNIFORM

Unha - Peak of the Fluke : 1) Vértice exterior da Pata de uma Âncora; 2) Calha rotativa, em forma de unha, que se coloca numa Vigia de dentro para fora, a fim de dirigir o vento para o interior de um Comportamento, ou para impedir a entrada da chuva.

Unhão : Tipo de trabalho de marinheiro aplicado principalmente para emendar dois cabos pêlos chicotes. Consiste em descochar os dois cabos, falcaçar e entrelaçar seus respectivos cordões.

Unhar : Ato ou efeito de enterrar a âncora no fundo da água, mantendo a embarcação fixa no lugar pela amarra.

Unidade de Antepara - Bulkhead Unit : Unidade Estrutural contendo as chapas Prumos e Elementos Estruturais que, reunidos e montados, compõem uma Antepara ou parcela de uma Antepara do navio.

Unidade de Carga : Equipamento de transporte adequado à unitização de mercadorias a serem transportadas, passíveis de completa manipulação, durante o percurso em todos os meios de transportes utilizados. São considerados unidades de carga os containers em geral, os palieis, as pré-lingadas ou pré-slings e outros quaisquer equipamentos de transporte que atendam aos fins acima indicados e que venham a ser definidos em regulamento.

Unidade de Convés - Deck Unit : Unidade Estrutural contendo Vés, Vaus e Elementos Estruturais, que, reunidos e montados, compõem uma parcela de um dado Convés do navio.

Unidade de Costado - Side Shell Unit : Unidade Estrutural contendo o Painel de Fiadas do Costado, Cavernas e Elementos Estruturais, que, reunidos e montados compõem uma parcela do Costado do navio.

Unidade de Fundo - Bottom Unit : Unidade Estrutural contendo Quilhas, Fiadas do Fundo, Hastilhas e Elementos Estruturais, que, reunidos e montados compõem uma parcela do Fundo do Casco do navio.

Unidade Estrutural - Structural Unit : Subdivisão do casco do navio adotada para facilitar a construção de sua estrutura, permitindo que o trabalho de montagem seja feito em local abrigado e de fácil acesso.

Uso do Aparelho de Governo : O aparelho de governo é um órgão vital do navio, e o pessoal encarregado deve estudar bem seu funcionamento e conservação. Deve-se treinar bem a guarnição a passar do leme a motor para o leme a mão. Em canais ou entradas e saídas de portos, deve-se determinar que o leme a mão esteja pronto para o uso.

UT - Utility Vessel : Embarcação de pequeno porte e ligeira usada no transporte de pessoal que trabalham a bordo das plataformas.

Utilização do Porto : Vantagem que usufruem os navios, encontrando para o seu abrigo, ou para realização de suas operações de carregamento ou descarga, acesso a porto, águas tranquilas e profundas e, bem assim, meios para a execução daquelas operações e recursos para abastecimento.

 


V

V : Bandeira VICTOR. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Solicito auxílio".

VICTOR

Vaga - Wave : 1) O mesmo que onda. 2) Onda grande, própria do mar agitado e produzida em geral pela ação do vento. Sua altura (distância entre a crista e o cavado) aumenta em proporção direta ao aumento de intensidade do vento, e chega a atingir vinte metros. As cristas rebentam em espuma, formando "carneiros", quando o vento é forte em alto-mar ou quando as vagas se elevam em águas rasas, como é o caso da rebentação típica das proximidades da costa.

Vaivém : 1) Cabo que se usa para ligar um barco encalhado ou acidentado à terra ou, em caso de reboque, para ligar duas embarcações, permitindo o translado de pessoas e equipamento leve. 2) Cabo passado transversalmente, pouco acima do convés, para segurança da tripulação, em caso de mau tempo. 3) Cabo passado entre os amantilhos das vergas ou junto ao gurupés e ao pau de surriola, para servir de apoio à tripulação nas manobras.

Valuma : Bordo de uma vela latina que fica para o lado da popa. (ver esteira e testa)

Vante - Forward, Afore, Fore, Fore Body : Metade dianteira da embarcação. O termo não é utilizado isoladamente, mas sim nas locuções abaixo: A Vante - na metade dianteira da embarcação. Por Ante A Vante - pela frente, considerando-se como sentido de referência o que apontar para a Proa da embarcação.

Vão - Span : Distância entre dois reforços consecutivos do chapeamento do casco.

Vão de Caverna - Frame Spacing : O mesmo que Espaçamento de Cavernas.

Vãos de Carga - Broken Stowage : O mesmo que Espaçamento de Estiva.

Varadouro : Lugar seco em que as embarcações são encalhadas para reparos ou, simplesmente, para se abrigarem.

Varar : 1) Encalhar acidental ou propositadamente em lugar seco. 2) Navegar além do porto de destino.

Varejão : Vara com que se impulsiona a embarcação em águas rasas.

Varredura : Detrito de carga granelizada que fica pelo chão, nos locais em que é movimentada e manipulada, geralmente decorrente de avarias na embalagem, tais como ruptura de sacos, cortões etc.

Vaso de Pressão : Designação genérica dos tanques de bordo construídos especialmente para armazenar fluidos sob pressão, como gases liquefeitos, ar comprimido, vapor etc.

Vau - Beam : Viga estrutural, colocada no sentido transversal da embarcação, ligando os dois ramos de Baliza. O seu conjunto serve para sustentar o Forro dos Conveses.

Vau de Escotilha - Hatch Beam : Vaus que limitam as Escotilhas, a vante e a ré.

Vau Gigante - Deep Beam : Vau de maior Escantilhão, geralmente formado por uma alma de chapa (com flange de barra chata soldada, colocado com maior Espaçamento que os Vaus normais. O mesmo que Vau Reforçado e Vau Real.

Vau Intermediário - Intermediate Beam : Vau de Escantilhão menor que os Vaus normais, colocado entre estes, com a finalidade de auxiliar a suportar o Convés, quando o espaço entre os Vaus normais é grande.

Vau Real - Reinforced Beam : O mesmo que Vau Gigante.

Vau Reforçado - Deck Web : O mesmo que Vau Gigante.

Vau Seco - Hold Beam : Vau de Porão que não recebe Convés.

Vazante : 1) Movimento descendente do nível do mar, que começa na preamar e culmina com a baixa-mar, durando em média um período de seis horas. 2) Refluxo. 3) Maré descendente.

Vela : Peça em lona, brim ou outro tecido natural ou sintético apropriado, destinada a, recebendo o sopro do vento, impelir as embarcações.

Vela de Balão : Vela triangular de grande superfície para ventos de popa. Normalmente de tecido leve e colorida.

Vela Grande : Maior vela de uma embarcação. É envergada no mastro grande.

Velacho : Mastaréu que espiga no mastro real do traquete (o primeiro, de proa a popa). A designação se aplica também aos cabos de sustentação desse mastaréu: brandais, estai e enxárcia do velacho.

Velame : Conjunto de todas as velas do navio. Divide-de em duas classes: velas redondas, as que envergam de BB a EB (bombordo a estibordo), em sentido perpendicular à quilha, e velas altinas, as que envergam em sentido paralelo à quilha, de proa a popa.

Veleiro - Tall Ship : 1) Barco movido a vela. 2) Pessoa que confecciona velas.

Veleiro Amador : Categoria primária de habilitação náutica no Brasil, destinada ao menor de 16 anos. O veleiro amador é considerado apto a conduzir embarcações sem propulsão mecânica dentro de limites restritos - baía, enseada, porto etc, estabelecidos pela autoridade local. O exame de habilitação - que versa sobre balizamento, regras para evitar abalroamento no mar, manobra, combate a incêndio e primeiros socorros - pode ser prestado nas capitanias, delegacias ou agências dos portos, ou no próprio clube recreativo ao qual o candidato seja filiado.

Velejar - To Sail : Ato de navegar com barco a vela.

Velocidade - Speed : Distância percorrida pelo navio na unidade de tempo. É expressa em nós, que é o número de milhas navegadas em uma hora. A velocidade depende da potência da máquina propulsora, do deslocamento do navio e da forma exterior do casco; ela permite ao navio de guerra evitar ou procurar o combate conforme a sua conveniência e, neste último caso, escolher a posição mais favorável para o emprego do armamento. É o caminho percorrido pelo navio durante uma hora.

Velocidade de Cruzeiro - Cruising Speed : Velocidade na qual o navio tem o maior raio de ação.Na marinha de guerra chama-se, também, de velocidade de cruzeiro a velocidade com que um navio ou uma força naval deve se deslocar entre dois pontos ou durante um certo espaço de tempo.

Velocidade de Evolução - Evolution Speed : Velocidade maior de uma certa quantidade que a velocidade padrão. A velocidade de evolução para qualquer tipo de navio é determinada pela autoridade padrão.

Velocidade de Experiência - Trial Speed : Velocidade que deve ser obtida pelo navio nas condições ditas de experiência (mar calmo, casco limpo, sem vento), a fim de garantir que nas condições normais de serviço ele desenvolva a Velocidade de Serviço.

Velocidade de Governo - Steering Speed : Menor velocidade com que se pode governar o navio.

Velocidade de Manobra de um Navio - Vessel Naneuvre Speed : Velocidade maior de uma certa quantidade que a velocidade de evolução. A velocidade de manobra também é determinada pela autoridade competente.

Velocidade de Projeto - Design Sea Speed : Velocidade do navio a plena carga, em águas tranquilas, com tempo bom e casco limpo, ao desenvolver uma fração estabelecida da máxima potência no eixo (geralmente entre 70% e 80%).

Velocidade de Serviço - Service Speed : Velocidade média obtida pelo navio quando completamente carregado, com o casco em situação normal de limpeza, navegando em condições médias de mar sobre a rota por ele servida, ao desenvolver uma potência normal no eixo.

Velocidade Econômica - Economic Speed, Cruising Speed : Velocidade que o navio obtém o maior raio de ação. O mesmo que velocidade de cruzeiro.

Velocidade Máxima - Maximum Speed : Velocidade correspondente ao regime de máxima potência das máquinas. A velocidade máxima de um navio de guerra é raramente usada em tempo de paz, pois importa em enorme consumo de combustível e um excessivo esforço da máquina.

Velocidade Máxima Contínua - Maximum Continuous Speed, Maximum Sustained Speed : Maior velocidade que o navio pode desenvolver continuadamente, sem prejuízo de suas máquinas propulsoras, ou seja, com estas desenvolvendo a máxima potência de forma continuada. O mesmo que velocidade máxima mantida.

Velocidade Máxima Mantida - Maximum Continuous Speed, Maximum Sustained Speed : Velocidade que o navio pode manter por tempo indefinido, enquanto dispuser de combustível. O mesmo que velocidade máxima contínua.

Velocidade na Máquina - Engine Speed : Velocidade que o navio desenvolve em relação ao fundo, quando determinado número de rotações dos propulsores, caso estivesse navegando em condições ideais, tais como mar tranquilo, casco limpo, corrente nula, calado normal etc.

Velocidade na Superfície - Indicated Speed : Velocidade que um navio desenvolve em relação ao fundo do mar ou a um ponto fixo na terra. É a velocidade na superfície corrigida da corrente.

Velocidade no Canal - Channel Speed : Velocidade obrigatória em um canal.

Velocidade no Fundo - Speed Over Ground : Velocidade que um navio desenvolve em relação ao fundo do mar ou a pontos fixos na terra. É igual à velocidade na superfície, corrigida da influência da corrente local, do efeito do vento etc.

Velocidade Padrão - Default Speed : Velocidade na superfície determinada pelo comandante de uma força naval; 2/3 de velocidade - corresponde a dois terços de velocidade padrão; 1/3 de velocidade - corresponde a um terço de velocidade padrão.

Ventilador - Ventilator, Fan : Dispositivo pelo qual se introduz ar puro num Compartimento interno do navio e dele se extrai o ar viciado. É constituído, em geral, de um tubo de grande seção, que termina no Convés sob formas variadas e nomes diversos: Cachimbo, Cogumelo, Pescoço de Ganso.

Vento Aparente - Apparent Wind : Soma vetorial dos ventos real e induzido.

Vento Verdadeiro - True Wind : A velocidade e direção do vento anotadas por um observador estático.

Verdugo - Belting, Fender : Peça reforçada fixada ao longo do costado de certos tipos de navios, a fim de protegê-lo contra choques durante as fainas de atracação e desatracação.

Verga - Yard, Spar : Peça de madeira ou de aço, fixada num Mastro, que serve para receber antenas, luzes de navegação e Morse, adriças de bandeiras, etc. A Verga pode ser redonda ou latina, a primeira orientando-se na direção transversal.

Verga da Sécia - Brace Boomkin : Verga disparada perpendicularmente ao Costado, na Popa, para indicar à posição dos Hélices que se projetam além do piano do Costado, nos navios sem Guarda-Hélice.

Verga de Sinais - Signal Yard : Verga que recebe as roldanas por onde laboram as adriças de sinais e onde são fixadas as luzes de marcha, escote, etc.

Vergalhão - Rod : Peça de metal laminada em seção redonda, meia-cana, quadrada, hexagonal, etc., empregada na confecção de Rebites, parafusos, estojos, estais, degraus de escada, etc.

Vergueiro - Bend, Rudder Chain : Cabo de arame, corrente ou vergalhão que serve para fixar determinadas peças de um navio ou embarcação.

Vergueiro do Leme - Rudder Chain : Cabo grosso ou corrente fixado aos arganéus da Porta do Leme, que evita perda do Leme, caso se solte das Governaduras.

Vergueiro do Toldo - Bend : Cabo de arame apoiado nos Ferros do Toldo junto à Borda, ou vergalhão fixado a uma Antepara, no qual são amarrados os fiéis do Toldo.

Via de Tráfego - Safeway : Área dentro de limites definidos no interior da qual é estabelecido o tráfego numa direção.

Vida Útil - Useful Life : Máximo espaço de tempo em que um navio mercante pode operar em condições econômicas, ou em que um navio de guerra pode operar com uma eficiência aceitável.

Viga Longitudinal - Longitudinal Beam, Longitudinal Girder : Qualquer viga da Ossada da embarcação, disposta longitudinalmente, e que contribui, juntamente com o Chapeamento, para a resistência estrutural do navio.

Viga-Navio - Longitudinal Girder : Idealização do Casco do navio, com seus reforços longitudinais, como uma Viga, a fim de determinar a sua resistência estrutural aos esforços que nele atuam, provenientes da carga, da ação do meio em que flutua, das vagas. etc.

Viga Transversal - Transverse Beam, Transverse Girder : Qualquer Viga da Ossada da embarcação, disposta transversalmente, e que contribui, juntamente com o Chapeamento, para a resistência estrutural do navio.

Vigia : 1) Abertura circular praticada no Costado ou na Antepara de uma Superestrutura, destinada a arejar ou a iluminar um Compartimento. São guarnecidas de uma gola de metal na qual se fixam ou se articulam suas tampas; 2) Rocha imersa ou emersa, isolada no mar, e perigosa à navegação.

Viração : 1) Vento brando que sopra periodicamente do mar para a terra, a partir do meio-dia. 2) Vento ou brisa do mar.

Virador : Cabo solteiro de grande bitola, empregado em armações a bóias, atracações, reboques etc.

Virar de Bordo : Mudar de amuras, alterando o rumo da embarcação.

Vistoria - Survey : Fiscalização feita a cada dois anos no Brasil, por autoridades de capitanias, agências ou delegacias dos portos, sobre embarcações de esporte e recreio com mais de duas toneladas de arqueação bruta, que recebem uma licença anual emitida pelas mesmas autoridades da Diretoria de Portos e Costas.

Volume - Volume : Unidade de manuseio de carga, independente de sua composição. Exemplo: container, saco, paliei, com qualquer número de unidades etc.


W

W : Bandeira WHISKEY. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Solicito assistência médica".

WHISKEY

Warrant : Diz-se do título de propriedade de mercadorias depositadas em armazéns gerais. Este tipo de certificado pode ser negociado como letra de câmbio no Brasil ou no exterior. Neste último caso, quando avalizado pelo Tesouro brasileiro.

Westerlies : Ventos que sopram do Ocidente, principalmente sobre as zonas temperadas do globo.


X

X : Bandeira X-RAY. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Suspenda a execução do que está fazendo e observe meus sinais".

X-RAY

Xadrez - Grating, Wood Grating : Conjunto de taliscas montadas em xadrez, que se coloca nos Patins, na boca de uma Escotilha, ou num posto de manobra, para servir de piso.

Xaveco : Barco mourisco, de dimensões medianas, popa e proa afiladas, bastante leve e veloz. Movido a velas e, ocasionalmente, a remos, em geral tinha armação latina triangular. Destacou-se por seu intenso emprego na pirataria durante os séculos XVI a XIX.


Y

Y : Bandeira YANKEE. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Estou arrastando o meu ferro".

YANKEE

Yawl : Embarcação semelhante ao ketch, mas com mastro de ré, cuja vela tem o nome de catita (também chamado mazena), de menor guinda ainda, e colocado por ante a ré da clara do leme, quase na grinalda.


Z

Z : Bandeira ZULU. De acordo com o Código Internacional de Sinais - CIS significa "Solicito rebocador. (Quando feita por barcos de pesca operando nas proximidades de áreas de pesca, significa "estou lançando redes")".

ZULU

Zarpar - To Sail : Levantar âncora para partir; deixar o porto.

Zênite - Zenith : Ponto, em qualquer lugar da Terra, onde a vertical prolongada acima do observador, vai aparentemente, encontrar a esfera celeste.

Zinco Protetor - Zinc Plate : Placa ou barra de zinco que se fixa ao longo das Obras Vivas, a fim de evitar a corrosão galvânica do Casco pela ação eletrolítica da água do mar. O mesmo que Anodo de Zinco.

Zona de Flutuação - Boottoping Floating Zone : É a parte das obras vivas, compreendida entre a linha de flutuação da embarcação carregada e a linha de flutuação da embarcação leve. O deslocamento da zona de flutuação define, em peso, a capacidade total de carga do navio. O mesmo que Faixa de Linha d'Água.

Zona de Tráfego Costeiro - Coastal Traffic Zone : Determinada área entre a parte mais próxima da terra de um esquema de separação de tráfego e o litoral adjacente, destinada ao tráfego costeiro.

Zona Não Vélica : Zona dos rumos possíveis onde um barco à vela não é capaz de velejar. Aproximadamente um ângulo de 90 graus, com a bissetriz indicando a direção do vento.

Zona ou Linha de Separação : Zona ou linha que separa o tráfego procedente de outra. Uma zona de separação também pode ser usada para separar uma via de tráfego de uma zona de tráfego costeiro adjacente.

Zona Franca : Área de livre-comércio de exportação e importação que goza de incentivos fiscais especiais, que é estabelecida com a finalidade de instalar, em determinados pontos do país, centros comerciais e industriais.

Zorra : 1) Tipo de carro baixo, com estrado largo assentado em quatro rodas, usado para o transporte de volumes pesados e lingados. 2) Pedra quadrangular, de superfície plana, que se faz mover sobre areia, em cima do convés da embarcação, no alto da baldeação, com auxílio de cabos presos em olhais ou arganéis fixos na pedra.