Nossa Opinião

Devemos cuidar do mar. Podemos fazer isso com garantia de sucesso. Um pouco de boa vontade e transigência, uma maior competência técnica e muito patriotismo, e novamente veremos surgir do mar a certeza de nosso futuro, a segurança de nossa independência tanto política, como econômica e comercial, abrindo aos grandes destinos do Brasil uma era de vitalidade, que mais facilmente lhe permitirá realizar a profecia de todos que o conhecem e sabem estimar as suas riquezas materiais e o valor da raça que o povoa.

Não obstante estarmos contentes com os nossos limites, sermos felizes de nossa grandeza territorial, devemos ter sempre nossas vidas voltadas para o mar porque esse nos assegura a fortuna e a tranqüilidade, quando convenientemente tratado. Por isso mesmo que nada ambicionamos dos outros povos, nada queremos das outras terras, tudo devemos fazer para que o nosso esplêndido patrimônio não seja de leve tocado, e dele se afaste toda a cobiça dos povos que sentem necessidade de expansões.

Para conseguirmos manter intacta a herança que recebemos, olhemos seriamente para o mar no que ele tem de riqueza sem descuidarmos dos perigos que dele podem surgir.

Março de 1918

Armando Burlamaqui